Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: O Palácio da Bolsa no Porto vai ser invadido por mitos e monstros

A partir do próximo dia 7 de outubro e até 4 de Janeiro de 2016, o Salão Árabe do Palácio da Bolsa acolhe a exposição Mitos & Monstros, com a chancela do prestigiado Museu de História Natural de Londres.

Aberta ao público de todas as idades, a exposição promete oferecer aos visitantes "uma jornada de tirar o fôlego", através da utilização de modelos com vida própria que ilustram com sons e movimentos as bestas terríveis e as feras gigantes que povoam o nosso imaginário.

MM2015-mupi.pngPrometendo olhar para cada criatura a partir de uma perspetiva mitológica, histórica e científica, a exposição garante que vai revelar a origem de Yeti, mais conhecido como o Abominável Homem das Neves, cujo couro cabeludo foi descoberto por Sir Edmund Hillary durante as expedições ao Tibete, na década de 1960. O público poderá também também ver o Dragão, que no Ocidente muitas vezes representa o mal e no Oriente é creditado com poderes benéficos, o Unicórnio, com a sua história complexa de magia e poderes, o temível Ciclope, de um olho só, e o incontornável Mostro de Loch Ness.

 

Palácio da Bolsa (Porto)

7 de Outubro a 4 de Janeiro 2016

Agenda: “Eros e Psique” a dança em Ponte de Lima

Este sábado, dia 3 de Outubro, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, reabre as suas portas para a nova temporada com o espectáculo de dança contemporânea “Eros e Psiquê”, pela Companhia de Dança Contemporânea de Évora, que promete deliciar o público com uma das mais aclamadas produções dos últimos tempos em termos de dança contemporânea, com reconhecimentos a nível nacional e internacional, pelo que se trata de uma oportunidade única para assistir ao que de melhor se faz em Portugal na área artística em causa.

Divulgação 3.jpg"Num Universo do subconsciente, num ambiente onírico desenvolve-se a história de amor de Eros e Psiquê.

Duas personagens etéreas.

Uma história de paixão, entrega confiança, força e fidelidade.

Um caminho para o autoconhecimento e amor verdadeiro...

Uma dupla personalidade que gera opressão de sentimentos e uma essência que procura constantemente evidenciar-se.

A luta entre as duas personalidades e o abandono e o despojar de um ego, que leva ao verdadeiro encontro entre o amor e a alma.

O sonho como realidade, o pensamento suspenso e a liberdade de escolha, o poder voltar a esse momento...

 

Um poema...

 

Eros é representado na mitologia grega como o deus do amor e Psiquê representa a alma. A história tem tido recorrente atualização ao longo da História e tem sido utilizada pelos estudiosos para simbolizar o desenvolvimento da alma, um percurso para o autoconhecimento e descoberta do verdadeiro amor.

Nenhum herói se faz sem provar a sua coragem e convicção.

Eros e Psiquê é história de uma heroína que demonstra ao longo de toda a ação que através do esforço e perseverança consegue atingir os seus objetivos

Os corpos rasgam o espaço através da projeção do gesto, o toque entre os corpos geram viagens sensoriais que elevam o pensamento.

A imagem plástica e cromática é ampliada pelo desenho de luz de Paulo Graça remetem-nos para uma dimensão superior, um lugar onírico onde só as almas se tocam. Os figurinos de José António Tenente inscrevem os personagens numa atmosfera teatral, num ambiente marcado pela linguagem do contemporâneo, preenchida musicalmente pelas sonoridades de Dobrinka Tabakova, Eugene Ysaÿe e César Viana.

Os bailarinos através da sua interpretação tornam o sonho da lenda de Eros e Psiquê, numa realidade mitológica, numa realidade contemporânea.

A postura do corpo em movimento, a estrutura dramatúrgica experimenta uma linguagem cénica próxima da Tragédia Grega."

Divulgação 1.jpgDirecção e Coreografia: Nélia Pinheiro

Bailarinos: Gonçalo Andrade, Fábio Blanci e Nélia Pinheiro

 

Teatro Diogo Bernardes (Ponte de Lima)

3 de Outubro de 2015

Agenda: Sara Paço no Moche Impact Zone

Sara Paço, a cantora portuguesa que tem dado que falar aquém e além-fronteiras por ter encantado o júri do célebre programa de talentos musicais The X Factor UK, vai animar, no próximo domingo, dia 4 de Outubro, o palco Mega Hits do Moche Impact Zone, que tem lugar na Praia de Carcavelos.

sara paço.jpgA trabalhar afincadamente em Londres, onde prepara o seu segundo álbum, Sara Paço faz uma breve passagem por Portugal, para participar neste evento que junta as melhores surfistas do mundo no Cascais Women’s Pro, a par do Allianz Billabong Pro Cascais, evento QS10,000 Masculino da World Surf League (WSL). De referir que Sara Paço é uma apaixonada pelo Surf e uma praticante assídua da modalidade.

Para Sara Paço "este concerto é tudo o que preciso neste momento. Uma pausa na vida agitada de Londres. O mar, a música, o sol e o surf... Que saudades! Vai ser óptimo regressar para dar um lindo concerto neste evento que junta a elite do surf feminino. Acho que vou estar como um peixe na água."

 

O Moche Impact Zone é uma área de entrada livre, que junta desporto e música e que desde o dia 22 de Setembro tem sido palco de demonstrações de Skate, Slackline, BMX e Inline. Dispõe também de uma rampa vert e um percurso de street, instalados junto à praia e que estará a funcionar até ao próximo dia 4 de Outubro, último dia do evento.

A atuação de Sara Paço está agendada para as 18.15h, no palco Mega do Moche Impact Zone

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Festivais: Vodafone Mexefest | Márcia, Petite Noir e Benjamim

Márcia é uma das melhores vozes da música pop portuguesa. Depois de “Dá” em 2010 e de “Casulo” editado em 2013, a autora e intérprete voltou este ano com “Quarto Crescente”.

marcia (2).jpgO disco contou com a produção de Dadi Carvalho, músico de créditos firmados, mais reconhecido pelo seu trabalho como produtor com nomes como Marisa Monte, Tribalistas, Carminho, A Cor do Som ou Caetano Veloso. Gravado entre Lisboa e o Rio de Janeiro, o magnífico “Quarto Crescente” conta com colaborações de luxo como Criolo, Vinicius Cantuária, entre outros. O registo é de uma beleza infalível, imenso de palavras que se arrumam em melodias pensadas e tratadas ao pormenor, variado de ritmos e que, com toda a certeza, figurará nas listas dos melhores do ano.Yannick Ilunga.jpgO africano Petite Noir, nascido Yannick Ilunga, estreou-se com o diso “La Vie Est Belle / Life Is Beautiful”. Numa fusão moderna e estilisticamente criativa de géneros, Petite Noir junta a eletrónica ao R&B, com arranjos Pop e, claro, temperados pelo sabor de áfrica. Um dos discos mais surpreendentes de 2015 no Vodafone Mexefest.

ND-benjamim.jpgLuís Nunes não é mais, nas coisas da música, Walter Benjamin. Agora, para dar nome às suas criações cantadas em português, temos Benjamim. “Auto Rádio”, o disco saído no passado dia 18 de Setembro, é já um sucesso pop com reconhecimento radiofónico e que soa com extraordinário entusiasmo nos muitos palcos por onde tem passado. Antes da edição, Benjamim levou as suas canções por 33 lugares diferentes e agora é tempo de estacionar na Avenida da Liberdade para o Vodafone Mexefest.

 

Vodafone Mexefest. De palco em palco, a Música mexe na cidade.

Mais novidades a anunciar brevemente.

 

Já Confirmados:

Akua Naru; Anna B Savage; Ariel Pink; Benjamim; Benjamin Clementine; BLOCO: Tropkillaz, Karol Conka, Mahmundi; Bully; Chairlift; Da Chick; Do Amor; Ducktails; Georgia; Márcia; Patrick Watson; Peaches; Petite Noir; Selma Uamusse; Seven Davis Jr; They’re Heading West, The Parrots; Titus Andronicus; Villagers

 

Fotografias: Paulo Homem de Melo (Marcia & Benjamim) / Beowulf Sheehan (Petite Noir)

 

The Tallest Man on Earth agenda concerto em Lisboa para 2016

Kristian Matsson, mais conhecido pelo nome de palco The Tallest Man on Earth, traz a Lisboa o seu novo álbum “Dark Bird is Home”. O cantor e compositor sueco irá apresentar o seu quarto registo de originais com um concerto único no Armazém F, dia 6 de Fevereiro de 2016.

The Tallest Man on Earth.jpg“Dark Bird is Home” sucessor de “There's No Leaving Now”, editado em 2012, foi apresentado ao público em maio deste ano. Este disco, considerado o mais pessoal de todos os seus registos de originais, conta com novas sonoridades introduzidas de forma suave, num evidente novo mundo de instrumentos, que regista guitarra eléctrica, bateria, coros gospel, piano, trompetes e clarinete.

 

Apesar dos novos apontamentos, é a força da voz e das histórias de Matsson que continuam a marcar e a diferenciar os seus registos de estúdio.

 

Aula Magna (Lisboa)

6 de Fevereiro 2016 | 21.00h

Agenda: Romances: Apenas o amor… Aldina Duarte

Este concerto no Grande Auditório do CCB é o primeiro e único concerto da fadista. Será um local de afetos, determinantes enquanto fadista, refere a cantora.aldina.jpgAldina Duarte vai estar acompanhada pelos músicos José Manuel Neto, Paulo Parreira e Rogério Ferreira.

Junto em palco, a fadista conta com a presença de Camané, Carlos do Carmo e Maria da Fé. Os Dead Combo marcam igualmente presença neste concerto especial, como forma de agradecimento ao Pedro Gonçalves pela produção do último disco de Aldina Duarte “Romance(s)”

 

“É um concerto criado a partir do meu mais recente disco, com o mesmo nome. O amor e o desamor são alguns dos grandes temas de sempre do meu fado; porém, neste espectáculo é radicalmente o único tema. “Afinal, quem, ou o quê, na vida não passa pelo amor?” Mais coisa, menos coisa, eu diria que tudo.”

Aldina Duarte

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

3 de Outubro de 2015 | 21.00h

Discos: Les Crazy Coconuts editam… “Les Crazy Coconuts”

E foi assim que começou… No campismo de Paredes de Coura dois amigos decidem que vão fazer uma banda. Ela faz sapateado, ele toca bateria. Não fazia grande sentido e faltava ali qualquer coisa. Convidam um terceiro que canta e toca guitarra e teclas. Estão três que foi a conta que deus fez.

lcc.jpgA ideia inicial era fazer uma banda que fizesse canções sem preocupação de estilos. Até podia haver kuduro progressivo ou metal com ferrinhos, se soasse bem. Depois da estreia na compilação “Leiria Calling”, de serem considerados a melhor banda nacional do Festival Termómetro, de estarem na final do concurso Nacional de Bandas da Antena 3 e de terem rodado por palcos como o NOS ALIVE, Paredes de Coura, o Indie Music Fest ou o espanhol Monkey Week, estreiam-se num disco que é uma viagem sonora (sem pausas) como se fosse uma homenagem ao conceito de programa de rádio de autor.

Se recuarmos às décadas de trinta e quarenta dos Estados Unidos podemos constatar que foram os anos dourados, tanto do sapateado como da rádio, e se há coisa que os Les Crazy Coconuts gostam é de descobrir música nova. Apesar do sapateado ter um impacto sobretudo visual (veja-se um concerto), aqui o trio tenta explorar o conceito de canção e de ritmos, aliando o sapateado a vários géneros musicais, construindo um disco que parece mais uma viagem e menos um conjunto de canções avulsas.

 

Os Les Crazy Coconuts são Gil Jerónimo, Adriana Jaulino e Tiago Domingues e estão muito satisfeitos com o resultado.

 

Dia 3 de Outubro fazem a pré-apresentação no festival “Há Música na Cidade” (evento gratuito que junta dezenas de bandas em vários palcos espalhados pelo centro histórico da cidade de Leiria). O disco sai a 23 de Outubro pela editora de Leiria, Omnichord Records

Discos: MK Nocivo é “O mesmo de sempre”

Com um novo trabalho à porta a ser apresentado no último trimestre deste ano, pela Music In My Soul, MK Nocivo presenteou, no passado dia 7 de maio, o público com o lançamento do single “O Mesmo de Sempre”. Mantendo-se fiel a si próprio, MK Nocivo, revela um single frontal, sincero, transparente e orelhudo elevando deste modo as expectativas relativamente ao álbum que avezinha.

De salientar que no próximo dia 3 de Outubro o artista estará no Warehouse para mais uma batalha da Liga Knock Out.

MKNocivo_FotoPromocional.jpgO interesse de Jorge Rodrigues pelo Hip Hop despertou em 1998, depois de ouvir o clássico "It’s Like That" dos RUN DMC, e a sua primeira paixão foi o graffiti. Mas só em 2004 é que começou a escrever rimas e a produzir. A vontade de evoluir e aprender era enorme, assim como o sonho de possuir um registo em nome próprio. Ao longo dos anos, foi criando faixas soltas, organizando uns concertos e juntando dinheiro para o seu primeiro registo a solo, "Capítulo Obsceno", que saiu em 2007. O dinheiro obtido com esse trabalho deu para comprar algum material e montar um home studio e, a partir daí, editou várias mixtapes que disponibilizou online para download gratuito.

 

O projeto MK Nocivo nasceu, oficialmente, em maio de 2004 e o primeiro concerto aconteceu em outubro, no Dia Mundial da Música, no Teatro Municipal de Bragança. Em termos de discografia, conta já com inúmeros trabalhos e colaborações. Além disso, foi vencedor do Rock Rendez Worten 2008 e finalista do concurso de bandas Sumol Summer Fest, em 2014.

 

“A excepção à regra, a prova que do nada nasce tudo” é como o próprio MK Nocivo se define. Isso mesmo poderá ser confirmado aquando da edição do seu novo álbum, “PRO DOMO – Em Causa Própria”, que está para breve e do qual “O Mesmo de Sempre” é o single de apresentação

Pág. 1/18