Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: Os Ménage em Portugal… promoção do disco "The Great American Lie"

Os irmãos Ferreira passaram a sua infância a viajar entre Toronto, Canadá e Portugal, país onde a sua herança e grande parte da família viviam. Por estarem divididos entre o "indoor boredom" no Canadá e a cultura europeia, a linha comum sempre presente em ambos os lados do mundo foi a influência da música a que estavam expostos.

menage.jpgO lar cedo foi preenchido com um kit de percurssão, um teclado e algumas guitarras tradicionais portuguesas. Como muito comum, os jovens cresceram separadamente: Bela seguiu a solo e actuou sempre que possível, desde "open mics" em Nova Iorque a "tours" no Canadá; os irmãos Gabriel e Basílio permaneceram em Toronto e Los Angeles, tocando em várias bandas.

Finalmente os três irmãos reuniram-se e cada um contribuiu com o que todos concordaram ser o que de mais excitante lhes aconteceu desde sempre.

Os anos 2013 e 2014 assistiram ao grande sucesso dos Ménage na América do Norte enquanto a banda esteve em digressão no Canadá e USA, partilhando palcos com os Stone Temple Pilots, Billy Talent e muito mais.

Entraram temas nas playlists da famosa KROQ e foram utilizados em "Degrassi" da BBC 2 no Reino Unido. O ano tornou-se melhor quando os Ménage conquistaram a Melhor Canção Rock do Ano no International Portuguese Music Awards com o seu novo single "Our Time is Now", a editar brevemente em Portugal.

Com o mixer David Bottrill (Muse, Placebo, Peter Gabriel) e o mastering engineer Ted Jensen (Radiohead, Björk, Sigur Rós) do seu lado, esta banda liderada por irmão/irmã está pronta para propagar a sua música inspiradora a um nível internacional através do lançamento duma série de EPs durante 2015.

Este será o modo de substituir o modelo tradicional do álbum e acompanhará a progressão dos Ménage ao longo deste ano.

O primeiro álbum em Portugal será um lançamento especial para o mercado nacional já neste mês de Setembro. “The Great American Lie” consistirá em dois dos quatro EPs esperados em 2015, assim como um ‘bonus track’ intitulado “Black & White TV”, tendo a participação de Jim Barr dos Portishead.

Estará disponível em CD tal como em plataformas digitais e lojas de todo o mundo.

O álbum e os vídeos irão reflectir as situações actuais e o desenvolvimento da banda, envolvendo a sua dedicada base de fãs. "We are Ménage and so are you!" é o lema!

 

Os Ménage alcançaram as rádios locais e nacionais, cobertura de televisão, imprensa, um tema nos "Morangos com Açúcar", a apresentação dum programa na MTV Portugal e reviews excelentes.

Agenda: Da Irlanda para Portugal… Girl Band

Originários de Dublin, os Girl Band são uma coisa rara no universo musical das Ilhas Britânicas.

Uma portentosa banda de noise-rock. Estrearam-se em 2012 com “France 98”, despertando a atenção de certos críticos e algumas publicações, mas sem provocarem o entusiasmo intenso que consagra a recepção das grandes promessas. Esse chegaria este ano com o EP “The Earlier Years”, momento em que o quarteto se abandona aos ritmos (mais e menos dançáveis) da electrónica, sem expulsar a força da bateria e das guitarras.

10700.jpgExactamente, os Girl Band não têm a nada a ver com os The Rapture e excrescências semelhantes. Se pilham alguma coisa ao disco, ao funk ou ao techno, é o esboço de um groove logo arrebatado pela percussão frenética, por nuvens de feedback ou pela voz de Dara Kiely, que parece gritar da rua.

Referências? Há as que têm 30, 25 anos e mais hodiernas, actualíssimas. Nunca mais acabam, vibram nos instrumentos, mas como nas melhores bandas ouvem-se apenas por instantes. De imediato, se recolhem sob as canções e a dinâmica dos quatros músicos. Podia-se, é verdade, dizer o mesmo da música dos Radiohead, mas no som dos Girl Band tal indeterminação torna-se mais excitante, mais juvenil, como o novo disco, “Holding Hands with Jamie” (Rough Trade) tão bem dá a ouvir.

 

Galeria Zé dos Bois (Lisboa)

11 de outubro 2015 | 18.00h

 

 

Festivais: NOS em D'Bandada... The Weatherman

The Weatherman é Alexandre Monteiro, natural de Vila Nova de Gaia. Considerado a revelação da música pop portuguesa em 2006 através de diversos artigos de opinião.

Alexandre “pegou” pela primeira vez numa guitarra aos 14 anos, mas antes disso, cantou num coro e teve algumas aulas de piano. Finalmente, aprendeu a tocar as músicas das suas bandas favoritas, mas pareciam ser demasiado difíceis e não resolviam o vazio que sentia frequentemente. A única solução parecia ser escrever as suas próprias canções.

E resultou! Quando criava canções, sentiu-se finalmente realizado.

the weatherman.jpgApós várias experiências em diversas bandas locais, editou o seu primeiro álbum, “Cruisin' Alaska”, em 2006, no qual toca todos os instrumentos. O álbum foi muito bem recebido e recebeu boas críticas um pouco por todo o lado. ”People Get Lazy" foi o single retirado do álbum e consegue presença regular nas playlists de diversas rádios nacionais, assim como os temas "If You Ony Have One Wish" e "About Harmony".

a0328901382_10.jpgEm plenas gravações do disco, o músico resolveu tirar alguns dias e, segundo o próprio, foi procurar inspiração numa estância de Ski em Espanha. Lá chegou à conclusão que a sua inspiração aparece quando pensa em situações imaginárias, mesmo que muitas delas sejam um aglomerado de experiências pessoais, por isso aproveitou as características do sítio para se imaginar num outro idêntico, mas estrategicamente mais distante: o Alaska.

a1725892687_10.jpgEm Março de 2009, edita o seu segundo álbum “Jamboree Park At The Milky Way”, desta vez, recorrendo a músicos da Academia de Música de Espinho, o local onde o disco foi gravado. Há cordas, metais, sopros... e muitas cantorias. “Chloe's Hair” foi o primeiro single de avanço do álbum.
O videoclip feito para este primeiro single foi realizado por André Tentúgal, um jovem realizador português que se tem destacado no panorama nacional dentro deste género, tendo já trabalhado com vários projectos musicais bastante relevantes no panorama nacional (X-Wife, Old Jerusalem, Mind da Gap, Sizo, etc.). Conhecido por tentar, sempre duma forma bastante experimental, colorir com imagens as músicas que lhe são propostas, o seu trabalho tem-lhe dado posições de destaque em alguns dos mais importantes festivais de cinema em Portugal.

Neste vídeo, recorreu pela segunda vez à sua máquina fotográfica e traz-nos um vídeo de animação onde dois mundos se cruzam: o imaginário de The Weatherman e a vida real de Chloe, uma jovem rapariga que presa à sua própria beleza se vê isolada num mundo vazio, seco e estéril. Um conceito simples para um vídeo que vive sobretudo da suavidade com que as imagens, de uma extrema delicadeza, flutuam ao ritmo da música.

 

Segundo Alexandre Monteiro: “Este disco reflecte uma procura de algo que sugerisse uma associação entre algo ligado à terra (o lado mais folk da minha música) e uma ideia de exploração espacial. Pode-se dizer que o disco tem um pé na terra e os olhos postos no espaço.” Trata-se dum álbum pensado para ser tocado ao vivo. “Acho que vai resultar bem em espaços grandes porque as músicas são empolgantes. As canções que escrevi para este disco são autênticos hinos em potência. É uma espécie de cançoneteiro para ser entoado em qualquer acampamento com vistas privilegiadas para o espaço sideral.”

 

Enquanto "Cruisin' Alaska", o primeiro álbum, tinha uma forte toada electrónica de laboratório, o novo disco nasceu pensado para soar como se fosse tocado ao vivo.

a3913764867_10.jpgEm 2012 regressa aos discos com o single “Proper Goodbye” e em finais desse mesmo ano edita o seu terceiro álbum “Weatherman. O disco contou com as colaborações de Nuno Sarafa na bateria, Rui Maia (X-Wife) nos temas "Proper Goodbye" e "I've Come Home", Diana Martinez, Marco Nunes, Alberto Índio e João André.a3706633573_10.jpgO single de apresentação do álbum foi “FAB”, um tema pop bem o estilo do britanico que carateriza este terceiro disco de Alexandre Monteiro. “It Took Me So Long”, em dueto com Emmy Curl, foi o segundo single do disco a ser editado. Neste terceiro disco, o cantautor portuense aborda o amor "nas suas múltiplas vertentes" e diz "procurar lugares reconfortantes como processo de auto conhecimento", num registo que apresenta como o mais autobiográfico até agora

a2439017615_10.jpga4045424927_10.jpg

Em finais de 2014, The Weatherman junta-se à editora recém formada no Porto Sister ray, e o single de Natal com uma canção de Natal com referência à Cidade Invicta e a uma das suas principais ruas, a Rua de Santa Catarina, é o single de estreia da Sister Ray (SR 001). A música esteve a cargo de Alexandre Monteiro e a letra é de Ricardo Salazar, mentor da editora.

 

O dia 30 de Junho de 2015 marca o lançamento de “Ice” o mais recente single de The Weatherman. Dia 12 de Setembro é um dos 70 artistas presentes na edição de 2015 do NOS em D’Bandada.

 

The Weatherman é um defensor do psicadelismo como meio para o encontro espiritual, estuda Timothy Leary, lê Allen Ginsberg.

Festivais: Misty Fest 2015 já com cartaz completo

Mísia, Rui Massena, Dom La Nena e Maria Mendes são as últimas confirmações no cartaz da edição 2015 do Misty Fest, que regressa aos palcos nacionais já em novembro próximo.

massena.jpegA cantora portuguesa Mísia tem atuações agendadas para o Teatro Aveirense, por onde vai passar a 6 de novembro, e ainda no Cinema São Jorge, em Lisboa, que recebe a artista no dia 14 do mesmo mês. Nos mesmos dias, o Teatro Municipal de Vila do Conde e o Teatro Aveirense, respetivamente, recebem os concertos de Rui Massena, que continua a apresentar o seu álbum de estreia, “Solo”.

Dom La Nena sobe, a 3 de novembro, ao palco do Salão Brazil, em Coimbra, atuando no dia seguinte em Lisboa no CCB. Nos dias 6 e 7 de novembro, é a vez de Maria Mendes se apresentar no CCB e na Casa da Música.

Estes nomes juntam-se, no cartaz do festival, aos anteriormente anunciados como Lenine, Iron & Wine, Mayra Andrade, Dead Combo e Cinematic Orchestra.

 

A Glam Magazine à semelhança da edição de 2014 vai acompanhar de perto a edição de 2015 do festival.

 

Aqui fica a programação completa da edição 2015 do Festival Misty Fest:

 

Lenine:

7 Novembro – CCB, Lisboa

10 Novembro – Casa da Música, Porto

Iron & Wine:

1 Novembro – Tivoli BBVA, Lisboa

2 Novembro – Casa da Música, Porto

Dom La Nena

3 Novembro – Salão Brazil, Coimbra

4 Novembro – CCB, Lisboa

Mayra Andrade

4 Novembro – Coliseu do Porto

5 Novembro – CCB, Lisboa

7 Novembro – CAE, Figueira da Foz

Dead Combo

6 Novembro – CCB, Lisboa

Rui Massena

6 Novembro – Teatro Municipal, Vila do Conde

14 Novembro – Teatro Aveirense, Aveiro

Maria Mendes

6 Novembro – CCB, Lisboa

7 Novembro – Casa da Música, Porto

Cinematic Orchestra

7 Novembro –Theatro Circo, Braga

8 Novembro – CCB, Lisboa

9 Novembro – Casa da Música, Porto

Mísia

6 Novembro – Teatro Aveirense, Aveiro

14 Novembro – Cinema São Jorge, Lisboa

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo