Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Aventura no The X Factor termina para Sara Paço

Depois de ter tido uma brilhante prestação na audição do Wembley Arena do The X Factor UK, com a notável interpretação do tema “My Boss Is a Dick Head”, a aventura de Sara Paço no mais célebre programa de talentos musicais britânico terminou ao ser eliminada na segunda fase do Bootcamp.

sara paço.jpgA cantora portuguesa que fez sensação na primeira audição do programa britânico tendo sido muito bem recebida pelo famoso júri composto por Simon Cowell, Rita Ora e Cheryl Versini e estrondosamente aplaudida pelos milhares de espectadores, passou à primeira fase do Bootcamp, o Bootcamp Challenge, interpretando a música "What a Wonderful World", mas o tema "Ain't no Sunshine" interpretado no Six Chair Challenge“, segunda fase do Bootcamp” não foi o suficiente para lhe permitir continuar na competição.

 

Para Sara Paço que terminou a sua prestação no The X Factor, conquistando um honroso lugar no top 90, num total de 90.000 participantes, este é um momento de grande tristeza. “Estou de lágrimas nos olhos e de coração pesado. Infelizmente fui eliminada e não poderei continuar no programa. Conquistei um lugar no Top 90, num total de 90.000 candidatos, o que considero óptimo, mas não deixo de me sentir triste por não poder continuar o meu percurso. O mundo da música é muito duro e tenho aprendido a lidar com o stress e ansiedade. Agora tenho de seguir em frente, focada num outro objetivo: o de continuar a trabalhar no meu próximo álbum, em Abbey Road Studios“.

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

 

Jameson Urban Routes 2015... no Musicbox

O Jameson Urban Routes surgiu em 2006 como o primeiro festival indoor organizado por um clube.

Sete anos depois do primeiro concerto que ocupou o palco do Musicbox, não será exagerado dizer que este se tornou num dos principais barómetros das novas tendências da música moderna e urbana. Mais do que as palavras, ficam as memórias das inúmeras estreias e dos momentos em por cá se viu surgir talento, ainda em estado bruto, pronto a despoletar.Jur15-Poster-A3-garrafa.jpgA edição 2015 do Jameson Urban Routes decorre a 22, 23, 24, 30 e 31 de Outubro e trará até ao Cais do Sodré, em Lisboa, alguns dos projectos mais excitantes das novas tendências da música moderna.

 

22 Outubro

Cave Story

Galgo

Pega Monstro

Pilooski

Magazino

 

23 Outubro

Holy Nothing

Telepathe

El Guincho (djset)

Nicola Cruz

Babaz Fox

Nunex & Famifox

 

24 Outubro

Inga Copeland

PAUS

Andy Stott

 

30 Outubro

The Sunflowers

La Femme

Xinobi (Live)

Hyenah

 

31 Outubro

Ricardo Remédio

Suuns & Jerusalem in My Heart

HHY & The Macumbas

RP Boo

Blastah

 

Musicbox (Lisboa)

22, 23, 24, 30 e 31 de Outubro de 2015

Batida…. Alter-ego de Pedro Coquenão passa por Braga

Batida, o alter-ego de Pedro Coquenão passa por Braga para apresentar o mais recente disco, “Dois”, elogiado solenemente pela crítica especializada.

Com o selo de uma das mais importantes editoras de música do mundo, a Soundway Records, “Dois”, o novo disco de Batida, faz ponte entre Portugal, Angola e o mundo. “Dois” foi conspirado e transpirado na sua garagem durante os últimos dois anos e inclui uma nova série de colaborações com Spoek Mathambo, Duncan Lloyd (Maximo Park) ou François & The Atlas Moutains, entre outros. Batida conquistando elogios nos media nacionais e internacionais, entre eles o Guardian, XFM ou a BBC1.

batida.jpgAo vivo envolve artistas cúmplices nas percussões, dança, teatro e poesia, contextualizados por imagens de arquivo escolhidas a dedo, outras filmadas e ainda artefactos que compõem esta ideia muito própria, apelidada “de génio”, por Mário Lopes no Público.

Batida já se apresentou em alguns dos maiores palcos Europeus, entre eles o Transmusicalles, Eurosonic, Womad Festival, fez parte do espetáculo Africa Express, o projecto de Damon Albarn e encerrou o palco nobre do FMM Sines. 

Rui Miguel Abreu, jornalista da Blitz e radialista da Antena 3, refere a mais importante marca da ideia Batida: “há aqui um subtexto conceptual muito sério, a noção de que a música não faz sentido se despida de um propósito maior, mais nobre do que o simples abandono durante uma hora ao poder do ritmo. Ao fim do dia, é a liberdade que importa: na Detroit funk, psicadélica e elétrica dos anos 1970 ou no Portugal e na Angola kizombados, reais e eletrónicos do século XXI”

Bilhetes já disponiveis

 

GNration (Braga)

9 de Outubro 2015 | 21.30h

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Casa Independente… 3º Aniversário - Programação Outubro 2015

Outubro é mês de aniversário da Casa Independente.

Um mês de festas para assinalar a incrível viagem que têm sido estes últimos três anos, viagem que traduz o amor que a Ironia Tropical - associação responsável pela Casa Independente, sente pelo Bairro do Intendente e pela cidade de Lisboa. E porque este tipo de amores só fazem sentido quando vividos e fortalecidos dentro de portas, este mês a proposta é a de um mês de paz, de esperança, mês de encontros e acontecimentos que reflectem a Casa Independente e quem a trata como sua.

00a.jpgVão ser concertos de luxo nacionais e internacionais, DJs que são já prata da casa e uma grande festa de celebração que visará receber os que mais perto estão. Aqui fica o resumo de um mês bastante preenchido e especial:

 

6 Outubro – 21.30h

They're Heading West (concerto lançamento álbum de estreia) (mais informações aqui)

9 Outubro – 23.00h

Litro Suave - DJ Miguelitro & Mano Suave (DJ Set)

10 Outubro – 23.00h

Donas são como divãs (DJ Set)

11 Outubro – 19.00h

La Luz (concerto) (mais informação aqui)

16 Outubro – 23.00h

SoundSoulSistar (LadyG Brown & Cláudia Moreno)

17 Outubro – 23.00h

Jameson Jungle Fever com Fogo-Fogo (concerto)

24 Outubro – 23.00h

#TUDOERRADO são Cláudia Guerreiro & André Gomes (DJ Set)

27 Outubro – 21.30h

Similia Similibus, de Júlio Dinis (Teatro)

30 Outubro – 23,00h

Gandambiente - Quim Albergaria & Hélio Morais (DJ Set)

31 Outubro – 22.30h

Jameson Urban Soul com Legendary Tigerman (concerto) + Casa Cláudia (Dj Set)

 

A Casa Independente é o principal projecto artístico da Associação Ironia Tropical e, como tal, só pode ser frequentada por associados. A Casa Independente convida todos aqueles que dela desejem usufruir a subscrever a proposta de admissão apresentada à entrada e a fazerem-se sócios.

Vetusta Morla... de Espanha para a Casa da Música

A banda de maior sucesso do rock alternativo em Espanha estreia-se em Portugal na Casa da Música.

O concerto, integrado na digressão mundial de “La Deriva”, o terceiro disco dos Vetusta Morla, do qual faz parte “Fuego”, a canção do ano segundo os críticos, traz ao Porto a banda que em apenas seis anos conquistou Espanha e a América Latina.

Vetusta.jpgOriundos de Tres Cantos, a norte de Madrid, os Vetusta Morla juntaram-se no final dos anos 90, mas só editaram o primeiro disco em 2008. “Un Día En El Mundo”, que saiu em edição de autor, foi Disco de Platina por vendas superiores a 40 mil exemplares, conquistando não só o público mas também a crítica especializada.

Em 2011 lançaram “Mapas”, trabalho que veio confirmar o talento do sexteto. Disco de Ouro, valeu-lhes o prémio da Rolling Stone para melhor digressão em 2012, ano em que deram mais de 100 concertos.

Em 2014 saiu “La Deriva” que entrou directamente para o primeiro lugar dos discos mais vendidos e tem contado com lotações esgotadas nas apresentações ao vivo em Espanha mas também no México, Argentina e Colômbia.

Vencedores de sete prémios da música independentes; melhor artista, álbum, canção “Fuego”, melhores ao vivo, melhor produção, fotografia e design, os Vetusta Morla têm demostrado consistência e conquistam com a energia e emoção que empregam em tudo o que fazem. Os Vetusta Morla são uma banda de rock, mas não soam como tal.

 

Casa da Música (Porto)

9 de Outubro 2015 | 22.00h

ENRA… Quando o Real dança com o Virtual…

Quando o Real dança com o Virtual…

enra_Cubee_01.jpgDepois da cerimónia de candidatura aos Jogos Olímpicos 2020 do Japão, assinaram o espectáculo de encerramento do 68º Festival de Cinema de Cannes. São os ENRA e vêm da Terra do Sol Nascente!

enra_pleiades_01.jpgA companhia, criada em 2012 por Nobuyuki Hanabusa, alia diferentes disciplinas performativas a cenários e adereços virtuais que se transformam ao ritmo da música e da narrativa.

É esta combinação da imagem com a performance de artistas multifacetados, desde bailarinos a acrobatas, passando pelas artes marciais, que tornam esta companhia formada há três anos na mais recente novidade do entretenimento

 

Bilhetes já disponiveis

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

20 e 21 de Novembro 2015 | 16.00h (21/11) 21.00h (20 e 21/11)

Benjamin Clementine… regressa a Portugal em Novembro para mini digressão

Benjamin Clementine regressa a Portugal já em Novembro para o Vodafone Mexefest a 27 de Novembro. Antes do festival em Lisboa, o cantor irá ainda se apresentar em palco no Theatro Circo em Braga no dia 22 de novembro, seguindo depois para o Teatro Aveirense no dia 24 de Novembro e no dia 25 vai até à Casa da Música no Porto para mais um concerto único, como só Clementine sabe surpreender.

A mini digressão em portugal termina a 28 de Novembro no Teatro das Figuras em Faro.

Pianista autodidacta, com um percurso de vida atribulado, Benjamin Clementine é um talento precoce, que cresceu inspirado em figuras como Leonard Cohen.

bc1.jpgDesde que participou no programa televisivo da BBC2 “Later...with Jools Holland” em 2013 tornou-se no artista mais partilhado no Spotify, foi dinstinguido com o "Best New Act" em Les Victoires de la Musique, esgotou espectáculos em toda Europa e nos EUA, tocou nas primeiras partes dos concertos de artistas como Cat Power, Tune-Yards ou Woodkid e nos festivais de verão Wilderness Festival, com curadoria de Bjork e no Meltdown Festival, de David Byrne.

bc2.jpgEste ano o cantor inglês já se tinha apresentado em contexto de festival no Super Bock Super Rock, onde foi protagonista de umas das melhores atuações do festival.

Os bilhetes já se encontram disponiveis

 

Theatro Circo (Braga)

22 de Novembro 2015 | 21.30h

 

Teatro Aveirense (Aveiro)

24 de Novembro 2015 | 21.30h

 

Casa da Música (Porto)

25 de Novembro 2015 | 22.00h

 

Vodafone Mexefest (Lisboa)

27 de Novembro 2015

 

Teatro das Figuras (Faro)

28 de Novembro 2015 | 21.30h

 

Fotografias: Paulo Homem de Melo

They're Heading West… Lançamento do álbum de estreia

Ao fim de 4 anos e de 30 concertos, os They're Heading West finalmente lançam o seu álbum de estreia.

E é isso que faz deste concerto tão especial.

they 00.jpg

Mariana Ricardo (Minta & The Brook Trout, Silence Is a Boy, Domingo no Quarto), Sérgio Nascimento (Deolinda, Sérgio Godinho, Humanos), Francisca Cortesão (Minta & The Brook Trout) e João Correia (TAPE JUNk, Julie & The Carjackers) trazem as suas quatro vozes, ukulele, minibateria, guitarra e baixo, e tocam as músicas uns dos outros e as de quem a eles se juntar.

Nesta ocasião, também se fazem acompanhar de Samuel Úria, Frankie Chavez, Peixe e Afonso Cabral, Tomás Sousa e Salvador Menezes (You Can't Win, Charlie Brown).

 

Casa Independente (Lisboa)

6 de Outubro 2015 | 21.30h

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Sam Smith…. Desvenda inéditos em reedição de "In The Lonely Hour"

Sam Smith anunciou a reedição do seu muito aplaudido primeiro álbum de originais.

"In The Lonely Hour: The Drowning Shadows Edition" é editado a 6 de novembro e conta com um segundo CD onde se pode encontrar uma mão cheia de novas canções, exclusivas desta nova edição. 

ss.jpgEntre os inéditos que agora serão revelados está a canção "Drowning Shadows", coescrita por Sam Smith e Fraser T. Smith e produzida por Jimmy Napes e Steve Fitzmaurice. "Drowning Shades" abre elegantemente o segundo disco desta reedição, sendo uma balada de profundidade emocional e que revela uma vez mais os dotes vocais de Sam Smith.

Além deste novo tema, "In The Lonely Hour: The Drowning Shadows Edition" contém ainda versões de "Love Is A Losing Game", de Amy Winehouse, e de "How Will I Know?", de Whitney Houson, cuja interpretação de Sam Smith é de cortar a respiração. No disco encontram-se ainda colaborações com John Legend, Mary J. Blige e o rapper A$AP Rocky.

 

Este final de ano está a ser auspicioso no percurso de Sam Smith. Depois de ter vendido nove milhões de cópias de "In The Lonely Hour", o seu álbum de estreia no Reino Unido quebrou o recorde ao ter permanecido 69 semanas consecutivas no top 10. O cantor britânico também já conta com quatro prémios Grammy, três Brit Awards, seis prémios MOBO, além de ter sido eleito pela revista GQ o Artista a Solo do Ano.

Agora Sam Smith junta-se à "família" 007, tendo lançado recentemente o single "Writing's On the Wall", nova canção do próximo filme sobre as aventuras do agente secreto James Bond, "Spectre", sendo esta a primeira canção de um filme da saga 007 gravada por um artista masculino a solo desde 1965. Esta também foi a primeira vez que uma canção tema do filme James Bond entrou diretamente para o 1.º lugar do top britânico.

E foi assim… Dulce Pontes em concerto no Teatro Aveirense

Uma viagem pelos caminhos da lusofonia foi o que Dulce Pontes apresentou em Aveiro.

Percorrendo as várias etapas de uma viagem ao longo de 75 minutos, a cantora pintou em palco um quadro ilustrativo das tradições musicais nacionais. O fado, o folclore, o tradicional e o erudito a marcar de forma significativa a noite em Aveiro. Dulce Pontes apresenta-se em palco de uma forma descontraída e jovial, com um visual igualmente representativo do que transmitiu nessa noite de Outono.DSC_0134 (Cópia).jpg

Inicia o concerto ao piano com o “Nu”, o nu do universo de Dulce Pontes. Acompanhada pelo som do violino, eleva a sua voz pelos sons mais trabalhados da noite, despida de sonoridades distantes.

Ao segundo tema, “Há Fado na mouraria” a fusão do fado cantado, com o erudito do piano acompanhado pela voz de Dulce Pontes, delinia já um trajeto a percorrer na noite.

DSC_0112 (Cópia).jpgO “nevoeiro” em Portugal, assente no universo de D.Sebastião, portugaliza o concerto que decorre com umas pitadas de tradicionalismo logo no quinto tema, “Bailados do Minho”. A magia e a energia que só Dulce pontes transmite, torna-se notória nesta altura do concerto. A cantora inicia uma segunda parte no concerto onde o fado é a pérola num palco já completo com os músicos que a acompanham. Com o “Fado das horas”, apresenta os músicos e entra no imaginário lusitano que é o fado.

O fado, esse mesmo “fado”, domina o meio do concerto. É o fado que descontrai a artista antes do tema, homenagem a seu Tío Carlos Pontes, “Sou uma galdéria”, como forma de interiorizar o tema traz uma vivacidade e uma interação com o público que ainda não se tinha verificado.

DSC_0152 (Cópia).jpg“Os coverage estão na moda” diz em tom de brincadeira Dulce Pontes. Fugindo ao alinhamento estabelecido, liberta-se em palco ao som de “yesterday” em versão portuguesa com o titulo “anteontem”. Nesta viagem pelos sons da lusofonia, a revista à portuguesa acaba por marcar presença com a boa disposição e ritmos brejeiros do tema.

Mas Dulce Pontes é inconstante em palco… com o público conquistado, traz ao palco as sonoridades de Martim codax, jogral e compositor Galego-português do século XIII, um tema cantado em gaélico, base das cantigas de amigo popularizadas na idade média em Portugal.

O universo do circo chega em espanhol com o tema “Soy um circo”, com direito a nariz de palhaço. O misticismo surge em tons de vermelho as sonoridades celtas do norte de Portugal, a mescla do tradicional e popular, a dança descalça da artista, que se livra do lenço para encurtar a saia, a influência cigana nos passos e nos movimentos em palco e na vocalização do tema “Folclore”.

Por momentos somos transportados para um universo anarquico sonoro naquele que foi o melhor momento do concerto onde a presença em palco da artista superou tudo o que tinha apresentado até só momento. "Folclore", criada a partir do tema tradicional “Cantiga da Azeitona”, da Cantiga de S. João e Aboio, tenta transmitir o património ancestral do povo português, os costumes e tradições.

DSC_0175 (Cópia).jpgO concerto caminhava para o final ao som dos “Índios da Meia praia” tema de Zeca Afonso que marcou fortemente a parte final do concerto, um tema com uma letra forte e enquadrada numa realidade muito próxima.

DSC_0244 (Cópia).jpg

E como não podia faltar, antes do encore a “Canção do Mar”. Clássico tema da cantora que já percorreu mundo, dispensa apresentações e a sala, em pé, certificou esse sucesso numa ovação final acalorada.

O encore exigia-se e regressa a palco com o tradicional “Laurindinha” num final popular com muita energia e movimento, quer em palco, quer junto do público que foi obrigado a se levantar das cadeiras para acompanhar a cantora.

DSC_0261 (Cópia).jpgMantendo uma agenda parca em concertos, Dulce Pontes protagoniza um excelente regresso com uma casa cheia numa noite de Outono. Dia 17 de Outubro á a vez do Pavilhão Multiusos de Guimarães receber a artista.

 

Galeria de Imagens aqui

Fotografias e reportagem: Paulo Homem de Melo

 

 

 

Electric Man, a estreia a solo de Tito Pires, fundador dos Gessicatrip

Electric Man é Tito Pires, fundador, vocalista e guitarrista dos Gessicatrip, e é também o nome do seu álbum de estreia, composto e tocado integralmente por si, fazendo jus à expressão one man band. Os Gessicatrip surgiram em 2009 como um projecto livre, sem regras na criação de novas músicas. Ao longo dos 5 anos de actividade, foram vários os músicos que enriqueceram o som da banda e permitiram a estadia de Gessicatrip em palco, entre convidados e residentes, sendo Tito Pires a única constante.

eletric.jpgA dificuldade em manter o grupo no activo reforçou a ideia de criar algo sozinho, permanecendo a liberdade de criação que Tito Pires sempre cultivou. Ao longo de um ano, Tito Pires foi realizando diversas experiências sonoras que fervilharam em imensas ideias. No final, tudo se materializou em Electric Man. O nome é proveniente da uma música dos Gessicatrip e, além de evidenciar o formato, transmite também a ideia de continuidade / passagem que não esquece o passado recente. Entre batidas electrónicas, guitarras em loop num jogo criativo de efeitos, sintetizador, devaneios de theremin e voz, nasce um “electro rock”, em muitos momentos dançável. A forma mantém-se livre e sem regras, resultando num som com identidade.

“Electric Man” foi editado dia 2 de Outubro em formato digital.

 

Concertos de apresentação:

Plano B (Porto)

20 de novembro 2015

 

Sabotage Club (Lisboa)

26 de Novembro 2015

“Vinho e Sabores 2015” marcam encontro em Lisboa de 30 de Outubro a 2 de Novembro

Estamos a pouco menos de um mês do arranque do “Encontro com o Vinho e Sabores’, um evento que vai já na sua 16.ª edição e que este ano acontece mais cedo, ou seja, de 30 de Outubro a 02 de Novembro de 2015, como habitualmente no Centro de Congressos de Lisboa, na Junqueira em Alcântara. Da autoria da Revista de Vinhos, esta é a 16.ª edição do maior e mais antigo evento vínico e gastronómico. Como nas edições anteriores os três primeiros dias são para o público em geral, estando a segunda-feira reservada para profissionais ou iniciativas paralelas promovidas por entidades do sector.

_DSC3821.jpgUm evento que surpreende a cada ano e que prima pela introdução de novidades. Este ano, os visitantes do “Encontro com o Vinho e Sabores” vão poder comprar os seus vinhos de eleição junto dos stands dos mais de 400 produtores (e não na loja do evento como nas edições anteriores).

Poderão fazê-lo directamente ou subscrevendo um serviço de entrega ao domicílio, assegurado pela Vinha (www.vinha.pt) e gratuito para compras superiores a 25 euros. Os enófilos vão assim ganhar outra disponibilidade, física e mental, para o convívio directo com os produtores e a degustação dos néctares apresentados, que são mais de 2000.

ECV9Nov2014_15053.JPGÀ semelhança da edição anterior, que foi alvo de um upgrade, o “Encontro com o Vinho e Sabores 2015” volta a ocupar três pavilhões, o que permite aos presentes uma visita mais “desafogada” e cómoda. A porta de entrada dá acesso ao Pavilhão do Rio onde o vinho é “rei e senhor”, tendo contudo a companhia de uma mostra de gins e outros destilados nas galerias superiores. Num segundo espaço vão conviver os sabores, como queijos, fumados, enchidos, azeites, doces, delicatessens e muito mais, com os acessórios de vinho e uma zona lounge, onde os amantes dos verdadeiros prazeres da vida vão poder desfrutar de snacks, de um bom copo de vinho ou, simplesmente, recarregar baterias. O terceiro espaço vai ser o palco de actividades paralelas, como provas especiais, seminários e iniciativas promovidas por entidades do sector.

De destacar o anúncio e a entrega de prémios de três Concursos: o ‘Concurso de Vinhos A Escolha da Imprensa’ (sexta-feira, às 20h00) e o ‘Concurso de Cartas de Vinhos’ (dia 02, às 15h00), ambos organizados pela Revista de Vinhos, e o ‘Concurso Queijos de Portugal’ (segunda-feira, às 15h30), pela Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL).

_DSC4227.jpgUm dos pontos altos deste evento são as concorridas provas especiais, pequenos seminários com provas de vinhos raros ou preciosos, orientadas por especialistas que ajudam a descobrir os segredos de grandes néctares.

O “Encontro com o Vinho e Sabores 2015” está aberto ao grande público na sexta-feira (18h00 às 22h00), Sábado e Domingo (14h00 às 20h00)

 

Programa:

30 de Outubro 2015

18.30h – 20.00h – 25 Anos de Duas Quintas - Histórica prova vertical de uma das maiores marcas portuguesas, por João Nicolau de Almeida.

20.00h – 21.30h – Fonseca, a Prova do Bicentenário - A expressão máxima desta mítica casa de vinho do Porto, por David Guimaraens.

 

31 de Outubro 2015

14.30h - 16.00h – Vinhos Tokay, Hungria, Tokaj Classic - Prova dirigida por um dos casais proprietários da marca, Andras e Phyllis Bruhacs, com a colaboração da Garcias Gourmet.

16.00h – 17.30h – Grandes tintos de 2005 - Um década depois, o melhor desta excelente vindima, por João Paulo Martins

17.30h – 19.00h – Quinta dos Malvedos - Uma das propriedades mas emblemáticos do Douro em vertical de Porto Vintage, por Charles Symington.

 

1 de Novembro 2015

14.30h - 16.00h – Paulo Laureano - O carácter do “terroir” Vidigueira expresso por quem o conhece como ninguém

16.00h – 18.00h – O melhor do Dão - Viagem de uma década pelos vinhos de 12 produtores que ajudaram a construir a região, por Luís Ramos Lopes.

17.30h – 19.00h – O Mundo da Penfolds - A marca mais prestigiada da Austrália mostra-se aos portugueses, por Samuel Stephens, “Penfolds Brand Ambassador”, com a colaboração da Vinalda.