Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Discos: Os No Damn Good editam EP de estreia “Burning Down”

Os No Damn Good, são um dos mais recentes projectos nacionais de música, e que escolheram o “Rock” em Inglês para se apresentarem.

No.jpgO projecto nasce em Fevereiro deste ano pelas mãos do guitarrista da banda Jaime Jordán de Urries, após um convite a Renato Espada (também baixista de Pedro Balse e da banda StateSound) para a gravação de um EP.

À falta de vocalista e baterista juntaram-se a irmã do guitarrista, Luísa Jordán de Urries e Artur Ricardo na bateria, formando-se assim o projeto/banda No Damn Good.

Com várias influências musicais, e com um som característico que vai do o pop-rock actual ao hardrock clássico, caso do tema titulo do EP “Burning down”, o primeiro EP da banda foi produzido pelo guitarrista Luís Moreno e está disponível para escuta online através do soundcloud da banda.

Os No Damn Good estão a planear a edição em formato físico que deverá acontecer ainda antes do Natal de 2015.

 

Um projeto interessante que vem mais uma vez demonstrar a grande versatilidade atual da música moderna Portuguesa, que cada vez mais ocupa o seu espaço no espectro musical nacional.

Agenda: The Wild Booze… A primeira banda a tocar no Festival Vodafone Paredes de Coura 2015

Os The Wild Booze, serão a primeira banda a tocar no Festival Vodafone Paredes de Coura 2015. A banda faz parte do roster da Sister Ray, editora do Porto que iniciou oficialmente a atividade a 25 de Abril de 2015. Segundo a editora é um orgulho de ter uma das “suas bandas” presente num Festival como o Paredes de Coura

the wild booze.jpgO Festival, que este ano decorre de 19 a 22 de Agosto, abre o campismo a dia 14 e presenteia os Courenses, e os festivaleiros entretanto já chegados, com uma série de concertos gratuitos a decorrer entre os dias 16 e 18, no centro de Paredes de Coura, no Palco Vodafone Festival Sobe à Vila, ao qual subirão os The Wild Booze, logo no primeiro dia, pelas 22 horas

Sendo os The Wild Booze a mais recente e a mais jovem banda agenciada pela Sister Ray, a sua presença em Paredes de Coura confirma a aposta em novos talentos da música portuguesa, que sempre tem pautado as escolhas por parte da organização do Festival. Recorde-se Belle Chase Hotel, Zen ou Sam the Kid, com os primeiros grandes concertos das respetivas carreiras a acontecerem em Coura ainda nos anos 90 ou mais recentemente os casos dos Mirror People, Moullinex ou Salto.

 

Os The Wild Booze é uma banda formada por jovens de Guimarães, onde se juntaram em finais de 2011, como power trio. A partir do início do ano passado, já sedeados no Porto, consolidaram a formação atual com um som assente no Indie Rock e canções poderosas.Foram vencedores do concurso de bandas de garagem UMplugged, da Universidade do Minho, finalistas do Rockastrus e marcaram presença nos festivais Som Fest, Barca Primavera Fest, Gravel Fest e no Festival Praga, a par de concertos um pouco por todo o país. Lançaram os singles “Morning After” e “Backyard” e em breve será a vez de “LSD”, o qual será o tema de avanço para o primeiro EP, a sair ainda em 2015 já com a etiqueta da Sister Ray.

 

Os The Wild Booze são constituídos por Hugo Leite na Voz/Guitarra, José Freitas no baixo, João Pedro Passos na Guitarra e Pedro Andrade na Bateria.

 

Ainda antes do Festival Vodafone Paredes de Coura, os The Wild Booze tocam em Guimarães, no dia 6, no Barco Rock Fest e depois em Setembro já têm presença confirmada na D’Bandada, no Porto.

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

 

Cinema: 2ª edição de FILMES DO HOMEM - Festival Internacional de Documentário de Melgaço

A 2ª edição do Festival Internacional de Documentário de Melgaço - FILMES DO HOMEM realiza-se este ano de 4 a 9 de Agosto. Além das atividades habituais, o festival conta também com uma secção competitiva para atribuição do prémio Jean Loup Passek e um seminário de verão.

Toda a programação de 2015 será subordinada ao tema Migrações.melgaço.jpgO Prémio Jean Loup Passek, batizado em homenagem ao escritor e crítico de cinema francês que doou parte do seu espólio ao município de Melgaço, propõe-se premiar filmes que reflitam sobre as temáticas da identidade, da memória e da fronteira. Nesta edição será premiada a melhor longa-metragem internacional, melhor curta ou média-metragem internacional e o melhor documentário português.

 

O Curso de Verão é outra das atividades que se estreia na edição de 2015. Esta iniciativa pretende ser um encontro de reflexão e debate multidisciplinar em torno do tema Cinema e Migrações e aproximar abordagens artísticas, tecnológicas e das ciências sociais e humanas, envolvendo Universidades e grupos de Investigação de Portugal, Galiza e Brasil, a comunidade local e a equipa da organização do festival.

À semelhança da primeira edição, o festival FILMES DO HOMEM é organizado pela Câmara Municipal de Melgaço em parceria com a AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual, e pretende promover e divulgar o cinema etnográfico e social, refletir sobre identidade, memória e fronteira e contribuir para um arquivo audiovisual sobre a região. Esta é também uma forma de dinamizar o Museu do Cinema de Melgaço, inaugurado em 2005.

 

Além das atividades que se estreiam nesta edição haverá também espaço para as iniciativas que já se verificaram na 1ª edição: mostras de cinema documental, em sala e ao ar livre, ligadas ao tema das migrações e a residência cinematográfica e fotográfica Plano Frontal, na qual serão integrados alunos de Cinema, Audiovisual e Fotografia para realizarem documentários e projetos fotográficos sobre temas locais que lhes serão propostos.

 

Desde o ano passado que estão a ser recolhidas e digitalizadas fotografias de arquivos pessoais que documentam histórias da emigração. As fotografias eram trocadas entre as famílias dos emigrantes que ficaram em Portugal (Nós Por Cá) e os que partiam para trabalhar noutro país (Por Lá). Assim, a exposição de Fotografia de 2015 consiste em parte do espólio recolhido e intitula-se Nós, por cá e por lá.