Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: Rui Massena em Cascais, ciclo "Verão no Parque"

Apetece dizer, sem presunção e com provas à vista, que Rui Massena é um coleccionador de surpresas.

rui.pngE que o processo aplicado corresponde a um constante auto-desafio, em que o instinto supera a lógica mas não dispensa a técnica, os saberes, as vivências acumuladas. Intimidade e “área reservada” à parte, Massena repudia também o egoísmo, uma vez que o seu trabalho continuado e as suas presenças públicas podem facilmente apontar a uma orientação amiúde esquecida por muitos outros: a necessidade suprema de comunicar. Fazendo-o, invariavelmente, com o entusiasmo de quem faz o que quer e sabe o que faz.

Talvez por isso o vejamos sempre empolgado, quer lhe caiba uma nacionalmente inédita tarefa de direcção no mítico Carnegie Hall nova-iorquino (foi o primeiro português a reger uma orquestra, o New England Symphonic Ensemble, naquela sala de pergaminhos, em 2007) ou orientar aventuras de aproximação ecuménica entre estilos, ormações e escolas musicais, como sucedeu com as colaborações orquestrais que assumiu com grupos pop como os Da Weasel ou os Expensive Soul.

 

Texto: João Gobern

 

Auditório Fernando Lopes Graça, Parque Palmela (Cascais)

1 Agosto | 22.00h

Discos: Rosemary Baby lançam single “Nothing Can Stop Us”

Os Rosemary Baby lançam o primeiro single do seu segundo trabalho de originais. Depois da estreia em 2013 com o lançamento do EP “The First Time” pela NOS Discos, estão a planear o segundo trabalho discográfico e “Nothing Can Stop Us” dá o mote para o que está para vir

rosemary.jpgBruno Rosmaninho, ex-chef de cozinha, durante uma viagem à ilha do Príncipe em São Tomé, pegou numa guitarra e começou a tocar os primeiros acordes deste projecto. Os Rosemary Baby nasceram assim em 2012 com uma música incluída ainda nesse mesmo ano na compilação dos “Novos Talentos Fnac”. Este foi o ponto de partida para que este projecto saísse da imaginação e se tornasse realidade.

 

A banda cresceu, reinventou-se e mostra ao público a primeira música daquele que será o seu segundo álbum de originais, planeado para o verão de 2016 onde quer afirmar-se entre os valores seguros da música nacional.

Esta música é um momento introspectivo da banda. A canção foi escrita para nos lembrar a nós próprios da dificuldade que foi, que é, e que será este caminho que temos para percorrer juntos enquanto família. Misturam-se as vidas, misturam-se os objectivos, mas a força que precisamos está aqui, na música. É esse o sentimento que Rosemary Baby quer passar ao público, de não desistir no momento em que lhes é dito que é impossível lutar pelos sonhos. O sonho só termina quando páras, quando não tens mais forças e esperança

Agenda: Mariza em concerto no Algarve

Nenhum outro artista português desde Amália Rodrigues construiu uma carreira internacional com semelhante sucesso, acumulando êxito após êxito nos palcos mundiais de maior prestígio, referências entusiásticas dos críticos musicais mais exigentes e uma sucessão infindável de prémios e distinções internacionais.mariza.jpgComo sempre, os seus parceiros musicais continuam a ser apenas os melhores: Jacques Morelenbaum e John Mauceri, José Merced e Miguel Poveda, Gilberto Gil e Ivan Lins, Lenny Kravitz e Sting, Cesária Évora e Tito Paris, Rui Veloso e Carlos do Carmo. E o seu repertório, embora permaneça firmemente ancorado no Fado clássico e contemporâneo, expandiu-se para incluir mornas cabo-verdianas, clássicos do Rhythm & Blues e quaisquer outras melodias que lhe sejam queridas.

Nos últimos doze anos, Mariza ultrapassou já de muito longe a fase em que poderia constituir apenas um mero episódio exótico na cena da World Music, capaz de ser substituído por qualquer novo fenómeno colorido que aparecesse num outro canto geográfico do mercado da indústria discográfica. Provou ser já uma grande artista internacional, de forte originalidade e de enorme talento, de quem muito há que esperar no futuro.

A menina de Moçambique criada no bairro popular lisboeta da Mouraria apropriou-se das raízes da sua cultura musical e converteu-se numa artista universal capaz de se abrir ao mundo sem perder a consciência intensa da sua identidade portuguesa. E o público português é o primeiro a reconhecer o seu triunfo e a pagar-lhe com um amor e uma gratidão sem limites.

 

Portimão Arena

1 agosto 2015 | 22.00h

Agenda: Viagem Medieval em Terra de Santa Maria 2015

De 29 de julho a 9 de agosto, Santa Maria da Feira e o seu castelo medieval recuam ao século XIII e ao reinado de D. Afonso III, Rei de Portugal e do Algarve, para a 19ª edição da Viagem Medieval em Terra de Santa Maria.

Passaporte para uma viagem única pelas vivências da Idade Média, a Viagem Medieval proporciona uma completa aula viva de História, onde o visitante também pode participar nos grandes momentos de animação e recriação. Cruzando história, património, animação e gastronomia, a Viagem Medieval oferece produtos turísticos inovadores, como o Bilhete Experiência, que proporciona momentos únicos a quem quer viver o evento de forma mais intensa e sensorial.viagem_2015.jpgConsiderada o maior evento de recriação histórica medieval da Península Ibérica, a Viagem Medieval estende-se por 12 dias consecutivos, no centro histórico de Santa Maria da Feira.

 

Contexto Histórico da edição de 2015 (Séc. XIII - D. Afonso III, Rei de Pportugal e do Algarve)

Enquanto filho segundo, o jovem Afonso, sem pretensões ao trono, decide viver na corte de sua tia D. Branca, em França, colocando-se ao serviço do primo Luís IX. Adquire o título de conde, pelo casamento com Matilde de Bolonha, e transforma-se num grande cavaleiro e num verdadeiro senhor feudal.

Em 1246, o reino português encontra-se em completa anarquia, obrigando a Santa Sé a intervir. O papa retira a governação a D. Sancho II e nomeia governador e defensor do reino o seu irmão, conde de Bolonha, que recebe a coroa em 1248, após a morte do rei.

A vontade de D. Afonso III, o Bolonhês, é, desde cedo, muito clara no que respeita à expulsão dos infiéis do território, à reposição da ordem pública e social e à administração do reino.

Aplacados os conflitos, D. Afonso III investe na conquista do Algarve e com alguma facilidade expulsa os mouros do território. Mais difíceis seriam as batalhas políticas e diplomáticas travadas com seu primo, Afonso X de Castela, que só terminam em 1267, com a assinatura do Tratado de Badajoz, reconhecendo a D. Afonso III o domínio de todo o Algarve. É a partir de 1268 que D. Afonso III se intitula Rei de Portugal e do Algarve.

Em termos de política interna, toma uma série de medidas que vão reforçar a autoridade régia e favorecer o caminho para a centralização do poder e a consolidação da monarquia feudal. Promulga, em 1251, o primeiro decreto régio contra roubos e violências, protege a atividade mercantil e manda fazer inquirições por todo o reino. Em 1254, convoca as Cortes, chamando pela primeira vez os representantes dos concelhos, pois entende que as ordenações, para serem recebidas por todos, também devem ser deliberadas por todos os da Cúria Régia: faz tudo com conselho e nunca te arrependerás.

É também um homem das artes, que absorveu o que de melhor se fazia em França, fazendo da sua Corte um centro cultural de relevo, estimulando a produção da canção trovadoresca e fomentando os romances de cavalaria. Nos últimos anos da sua vida, apesar de doente, resiste aos dissabores fomentados pelos seus bispos, tendo a virtude de partilhar a administração do reino com o seu sucessor e primogénito, o futuro rei D. Dinis.

Discos: Joana Barra Vaz lança single "Tanto Faz"

“Tanto faz” é o primeiro single do album “Mergulho em Loba” de Joana Barra Vaz, a continuação da trilogia f l u m e iniciada com “Passeio Pelo Trilho” de 2012.

O single está disponível para Download Gratuito em www.joanabarravaz.comJOANABARRAVAZ_Tanto Faz.JPGSelma Uamusse partilha a interpretação do tema com Joana Barra Vaz, numa colaboração que surgiu de uma estreita afinidade entre ambas.

O tema, gravado por Bernardo Barata assistido por Diogo Rodrigues nos Estúdio IÁ, Luís Nunes em Alvito, e Joana Barra Vaz na SMUP, tem também a participação dos músicos: David Pires (Bateria, Arranjos ritmo e sopros, coro), Ricardo Jacinto (Violoncelo), David Santos (Baixo eléctrico), Ana Nagy (Coros), Mário Amândio (Trombone), e Gabriel Correia (Trompa); e foi composto, arranjado, e produzido por Joana Barra Vaz, co-produzido por Luís Nunes, e misturado por Tiago Sousa.

O vídeo conta com a participação de: Alexandre Lopes e André Freitas, elementos activos da equipa de Parkour LINE TEAM; da coreógrafa Valeria Caboi com o grupo da Oficina de Criação de Dança Contemporânea da SMUP, MUR MUR (Leonor Pêgo, Xana Lisboa, Susana Contino, Ana Pêgo, Ana Paula Teixeira, Ana Maló, Lorena Querol, Joana Barra Vaz); origamis do JUCA; e retrata ainda os músicos Selma Uamusse, Ricardo Jacinto, e David Santos. Foi co-realizado pela dupla Maria João Marques e Joana Barra Vaz, e parcialmente filmado no local que possibilitou o encontro entre todos os seus participantes — na Sociedade Musical União Paredense, e também na zona costeira onde Joana Barra Vaz cresceu e ainda reside e mergulha.

 

O LP “Mergulho em Loba” tem lançamento marcado para o último trimestre de 2015.