Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festivais: As presenças no Caixa Alfama ’15 (Parte 5)

A 3ª edição do Festival Caixa Alfama volta a celebrar o Fado no coração de Alfama. Em 2013, a Caixa Geral de Depósitos e a Música no Coração reuniram-se no desafio de criar o primeiro grande Festival da música que transporta a identidade e a alma lusa, o Fado. Nasceu assim o Caixa Alfama. Depois de duas edições esgotadas e de uma extensão a Norte com o Caixa Ribeira, o Fado regressa este ano para mais um Caixa Alfama, numa homenagem à cultura portuguesa com os maiores intérpretes do Fado.

 

O Festival Caixa Alfama, regressa assim para a sua terceira edição. Decorrerá durante duas noites,18 e 19 de Setembro, em 10 espaços distintos, contando com a prestação de mais de 40 Fadistas de diferentes gerações que, atualmente, melhor representam, interpretam e divulgam o Fado, elemento genuíno e condutor vivo da cultura e identidade portuguesas.

E porque o Fado não escolhe idades, o Caixa Alfama foi desenhado com o objetivo de chegar a todos os públicos: dos profundos conhecedores de Fado, àqueles que pretendem inteirar-se desta arte maior, ou que só há pouco a vêm descobrindo. As características particulares do Caixa Alfama promovem o movimento e a organização, procurando que o público seja protagonista maior, dando vida às ruas e miradouros do Bairro de Alfama, o mais antigo da capital, local que respira a história do Fado.

 

São estes os palcos desta edição: Palco Caixa, Museu do fado - Auditório, Museu do fado – Restaurante, Palco Casa Ermelinda Freitas, Igreja de São Miguel, Igreja de Santo Estêvão, Palco Caixa Futuro – Sociedade Boa União, Centro Cultural Dr. Magalhães Lima, Grupo Sportivo Adicense, Lavadouro de Alfama.  Vamos dar a conhecer os fadistas que estão presentes no festival.

 

Maria Ana Bobone00-Maria Ana Bobone.jpg

Tem reconhecimento merecido e é considerada uma das melhores intérpretes dos nossos dias. Com formação “académica” em piano e canto, Maria Ana Bobone sabe harmonizar as duas dimensões, respeitando a tradição mas não deixando de, distintamente, inovar. Tem tocado nas melhores salas do país e, tal como cá, também no estrangeiro, pelos palcos por onde vai tocando/cantando, os elogios chovem torrencialmente. Tem seis discos lançados. No último, de 2012, “Fado & Piano”, compôs, escreveu, cantou, tocou ao piano e fez os arranjos de todos os temas que constituem o registo.

Igreja de Stº Estevão

19 setembro 2015 | 22.00h

 

Maria da Fé & Rodrigo00-Rodrigo.jpgMaria da Fé começou a cantar aos 9 anos e a partir daí nunca mais parou.

É uma das artistas portuguesas com mais trabalhos editados, com 30 LPs e 20 CDs nas ruas desde o início da sua carreira e sucessos como “Cantarei até que a voz me doa” serão para sempre cantados por toda a gente.

Rodrigo também começou novo. Incitado pelos amigos cantava de vez em quando de “capelinha em capelinha”. Aos 26 anos, regressado de França, lança finalmente o seu primeiro álbum, “A Última Toirada Real em Salvaterra” e estava lançada uma carreira cheia de sucessos e que promete não parar por aqui. Êxitos como “Fado do 31”, “Gente do Mar” ou “Cais do Sodré” tornaram-no num dos mais queridos fadistas nacionais.

Palco Caixa

18 setembro 2015 | 21.20h

 

Maria João Quadrosmj.jpg

Maria João Quadros é mais um nome que dispensa grandes apresentações. Dedicou a sua carreira àquilo que o Fado tem de mais genuíno, espalhando o seu talento pelas mais prestigiadas casas de Fado da Capital. Foi todo este prestígio, alcançado em tantos anos de trabalho, que fizeram com que nomes como Ivan Lins, Francis Hime, Zeca Baleiro, Chico César, Olivia Byington, mestres da música brasileira, fizessem alguns fados para esta grande Fadista.

Grupo Sportivo Adicense

19 setembro 2015 | 21.00h

 

Nuno de Aguiar

Nuno de Aguiar é um ícone no Fado de Lisboa.

Com mais de 50 anos de carreira, profissionalizou-se após ganhar o concurso “Primavera no Fado”, no Coliseu dos Recreios, depois de várias eliminatórias no “Salão Luso”. De nome próprio Concórdio, é Fadista e poeta de alma e todo corpo, tendo incluído o elenco de espaços como o “Fala”, “Retiro da Severa”, “Forcado” e “Picadeiro”, em Cascais.

Grupo Sportivo Adicense

18 setembro 2015 | 20.40h

 

Os Marialva

Trio de fadistas constituído por Manuel da Câmara, Francisco Martins e Rodrigo Pereira.

Cantam as histórias do campo, dos toiros e das gentes, elevando o fado castiço e tradicional.

Museu do Fado - Restaurante

18 setembro 2015 | 21.10h

 

Pedro MoutinhoPedro Moutinho.jpgPedro Moutinho conhecido primeiramente por pertencer a uma linhagem bastante poderosa no Fado, irmão de Carlos e Hélder Moutinho, foi ao longo dos anos desenhando a sua própria identidade enquanto músico, até se tornar numa referência e num dos maiores fadistas da atualidade. Com três álbuns aclamados pela crítica e um Prémio Amália, Pedro Moutinho guarda já um vasto historial recheado de sucessos. Desde o seu disco de estreia, “Primeiro Fado”, até ao “Encontro”, “Um Copo de Sol”, “Lisboa Mora Aqui” e o seu último trabalho “O Amor Não Pode Esperar”. Tudo isto num só artista, num só músico e numa só voz incontornável na história do Fado.

Escadaria da Igreja de Stº Estevão

19 setembro 2015 | 20.00h

 

Pedro Seabra

Pedro Seabra nasceu no dia 25 de Dezembro de 1991.

Sem nenhuma referência familiar, começou a ouvir Fado aos 10 anos com um disco que a mãe tinha em casa. Em 2008, gravou no estúdio de João Pedro Ruela com Diogo Clemente e Ângelo Freire.

Foi convidado para ter participações em palcos importantes e conquistou as ruas de Lisboa com a sua alma castiça e timbre vocal. Em 2010, foi para Espanha estudar gestão hoteleira onde teve a oportunidade de trabalhar em Marrocos, França e Espanha aproveitando sempre para fazer pequenos concertos. Aos 22 anos regressa a Portugal para interpretar Fado.

Museu do Fado - Auditório

18 setembro 2015 | 20.00h

 

Raquel Tavaresrt.jpgÉ um dos nomes mais reconhecidos do Fado contemporâneo.

Raquel Tavares é Fado imanando eco dele desde os 5 anos de idade. Aos 12 já participa em concursos de fado, conquistando 14 primeiros lugares, entre eles o da mítica Grande Noite do Fado, no Coliseu de Lisboa em 1997. Com o homónimo em 2006, Raquel Tavares vence os prémios Amália Rodrigues e Casa da Imprensa na categoria revelação. Em 2008 sai “Bairro”, registo com 13 faixas, entre originais e versões.

Mas porque o palco é o lugar de Raquel Tavares, tem enchido as melhores salas de uma profusão de países do globo. 2015 é ano de disco e digressão novos.

Palco Caixa

18 setembro 2015 | 22.30h

 

Renato Néné

Renato Néné canta fado desde menino e aos 11 anos editou o seu primeiro disco, “Sou do Fado”.

Agora com 13 anos, prepara o primeiro registo de originais. Também ele, na categoria infantil, venceu o II Grande Prémio Nacional do Fado, organizado pela RTP e pela Rádio Amália.

Palco Casa Ermelinda Freitas

19 setembro 2015 | 20.00h

 

Ricardo Dias EnsembleRicardo-Dias-Ensemble_16JAN2015_2.jpgRicardo Dias Ensemble é constituído pelos músicos de diferentes géneros Ricardo J. Dias (Piano e Acordeão), Ricardo Dias (Guitarra de Coimbra), Bernardo Moreira (Contrabaixo), Ni Ferreirinha (Guitarra Clássica) e José Vilhena (Voz), que renovam surpreendentemente o Fado de Coimbra e as trovas de estudantes, reinventando a canção conimbricense elevando-a para voos estilísticos inauditos.

Trazem pela primeira vez ao Caixa Alfama este género dentro do Fado carregado de história e tradição.

Centro Cultural Dr.Magalhães Lima

18 setembro 2015 | 21.55h

 

Ricardo Silva

Natural de Pombal, começa a tocar guitarra portuguesa aos sete anos de idade, por influência do pai, o seu primeiro grande mestre.

Aos 14 anos estreia-se oficialmente como guitarrista. Desde então, não mais cessou a actividade, acompanhando inúmeros fadistas da região centro. Por esta altura, inicia os seus estudos na vertente de Coimbra, passando pelos mestres Ricardo Dias, Fernando Marques, Bruno Costa, Jorge Gomes e José Santos Paulo.

Em 2004, participa na Grande Noite do Fado em Lisboa, arrecadando o 2º lugar na classe de instrumentistas, vindo a vencer o primeiro prémio em 2005. O seu percurso musical, conta já com a participação em diversos projectos.

Museu do Fado - Auditório

18 setembro 2015 | 21.00h

 

Tributo a Max “Vielas de Alfama”

O Caixa Alfama sabe também homenagear aqueles que foram marcos, ícones, que com o seu traço talentoso e contagiante, marcaram gerações influenciando muitos dos que hoje cantam o Fado.

Max, o madeirense que sonhava ser barbeiro mas acabou alfaiate, foi uma das maiores vedetas, desde os anos 40, da rádio, televisão e teatro, com êxitos como “Noites da Madeira” ou “Bailinho da Madeira”, numa alusão à ilha que o viu nascer, em 1918, e outros imortais como a “Mula da Cooperativa”, “Noite, ”Pomba Branca”, “Vielas de Alfama” ou “Leilão de Mim”.

 

No Caixa Alfama, quatro fadistas nortenhos desfilarão, em jeito de tributo, muitos dos temas inesquecíveis de Max. No palco, Miguel Xavier, jovem vimaranense que promete solidificar-se como um dos grandes intérpretes da nova geração; Aurélio Perry, o mestre, experiente e veterano, fadista que tem percorrido as melhores casas de Fado; Rosita, artista com um percurso dentro e fora de portas, e com um reportório com Fados escritos por nomes como José Cid, António Sala, Tozé Brito, Toy, entre outros; e Paulo Cangalhas, grande fadista que, no seu restaurante em Matosinhos, faz questão de abrilhantar os convivas com noites de Fado inesquecíveis.

No dedilhar das cordas, estarão acompanhados por Miguel Amaral na guitarra, André Teixeira na viola e Sérgio Marques no baixo.

Centro Cultural Dr.Magalhães Lima

18 setembro 2015 | 23.00h

 

Festivais: As presenças no Caixa Alfama ’15 (Parte 4)

A 3ª edição do Festival Caixa Alfama volta a celebrar o Fado no coração de Alfama. Em 2013, a Caixa Geral de Depósitos e a Música no Coração reuniram-se no desafio de criar o primeiro grande Festival da música que transporta a identidade e a alma lusa, o Fado. Nasceu assim o Caixa Alfama.

Depois de duas edições esgotadas e de uma extensão a Norte com o Caixa Ribeira, o Fado regressa este ano para mais um Caixa Alfama, numa homenagem à cultura portuguesa com os maiores intérpretes do Fado.

 

O Festival Caixa Alfama, regressa assim para a sua terceira edição. Decorrerá durante duas noites,18 e 19 de Setembro, em 10 espaços distintos, contando com a prestação de mais de 40 Fadistas de diferentes gerações que, atualmente, melhor representam, interpretam e divulgam o Fado, elemento genuíno e condutor vivo da cultura e identidade portuguesas.

E porque o Fado não escolhe idades, o Caixa Alfama foi desenhado com o objetivo de chegar a todos os públicos: dos profundos conhecedores de Fado, àqueles que pretendem inteirar-se desta arte maior, ou que só há pouco a vêm descobrindo. As características particulares do Caixa Alfama promovem o movimento e a organização, procurando que o público seja protagonista maior, dando vida às ruas e miradouros do Bairro de Alfama, o mais antigo da capital, local que respira a história do Fado.

 

São estes os palcos desta edição: Palco Caixa, Museu do fado - Auditório, Museu do fado – Restaurante, Palco Casa Ermelinda Freitas, Igreja de São Miguel, Igreja de Santo Estêvão, Palco Caixa Futuro – Sociedade Boa União, Centro Cultural Dr. Magalhães Lima, Grupo Sportivo Adicense, Lavadouro de Alfama. Vamos dar a conhecer os fadistas que estão presentes no festival.

 

José Gonçalez00-José Gonçalez.jpgAutor, compositor aos 18 anos grava na Valentim de Carvalho o seu primeiro disco, ainda em vinil, “Fado Lusitano”. Em 1996 grava o seu primeiro CD em Mogofores em casa de José Cid, com produção de José Cid e António Pinto Basto, “Voz do Meu País”.Em 2008 dá-se o encontro musical com Frei Hermano da Câmara. Saem para a estrada juntos com o espectáculo ”Jesus Cristo Anda Na Rua”.

Com espectáculos realizados um pouco por todo o país e no estrangeiro. Novo disco em 2010 com o lançamento de “Viagem P´lo Fado”. Deixa, em 2011 o Alentejo e muda-se de armas e bagagens para Lisboa. Locutor da Rádio Amália, e responsável do Grande Prémio Nacional do Fado da RTP.

Em 2012 marca o decisivo encontro com Jorge Fernando, com quem passa a partilhar muitas noites de música, e conversa, surgindo naturalmente este ultimo como produtor geral do mais recente do artista, “Dia 13”. Para 2015, novo álbum que será escutado no Caixa Alfama.

Igreja de São Miguel

19 setembro 2015 | 21.30h

 

José Manuel NetoJosé-Manuel-Neto1.jpgJosé Manuel Neto é um dos mais virtuosos e reconhecidos instrumentistas da atualidade.

Em estúdio gravou com Argentina Santos (“Argentina Santos”), António Zambujo (“O Mesmo Fado”, “Outro Sentido”), Camané (“Esta coisa da Alma”, “Pelo Dia Dentro”, “Como sempre… Como Dantes”, “Sempre de Mim”), Carlos do Carmo (“Ao vivo no Coliseu dos Recreios: 40 anos de Carreira”, “Fado Maestro”), Ana Moura (“Aconteceu”) e Pedro Moutinho (“Encontro”, “Um Copo de Sol”).

Ao vivo, tem acompanhado gigantes como Carlos do Carmo, Camané, Ana Moura, Aldina Duarte, Cristina Branco ou Mísia. Vai estar no Caixa Alfama para um espetáculo muito especial.

Escadaria da Igreja de Stº Estevão

18 setembro 2015 | 21.10h

 

Júlio Resende e convidadosJúlio-Resende-foto-Pedro-Claudio.jpgComeça a tocar aos 4 anos. Em 2001 deixa o Algarve rumo a Lisboa onde, a par da licenciatura em Filosofia, se aventura pelo mais antigo clube de Jazz da Europa, o Hot Clube de Portugal. Participa em Workshops que o levam a trabalhar com os melhores mestres do Hot Clube, da New School for Jazz and Contemporary Music, da Berklee College of Music, e da Bill Evans Academy durante o tempo que passou em Paris na Université de St. Denis – Paris VIII a estudar Jazz.

Apaixonado pela liberdade da música, Resende vai mais além e arrisca um Dueto (Im)possível com Amália, servindo a voz da diva com o seu piano no tema “Medo”. O resultado é um disco apaixonante, onde a tradição e modernidade convivem em harmonia, onde o património é preservado pela inovação e onde o Fado e a saudade emergem das profundezas do jazz. Júlio Resende irá apresentar o espetáculo muito especial e único “Com Que Voz” com Fadistas convidados para cantarem os temas do disco “Amália por Júlio Resende”.

Centro Cultural Dr.Magalhães Lima

19 setembro 2015 | 21.00h

 

Luis Matos

Nasceu em Lisboa e é a expressão de uma nova geração do Fado. Alfacinha de gema, desde muito novo começou a tomar o gosto pelo canto e o Fado piscou-lhe o olho. Aos 12 já cantava em diversas casas de Fado de Lisboa, tais como “Adega Machado”, “Adega Mesquita”, “Tímpanos”, “Luso”, “Severa” na companhia e amizade de Fernando Maurício. Em 1989, venceu a Grande Noite do Fado na categoria de juvenis. Em 1990, afasta-se do fado, para se dedicar apenas aos estudos. Regressou 14 anos depois, numa mera brincadeira entre amigos e certo é que em 2005, volta a concorrer à Grande noite do Fado no Teatro São Luís, e volta a ganhar, mas na categoria de seniores.

Tem actuado em grandes palcos de Norte a Sul do país bem como pela Europa. Da sua carreira faz também parte a sua prestação num musical, em que recordava dois consagrados fadistas, (Amália Rodrigues e Fernando Maurício). Fez parte do elenco do restaurante “Os Ferreiras”, assim como do “Solar do Tomás” actuando ainda em algumas das casas de fado mais conhecidas como “Marquês da Sé”. Luís Matos é hoje um dos cantores residentes da casa de fado “A Tipóia” e da “Adega Mesquita”. Fadista de profissão, ou “… de corpo e alma” como ele mais gosta de ser referido, começa a tirar frutos do seu esforço com a gravação do seu segundo trabalho “Espelho da Alma”, que traduz o amor que sente mas que seria impossível de exprimir apenas por palavras.

Grupo Sportivo Adicense

19 setembro 2015 | 20.00h

 

Luisa Rocha00000.jpgTendo como mestre António Rocha, Luísa Rocha é agora uma das vozes mais apreciadas do nosso Fado.

Começou o seu percurso aos cinco anos de idade, mas tem o seu o momento chave em 2002, quando começa a ensaiar no Museu do Fado e investe definitivamente na sua grande vocação. Logo nesse ano foi convidada pela grande senhora do Fado, Alexandra para o elenco do prestigiado “Marquês da Sé” e em 2005 foi a vez de Mário Pacheco a convidar para o “Clube do Fado”. Em 2011 editou “Uma noite de Amor” com a chancela de David Ferreira, álbum que teve na música “Dou-te Um Beijo (e Fujo de Ti)”, da autoria de Paulo Carvalho, o seu grande êxito.

Museu do Fado - Restaurante

18 setembro 2015 | 22.15h

 

Marco Rodrigues

marco.jpgMarco Rodrigues, que já venceu, em 1999, um ano depois da sua chegada à capital, vindo de Amarante, a Grande Noite do Fado, tem, ao longo dos últimos 15 anos, solidificado a sua carreira com muitas actuações, dentro e fora de portas, e discos unanimemente elogiados.

Já partilhou o palco com nomes como Mariza e Ana Moura, e há dois anos, depois dos registos “Tantas Lisboas” em 2010 e “Fados da Tristeza Alegre” de 2006, regressou às edições com “EntreTanto”.

Com o último lançamento, Marco Rodrigues assume de forma sublinhada o seu lado autoral, responsabilizando-se pela maioria das composições e pela execução da viola de fado.

Palco Caixa

19 setembro 2015 | 23.00h

Agenda: O Lago dos Cisnes… Russian Classical Ballet

Este Natal, a Classic Stage orgulha-se de apresentar o bailado O Lago dos Cisnes, interpretado pela Russian Classical Ballet, liderada por Evgeniya Bespalova. Uma narrativa encantadora com sumptuosos cenários, maravilhosos figurinos e um deslumbrante leque de melodias que compõem esta grande obra-prima do ballet clássico.lago dos cisnes.jpgO Lago dos Cisnes é considerado o mais espectacular dos bailados clássicos, repleto de romantismo e beleza, é epítome dos bailados clássicos; a coreografia exige dos bailarinos destreza e aptidão técnica na representação das personagens da história. A sua popularidade é por outro lado motivada pela música inspirada de Tchaikovsky, mas também a coreografia inventiva e expressiva de Petipa que, relacionando o corpo humano com os movimentos de um cisne, revela a sua genialidade, o seu potencial coreográfico e criatividade artística.

 

O Lago dos Cisnes narra a história de um príncipe que procura a mulher ideal e vê na figura do cisne a suavidade e o encanto feminino, que o deixam loucamente apaixonado. Mas, na verdade, o cisne é a transfiguração de uma bela princesa encantada, um tema de verdadeira poética romântica.

Preservar a tradição do ballet clássico russo. Esta é a missão da Russian Classical Ballet, uma companhia composta por um elenco de bailarinos graduados pelas mais conceituadas escolas coreográficas, Moscovo, São Petersburgo, Novosibirsk, Perm, Alma-Ata e Kiev e artistas principais em alguns dos mais prestigiados teatros de dança: Mariinsky Theatre, Kremlin Ballet Theatre, Rimsky-Korsakov Saint Petersburg State Conservatory, Novosibirsk Opera & Ballet Theatre e Perm Opera & Ballet Theatre, entre outros teatros, dão corpo a esta companhia que concilia a mestria e experiência de bailarinos Internacionais, com a irreverência de jovens talentos emergentes no panorama da dança clássica.

 

Música: Pyotr Tchaikovsky

Libreto: Vladimir Begichev e Vasily Geltzer

Coreografia: Marius Petipa e Lev Ivanov

Cenografia: Russian Classical Ballet

Figurinos: Evgeniya Bespalova

 

Coliseu (Porto)

28 de novembro 2015 | 21.30h

 

Cine-Teatro Estarreja (Estarreja)

13 de dezembro 2015 | 17.00h

 

C.C.Olga Cadaval (Sintra)

19 de dezembro 2015 | 21.30h

 

Teatro Tivoli BBVA (Lisboa)

21 de dezembro 2015 | 21.30h

 

Agenda: Mamma Mia! estreia em Janeiro no Campo Pequeno

Mais de 54 milhões de pessoas já se apaixonaram pelos personagens, história e música de Mamma Mia!

Escrita por Catherine Johnson, Mamma Mia! é uma divertida história sobre o valor do amor e da amizade. Tem por cenário uma paradisíaca ilha grega e por banda sonora as inesquecíveis canções dos ABBA.

Img_Press_MM.jpgMamma Mia! estreou em 1999 no West End e em 2001 na Broadway. É um dos cinco musicais a ter estado em simultâneo em Londres e Nova Iorque por mais de dez anos.

Verdadeiro sucesso, já foi visto por mais de 54 milhões de pessoas, em mais de 49 produções e 14 línguas. Criado por Catherine Johnson, encenado por Phyllida Lloyd e coreografado por Anthony Van Laast, tem letra e música assinadas pelos ex-ABBA, Benny Andersson e Bjorn Ulvaeus.

 

Música & Letra Benny Andersson & Björn Ulvaeus

Texto Catherine Johnson

Encenação Phyllida Lloyd

Coreografia Anthony Van Laast

Produção Mark Thompson

Desenho de Luz Howard Harrison

Desenho de Som Andrew Bruce & Bobby Aitken

Supervisão Musical e Arranjos Martin Koch

Digressão Internacional produzida para a Littlestar por Judy Craymer, Richard East e Björn Ulvaeus em associação com Universal, Stage Entertainment e NGM.

 

Campo Pequeno (Lisboa)

12 a 24 Janeiro 2016 (3ª a Domingo às 21h / Sábados e Domingos também às 16h)

 

 

 

 

Festivais: As presenças no Caixa Alfama ’15 (Parte 3)

A 3ª edição do Festival Caixa Alfama volta a celebrar o Fado no coração de Alfama. Em 2013, a Caixa Geral de Depósitos e a Música no Coração reuniram-se no desafio de criar o primeiro grande Festival da música que transporta a identidade e a alma lusa, o Fado. Nasceu assim o Caixa Alfama.

Depois de duas edições esgotadas e de uma extensão a Norte com o Caixa Ribeira, o Fado regressa este ano para mais um Caixa Alfama, numa homenagem à cultura portuguesa com os maiores intérpretes do Fado.

 

O Festival Caixa Alfama, regressa assim para a sua terceira edição. Decorrerá durante duas noites,18 e 19 de Setembro, em 10 espaços distintos, contando com a prestação de mais de 40 Fadistas de diferentes gerações que, atualmente, melhor representam, interpretam e divulgam o Fado, elemento genuíno e condutor vivo da cultura e identidade portuguesas.

E porque o Fado não escolhe idades, o Caixa Alfama foi desenhado com o objetivo de chegar a todos os públicos: dos profundos conhecedores de Fado, àqueles que pretendem inteirar-se desta arte maior, ou que só há pouco a vêm descobrindo. As características particulares do Caixa Alfama promovem o movimento e a organização, procurando que o público seja protagonista maior, dando vida às ruas e miradouros do Bairro de Alfama, o mais antigo da capital, local que respira a história do Fado.

 

São estes os palcos desta edição: Palco Caixa, Museu do fado - Auditório, Museu do fado – Restaurante, Palco Casa Ermelinda Freitas, Igreja de São Miguel, Igreja de Santo Estêvão, Palco Caixa Futuro – Sociedade Boa União, Centro Cultural Dr. Magalhães Lima, Grupo Sportivo Adicense, Lavadouro de Alfama.

Vamos dar a conhecer os fadistas que estão presentes no festival.

 

Filipa Cardoso00-Filipa Cardoso.jpgCresceu no bairro típico de Lisboa “Alto do Pina”, recordando dos seus tempo de criança vozes como a de Fernando Maurício e os sons da guitarra portuguesa. Aos 10 anos, cantou em público pela primeira vez num casamento. O dono do restaurante propõe-lhe que cante noutros casamentos e oferece-lhe o primeiro cachet que Filipa recusa, aceitando no entanto o desafio de cantar. Mais tarde, na festa de aniversário da neta de Raul Silva,

Filipa, já com 15 anos, é ouvida em Alfama: na casa típica “Taverna do Embuçado”, onde passou a ser presença diária, e na “Taverna d´el Rey”.

Em 2004, aos 25 anos e depois de ser mãe, acredita que “sem cantar fado a sua vida não fazia sentido” e concorre à Grande Noite do Fado, em Lisboa. Venceu nesta noite, que decorreu no Teatro São Luiz e passou a ser presença notada em casas de fado de referência do país como Arcadas do Faia, Café Luso, Marquês da Sé ou Clube de Fado, tendo ficado como fadista no elenco privativo do Sr. Vinho, da fadista Maria da Fé.

Segue-se também o Teatro de Revista. Em 2005 deve-se assinalar o lançamento, numa edição de autor, do seu primeiro CD, “Fragmento do Fado”. Em 2007, participou no Festival RTP da Canção, num dueto com Edmundo Vieira. A canção “Desta Vez” ficou em 6º lugar. Em 2009, lança o seu segundo álbum “Cumprir Seu Fado”, com a participação de Argentina Santos no tema “Fado da Herança”.

Centro Cultural Dr.Magalhães Lima

19 setembro 2015 | 22.15h

 

Gonçalo Salgueiro011.jpgGonçalo Salgueiro é um fadista de timbre e jeito singulares.

O seu registo tem um travo lírico, distintivo, erguendo-o para uma dimensão rara. Músico, actor e produtor, o artista, no início do novo século, integra, pela primeira vez, o elenco de um Musical de Filipe La Féria, “Amália”, entre 2007 e 2012 participaria em mais 3 produções, “Jesus Cristo Superstar”, “Fado – História dum Povo” e “O Melhor de La Féria”, interpretando “Ai, mourrir pour toi”, em dueto com Alexandra, granjeando sobre si a atenção da crítica e do público.

O seu percurso tem sido feito de muitos concertos, dentro e fora do pais, espectáculos musicais e também de edições discográficas. Em 2002 lança o disco de estreia “…No tempo das cerejas”, uma homenagem sentida a Amália, quatro anos depois chega “Segue a minha Voz” e em 2009/2010 o CD/DVD homónimo “Gonçalo Salgueiro” onde se revela como autor de versos para o Fado.

Em 2014, além dos seus espetáculos a solo, Gonçalo Salgueiro lança-se em mais um grandioso projecto, desta vez em pareceria com a renomeada soprano internacional Elena Mosuc. Juntam Fado, Opera e Musical, OPERFADO, acompanhados por músicos de fado, orquestras e coros, cuja tournée teve a sua estreia na Roménia, com salas esgotadas e criticas abundantemente generosas!

Igreja de São Miguel

19 setembro 2015 | 22.30h

 

Joana Almeida

Joana Almeida tem 17 anos de idade, eleita a vencedora do II Grande Prémio Nacional do Fado (RTP1) em 2015, é dona de uma voz extraordinária que surpreenderá os que ainda não a ouviram

Palco Casa Ermelinda Freitas

18 setembro 2015 | 20.15h

 

Joana Amendoeira000.jpgÉ considerada uma das mais importantes fadistas da “Nova Geração”.

Nascida em Santarém em 1982, participa, em 1995, na Grande Noite do Fado, no Porto, onde ganha o primeiro prémio de interpretação feminina.

Em 1998 desloca-se pela primeira vez ao estrangeiro, onde actua no âmbito do evento “Dias de Portugal”, organizado pelo ICEP na cidade de Budapeste (Hungria). Ainda no mesmo ano, grava o seu primeiro álbum, intitulado “Olhos Garotos”, o que a torna uma das mais jovens intérpretes de fado com discos gravados. Em 2000 edita o segundo álbum, “Aquela Rua”, que recebe as melhores referências da crítica especializada. Enquanto isso, é convidada para as mais prestigiadas colecções discográficas nacionais, como “Novas Vozes, Novos Fados”, “Nova Biografia do Fado”, no disco de homenagem a Moniz Pereira, e participa ainda na banda sonora da série televisiva “Jóia de África”. Em 2003, lança o seu terceiro álbum, “Joana Amendoeira”, trabalho que teve reconhecimento imediato por toda a comunidade fadista, crítica especializada e pelo público.

Depois de um disco ao vivo, chegava agora o momento de fazer um novo disco de estúdio e com temas originais. “À Flor da Pele” foi lançado no mercado retratando um envolvimento intenso e cheio de verdade. Surgiu a ideia de criar um ensemble para se juntar à voz de Joana Amendoeira e ao seu quarteto, formando assim um espectáculo, que viria a estrear na Praça de Armas do Castelo de São Jorge, em Lisboa, no âmbito da Festa do Fado, em Junho de 2008. Em 2010 e com apenas 27 anos de idade, Joana Amendoeira apresenta o seu sétimo disco. “Sétimo fado” marca a vontade da fadista em dirigir a carreira ao assumir pela primeira vez a produção do disco, mas também a edição discográfica e a produção dos espectáculos, através da empresa por si criada, Nosso Fado. “Amor Mais Perfeito” 2012 – Tributo a Fontes Rocha, é uma homenagem a este grande guitarrista, falecido no ano de 2011, aos 85 anos.

Igreja de Stº Estevão

18 setembro 2015 | 23.00h

 

João ChoraJoão Chora.JPGCom um legado com cerca de 30 anos de atividade artística, desde a sua infância que João Chora mostrou o gosto que tem pela música, e rapidamente passou das pistas de dança diretamente para os palcos.

Um artista multifacetado que passou pela música sacra, de baile, popular, ligeira até culminar no Fado, João Chora é um Fadista de ontem, de hoje e do amanhã.

Igreja de Stº Estevão

19 setembro 2015 | 23.05h

 

 

Festivais: Vodafone Mexefest… They’re Heading West, Chairlift e Do Amor…

Vodafone Mexefest 2015… mais 3 confirmações para o Festival.

A Avenida da Liberdade é diferente em novembro. Já em pleno Outono e com o Natal a invadir-lhe cada canto, acalora com o vai e vem de milhares de amantes de música. Hoje confirmam-se They’re Heading West, Chairlift e Do Amor.

00.jpgDe Portugal, os They’re Heading West soam a folk como os melhores. Constituídos por Mariana Ricardo (Minta & The Brook Trout, Silence is a Boy, Domingo no Quarto), Sérgio Nascimento (Deolinda, Sérgio Godinho, Humanos), Francisca Cortesão (Minta & The Brook Trout) e João Correia (Tape Junk e Julie & The Carjackers), fizeram duas digressões na América no Norte, para além dos muitos concertos em Portugal. O disco de estreia sai já em Outubro e conta com convidados de luxo: Ana Bacalhau, Capicua, Frankie Chavez, JP Simões, Peixe, Bruno Pernadas, Nuno Prata, Luísa Sobral, Samuel Úria e You Can’t Win, Charlie Brown. Alguns deles estarão, com toda a certeza, no Vodafone Mexefest, a partilhar muitas das canções dos They’re Heading West.

Chairlift_100_club.jpgOs Chairlift são liderados por Caroline Polachek e a ela junta-se Patrick Wimberly. De Brooklyn, representam no mundo indie o melhor da eletrónica e synth-pop. Com uma música feita de charme, ritmos dançáveis e viciantes, vêm ao Vodafone Mexefest com os dois discos que constituem o seu reportório: “Does You Inspire You” e “Something” e com os novos temas do álbum a ser editado ainda este ano.

0.jpgOs Do Amor são quatro rapazes cariocas que, para além do projeto que agora abraçam com mais vigor, têm vindo a tocar com artistas como Caetano Veloso, Banda do Mar, Rodrigo Amarante, Thais Gulin, entre outros. Com dois discos em carteira, o último chamado “Piracema”, fundem o rock com a música baiana e estilos pouco conhecidos, mas muito latinos como a cumbia, baião, lambada ou carimbo.

 

Vodafone Mexefest… de palco em palco, a Música mexe na cidade.

Mais novidades a anunciar brevemente

 

Festivais: As presenças no Caixa Alfama ’15 (Parte 2)

A 3ª edição do Festival Caixa Alfama volta a celebrar o Fado no coração de Alfama. Em 2013, a Caixa Geral de Depósitos e a Música no Coração reuniram-se no desafio de criar o primeiro grande Festival da música que transporta a identidade e a alma lusa, o Fado. Nasceu assim o Caixa Alfama.

Depois de duas edições esgotadas e de uma extensão a Norte com o Caixa Ribeira, o Fado regressa este ano para mais um Caixa Alfama, numa homenagem à cultura portuguesa com os maiores intérpretes do Fado.

 

O Festival Caixa Alfama, regressa assim para a sua terceira edição. Decorrerá durante duas noites,18 e 19 de Setembro, em 10 espaços distintos, contando com a prestação de mais de 40 Fadistas de diferentes gerações que, atualmente, melhor representam, interpretam e divulgam o Fado, elemento genuíno e condutor vivo da cultura e identidade portuguesas.

 

E porque o Fado não escolhe idades, o Caixa Alfama foi desenhado com o objetivo de chegar a todos os públicos: dos profundos conhecedores de Fado, àqueles que pretendem inteirar-se desta arte maior, ou que só há pouco a vêm descobrindo. As características particulares do Caixa Alfama promovem o movimento e a organização, procurando que o público seja protagonista maior, dando vida às ruas e miradouros do Bairro de Alfama, o mais antigo da capital, local que respira a história do Fado.

 

São estes os palcos desta edição: Palco Caixa, Museu do fado - Auditório, Museu do fado – Restaurante, Palco Casa Ermelinda Freitas, Igreja de São Miguel, Igreja de Santo Estêvão, Palco Caixa Futuro – Sociedade Boa União, Centro Cultural Dr. Magalhães Lima, Grupo Sportivo Adicense, Lavadouro de Alfama.

 

Vamos dar a conhecer os fadistas que estão presentes no festival.

 

Carolina00-Carolina.jpg2014 foi o ano de Carolina.

Estreia-se com um disco homónimo, apresentando-o em aclamados palcos nacionais e internacionais, como o Festival Cultural Europeu em Argel, Festival de Fado de Buenos Aires, e no prestigiado Festival Sete Sóis, Sete Luas, em Itália. De voz fresca como os seus fados, Carolina promete rapidamente transformar-se num fenómeno de popularidade.

O seu primeiro disco, com temas de, entre outros, António Zambujo, tem novo single, já deste ano. Chama-se “Dança” e apresenta na perfeição o registo estético de Carolina

Escadaria da Igreja de Stº Estevão

18 setembro 2015 | 20.05h

 

Cuca Rosetacuca roseta.jpeg

Cuca Roseta é uma das mais aclamadas fadistas da nova geração.

Domina com encanto os temas tradicionais e os originais que vão constituindo os discos em nome individual. “Raiz”, o penúltimo, com produção do gigante Gustavo Santaolalla, desfilou o ano passado pelo Caixa Alfama. A voz cristalina de Cuca Roseta promete maravilhar, tal como no ano passado. Este ano tem trabalho novo produzido por Nelson Motta, gigante que trabalhou com nomes como Elis Regina, Marisa Monte ou Daniela Mercury.

Nesta viagem transatlântica chamada “Riû”, contam-se originais de, entre outros, Jorge Palma, Sara Tavares, Bryan Adams, Júlio Resende e Djavan, com quem canta dois duetos. Um disco que faz um enlace por géneros que vão do fado à MPB

Palco Caixa

18 setembro 2015 | 23.50h

 

Diamantina

É Licenciada em Ensino de Matemática e Ciências da Natureza, profissão que ainda exerceu durante 8 anos mas, a música sempre fez parte da sua vida. Após ter sido descoberta aos 17 anos a tocar viola e a cantar para um grupo de amigos, Diamantina nunca mais abandonou os palcos.

No ano de 2002, e após mais de 10 anos de estrada em espectáculos de música ligeira, descobre uma outra forma de estar na música que a faz também redescobrir o gosto por cantar: o Fado.

Durante dois anos fez parte do elenco do Restaurante Clube do Fado.

Grupo Sportivo Adicense

18 setembro 2015 | 21.45h

 

Diana Vilarinho007.jpgDiana Vilarinho é, aos 17 anos de idade, uma das grandes promessas do fado.

Apesar da idade precoce, apresenta uma maturidade musical surpreendente, fruto de uma carreira iniciada aos 10 anos e da muita tarimba adquirida nos inúmeros concursos de fado amador em que participou (em 2008 foi a vencedora da Grande Noite do Fado no Teatro São Luiz). Já no mercado discográfico, estreou-se aos 12 anos com “Balada da Neve”.

Igreja de Stº Estevão

18 setembro 2015 | 22.00h

 

Diogo Rocha

Diogo Rocha tem 31 anos e é conhecido pela garra e dedicação com que canta o Fado.

Com apenas 12 anos de idade concorreu à Grande Noite de Fado no Coliseu dos Recreios, voltando no Porto, quatro anos depois, na categoria de sénior, a conquistar o primeiro prémio.

Com espetáculos pelo mundo fora, atualmente é voz residente no Casa de Fado Coração da Sé, em Alfama, da qual é proprietário.

Museu do Fado - Auditório

19 setembro 2015 | 21.00h