Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festivais: Super Bock Super Rock… O Festival

Após 3 dias de festival, o Super Bock Super Rock conseguiu mobilizar um total de 56 mil pessoas, tendo atingido a sua capacidade máxima de 20 mil pessoas no último dia do evento, dia em que Franz Ferdinand + Sparks e Florence & The Machine subiram ao palco, tendo inclusive a lotação do MEO Arena (palco Super Bock) atingido igualmente a sua capacidade máxima no decorrer destes 2 concertos.001.jpgFalando desta edição, a 21ª edição, e comemorativa do 20ª aniversário do festival, o sucesso ficou garantido ao ser anunciado por parte da promotora (Musica no Coração) a edição de 2016 a decorrer entre os dias 14 e 16 de Julho de 2016 no mesmo local, parque das nações em Lisboa.003.jpgAo longo de 3 dias recolhemos opiniões de várias pessoas presentes no festival, a maior parte delas satisfeita com a mudança do festival para o parque das nações, os mais novos mostravam o desagrado pela falta da praia, das ferias que passavam durante 3 dias mas a julgar pelas afirmações a aposta foi vencedora. Algumas criticas por parte de uma pequena minoria que questionava se o festival naquele local era mesmo um “festival”, ou um conjunto de concertos, que durante o dia eram ao ar livre a mudavam-se para entre portas mais ao final da tarde.

O público mais “velho”, nitidamente agradado, demonstra o seu pleno acordo pelo local escolhido, sobretudo pelo conforto, como fizeram questão de referir, “pode-se ver os concertos sentados no Meo Arena”.002.jpgSem grandes problemas de circulação, sem pó e sobretudo sem grandes confusões, foram uma mais valia para o ambiente em geral. A animação esteve sempre assegurada entre concertos com a exibição dos “Fly Boards” no Rio Tejo e do “jumping” da Caixa junto ao palco Antena 3.

Brindes, passatempos e afins conseguiram igualmente atrair a atenção dos festivaleiros que batalham sempre por uma recordação do evento, desde o simples chapéu às tshirts, etc.

Uma excelente “praça da alimentação” com centenas de lugares sentados e uma diversidade alimentar raramente vista em festivais.005.jpg Finalmente, e falando dos artistas que ao longo dos 3 dias passaram no Parque das Nações, Florence & The Machine sobressai em toda a linha, com lotação esgotada do MEO Arena (Palco Super Bock). Um concerto elaborado ao milímetro, onde a personagem principal, Florence Welch, cria uma empatia com o público através da sua maneira de interagir com os presentes, que fica rendido ao logo de 110 minutos. Perante o concerto de Florence, praticamente ficou para trás o excelente concerto do projeto FFS, que juntou Franz Ferdinand e Sparks.006.jpgAinda no palco Super Bock, Sting logo no primeiro dia conquistou e bem o publico que não enchia o MEO Arena, mas que estava ali para ver Sting a apresentar um “best off” (como já tinha referida em entrevista) da sua já longa carreira. Momentos antes de Sting subir ao palco, Noel Gallagher e os seus High Flying Birds terminavam a atuação em grande com o publico a cantar “Don’t look back in anger” tema dos “defuntos” Oásis, ou talvez não, pois foram os temas da antiga banda de Noel que conseguiram “deitar abaixo” o pavilhão. No segundo dia e também pelos lados do MEO Arena, o Sergio e Jorge conseguiram fazer aquilo que fazem melhor, cantar. Não sendo surpreendente, Jorge Palma acaba por ser o destaque do concerto dos dois veteranos da musica Portuguesa. Pelo meio, dEUS, “desceu à terra”, aquecendo o publico para a banda de Damon Albarn, que ao longo de 2 horas, não 4 ou 5 como muitos desejavam, levou ao rubro o palco Super Bock, basicamente quando recuava e apresentava os clássicos dos Blur.

007.jpgRecuando nas horas, o palco EDP era aquele que mais cedo recebia artistas. Alguns concertos apenas para cumprir calendário, algumas boas revelações e algumas desilusões. Benjamim Clementine, (a grande revelação do festival), Savages, Márcia, Palma Violets e claro a Banda do Mar foram aqueles que realmente marcaram este palco.004.jpgAs bandas portuguesas, foram muitas e o palco Antena 3 era a casa própria para tudo acontecer. Da Chick num dos melhores concertos do festival provou que em Portugal a música esta a mudar… e para melhor. D’Alva e o #batequebate, bateu mesmo no gosto de quem estava nas escadarias do MEO Arena. Thunder & Co., tímidos mas acertivos, conseguiram igualmente animar o festival.

Por último e não menos importante, o palco Carlsberg (Sala Tejo do MEO Arena). A julgar pelo ambiente na sala, muitos festivaleiros não devem ter lá ido durante os 3 dias. Três nomes deixaram a sua marca neste palco, Toro Y Moi, que merecia um palco maior e mais publico, embora estar em palco ao mesmo tempo que Sting era complicado, Criolo, uma boa revelação da última noite e os portugueses Throes + The Shine que conseguiram colocar a sala Tejo a suar.

009.jpgNotas negativas mínimas a assinalar no decorrer dos 3 dias de festival. No primeiro dia os alemães Milky Chance sobem ao palco 8 minutos antes da hora marcada, e algumas criticas, quer por parte do publico e até por Noel Gallagher quando questiona um grupo de VIP’s “Estão agora a chegar do bar?”, ao espaço, não proporcional, destinado aos festivaleiros VIP’s, espaço esse, salvo “muitas” exceções estava sempre vazio.

Até Breve....

 

Texto e reportagem: Sandra Pinho

Fotografias: Paulo Homem de Melo

Festivais: Palco Super Bock no Campismo com cartaz completo (MEO Sudeste)

Faltam apenas 12 dias para a abertura do Campismo do maior Festival de verão e, para além das inúmeras surpresas já anunciadas para este espaço icónico do MEO Sudoeste, volta a reunir-se uma série de artistas que, no palco Super Bock aqui situado de 1 a 4 de agosto, vão pôr todos a dançar e a levar a amizade a sério desde o primeiro dia!meos.jpgEste ano a estrutura que receberá cada um dos convidados chama-se Hexagon. Tem uma área de base de 2,60cm x 2,60cm e encontra-se a 6 metros de altura com um jogo de luzes que agitará ainda mais as primeiras noites do campismo da 19ª edição do Festival.

Por aqui irão passar alguns nomes bem conhecidos dos Festivaleiros:

 

No primeiro dia, a 1 de agosto, os Kiss Kiss Bang Bang. Os DJs são Tiago Correia e Artur Gaio Pinto e a interação com o público é um dos seus melhores predicados. Com eles está prometida uma grande de festa, como sempre.

A dupla Henri Josh e Katorz já tem mais de 10 anos de carreira. Na bagagem, mais de 100 espetáculos juntos em vários países. Em 2014 o seu single "Jump into your Life", atingiu o Top 8 ás 8 da Cidade e também o Dancefloor Chart da MTV. Apresentam o projeto KRASH! dia 2 de agosto no Palco Super Bock.

A 3 de agosto, o DJ Paulo Jorge. Conhecedor da cabine, os seus sets são vibrantes e contagiam por onde passa. As suas noites são sempre cheias de energia, até ao último acorde.

Na já habitual Noite Cidade, dois nomes que vão encerrar em beleza o Palco Super Bock a 3 de agosto: Joana Perez e Rob Willow. Joana Perez, que é já uma das locutoras mais reconhecidas e admiradas da rádio, com uma legião de fãs que seguem atentamente tudo o que faz, terá certamente casa cheia. Rob Willow é o dono do Sunrise da Cidade. Na sua playlist o Hip Hop e o RnB são reis e trarão a festa ao Campismo em vésperas de Noite de Receção.

Outra grande novidade desta edição do MEO Sudoeste é a Milaneza Party no icónico Canal, a praia fluvial dos festivaleiros. A dar música a todos os Festivaleiros, de 3 a 9 de agosto, estará o DJ No Expression. Rui Pedro Moreira de seu nome, estará das 16h às 19h na sua cabine situada num barco preparado especialmente para o efeito, dentro do Canal a agitar as águas, aquecendo aquelas que serão as melhores tardes no maior Festival de verão

 

Cartaz Completo:

 

Palco Super Bock (Campismo)

01/8 – Kiss Kiss Bang Bang

02/8 – KRASH!

03/8 – Paulo Jorge

04/8 – Joana Perez e Rob Willow (Noite Cidade)

 

Canal Milaneza Party

03/8 a 09/8 – DJ No Expression

 

Palco MEO

05/8 - Dimitri Vegas & Like Mike, Kura, Wolfpack (Noite Receção Campista)

06/8 – Calvin Harris, Emeli Sandé, C2C, D.A.M.A, Dengaz

07/8 – W&W, Clean Bandit, Buraka Som Sistema, Carlão, Jimmy P

08/8 – Hardwell, Lil Jon, Regula, Anselmo Ralph, Pérola

09/8 - Steve Aoki, Showtek, Oliver Heldens, Above & Beyond, Quentin Mosimann, Djeff Afrozila (Dia D)

 

Moche Room

06/8 – Juicy M, Jordy Dazz, Mundo Secreto

07/8 – Julian Jordan, Blinders, Yannick Afroman

08/8 – Curadoria Kambas” by Fred com: Mundo Segundo & Sam The Kid, DJ Ride, Mike El Nite, Tribruto, King Kong e DJ Oder

09/8 - Bl3nd, TV Noise, NTS (Dia D)

 

Palco Jogos Santa Casa

06/8 – Diogo Piçarra, ÁTOA

07/8 – Agir, Carolina Deslandes

08/8 – Mundo Segundo, João Só, Alberto Indio

09/8 - Frankie Chavez, Sara Paço, Tom Mash (Dia D)

Discos: Os Mind da Gap andam “Por aí”

Os Mind da Gap voltam ao registo "atenção à diferença" com este novo single / video, "Por Aí".

Soa a algo parecido com uma projecção futurista do melhor que as nossas memórias ainda guardam da era dourada do rap, os 90's. Uma espécie de retro-futurismo à Mind da Gap, sem clichés e sem medo de correr riscos.mind.jpgO som inspira-nos uma viagem psicadélica, que nos soa a estranhamente (mas confortavelmente) familiar e ao mesmo tempo, não deixa de nos surpreender. Os detalhes de produção fazem-nos perceber que os Mind Da Gap andam “por aí”, mas não estão desatentos ao resto da música que se faz hoje em dia.

A letra, ora abstracta, ora cruamente directa, remete-nos para o mundo dos Mind da Gap, de onde observam o "exterior" e onde criam a sua interpretação muito própria daquilo que experienciam. É Mind da Gap típico. Mas ao mesmo tempo, não é.

Esta viagem foi realizada por Paulo Zé Pimenta em colaboração com a Grandpa's Lab, equipa responsável pela projecção e vídeo mapping que dá vida ao estúdio e às alucinações dos Mind da Gap.

 

Meifumado Fonogramas

Discos: O Rock direto e honesto de Ricardo Stoco....

“Tudo Se Parece Com Tudo”…. quem o diz é Ricardo Stoco, naquele que é o seu EP de estreia, editado no passado dia 29 de junho pela Music In My Soul e que tem agora “O Peso” como single de apresentação do mesmo.

O músico, oriundo do Brasil, inicia agora a promoção do seu trabalho nos mercados português e brasileiro.

ricardo stoco.jpgRicardo Stoco conta com uma carreira com mais de 20 anos de experiência, a sua música bebe influências que vão do Rock ao Folk, passando também pelo Punk e pelo Grunge. Desde cedo que começou a compor, tendo passado por alguns projetos de tributo, até que houve um momento em que decidiu trabalhar exclusivamente com material próprio e gravá-lo sozinho.

 

Em Junho de 2015 lançou o seu EP de estreia em Portugal, pela mão da Music In My Soul.

Agenda: WACK levam o seu Hip Hop ao Porto

O Hip Hop dos WACK continua a ser a banda sonora de algumas noites deste verão. O grupo lisboeta vai passar pelo Armazém do Chá, no Porto, já no próximo sábado, dia 25 de julho. Para quem não conhece, os WACK costumam deixar a sua marca nas atuações ao vivo. A promoção ao EP “Sem Pés Nem Cabeça” continua, assim, em marcha.wack.jpgEditado em janeiro pela Music In My Soul, este trabalho tem “Carta de Amor” como single de apresentação.

 

WACK, palavra “hiphopiana” para algo mau ou sem qualidade, é um projeto musical que surgiu de improvisos e discussões sobre preocupações sérias entre irmãos, criados por concertos e festas Hip Hop underground na zona de Lisboa.

Esta fusão de música Rap com Funk, Soul e Jazz nasceu em 2012, após a edição do álbum “Dia e Noite” por TANB e João “Dikas” Paiva (vocalista). A dupla juntou-se a David Neves (DJ Ketzal) e ao produtor/beatmaker Rui “Raw Muzik” Colaço e editou, em 2013, o EP “Contra Fracos Não Há Argumentos”. Este trabalho, simboliza a busca do som WACK e introduziu este projeto nos espetáculos ao vivo.

César Correia (baixista) foi convidado a em 2014, levando consigo Pedro “Mosca” Rodrigues (baterista) para completar a secção rítmica do projeto.

Fruto desta junção, em janeiro de 2015 nasceu o EP “Sem Pés Nem Cabeça”, produzido apenas pela banda e editado pela Music In My Soul. O single de apresentação, “Carta de Amor”, fala sobre uma relação amorosa, cheia de paixão e drama, através de rimas diretas e de um groove entre o romantismo e a desilusão. A sonoridade vem da mistura de gostos pessoais. Os ambientes Jazz, Funk e Rock presentes não fazem com que se perca a verdadeira essência do grupo. Neste EP, pode-se ainda ouvir a voz já indispensável de Joana Campelo.

 

De palco em palco, a família WACK tem vindo a multiplicar-se, provando que estes músicos não são os únicos que não cedem a uma cultura de aparências imposta pela sociedade.

 

Armazém do Chã (Porto)

25 julho 2015 | 22.30h

MTV Video Music Awards 2015…. Os nomeados….

A edição 2015 dos MTV Video Music Awards decorre em Los Angeles, no dia 30 de agosto. A apresentação estará a cargo de Miley Cyrus.

mtv.jpgLista dos nomeados:

 

Vídeo do Ano

Beyoncé – '7/11'

Ed Sheeran – 'Thinking Out Loud'

Taylor Swift feat. Kendrick Lamar – 'Bad Blood'

Mark Ronson feat. Bruno Mars – 'Uptown Funk'

Kendrick Lamar – 'Alright'

 

Melhor Vídeo Masculino

Ed Sheeran – 'Thinking Out Loud'

Mark Ronson feat. Bruno Mars – 'Uptown Funk'

Kendrick Lamar – 'Alright'

The Weeknd – 'Earned It'

Nick Jonas – 'Chains'

 

Melhor Vídeo Feminino

Beyoncé – '7/11'

Taylor Swift – 'Blank Space'

Nicki Minaj – 'Anaconda'

Sia – 'Elastic Heart'

Ellie Goulding – 'Love Me Like You Do'

 

Melhor Vídeo - Hip Hop

Fetty Wap – 'Trap Queen'

Nicki Minaj – 'Anaconda'

Kendrick Lamar – 'Alright'

Wiz Khalifa feat. Charlie Puth – 'See You Again'

Big Sean feat. E-40 – 'IDFWU'

 

Melhor Vídeo - Pop

Beyoncé – '7/11'

Ed Sheeran – 'Thinking Out Loud'

Taylor Swift – 'Blank Space'

Mark Ronson feat. Bruno Mars – 'Uptown Funk'

Maroon 5 – 'Sugar'

 

Melhor Vídeo - Rock

Hozier – 'Take Me To Church'

Fall Out Boy – 'Uma Thurman'

Florence & the Machine – 'Ship To Wreck'

Walk the Moon – 'Shut Up and Dance'

Arctic Monkeys – 'Why'd You Only Call Me When You're High?'

 

New Artist to Watch

Fetty Wap – 'Trap Queen'

Vance Joy – 'Riptide'

George Ezra – 'Budapest'

James Bay – 'Hold Back The River'

FKA Twigs – 'Pendulum'

 

Melhor Colaboração

Taylor Swift feat. Kendrick Lamar – 'Bad Blood'

Mark Ronson feat. Bruno Mars – 'Uptown Funk'

Wiz Khalifa feat. Charlie Puth – 'See You Again'

Ariana Grande & The Weeknd – 'Love Me Harder'

Jessie J, Ariana Grande, Nicki Minaj – 'Bang Bang'

 

Mensagem Social

Jennifer Hudson – 'I Still Love You'

Colbie Caillat – 'Try'

Big Sean feat. Kanye West & John Legend – 'One Man Can Change the World'

Rihanna – 'American Oxygen'

Wale – 'The White Shoes'

 

Melhor Direção Artística

Taylor Swift feat. Kendrick Lamar – 'Bad Blood'

Snoop Dogg – 'So Many Pros'

Jack White – 'Would You Fight For My Love'

The Chemical Brothers – 'Go'

Skrillex & Diplo with Justin Bieber – 'Where Are U Now'

 

Melhor Coreografia

Beyoncé – '7/11'

OK Go – 'I Won't Let You Down'

Chet Faker – 'Gold'

Ed Sheeran – 'Don't'

Flying Lotus feat. Kendrick Lamar – 'Never Catch Me'

 

Melhor Cinematografia

Flying Lotus feat. Kendrick Lamar – 'Never Catch Me'

Ed Sheeran – 'Thinking Out Loud'

Taylor Swift feat. Kendrick Lamar – 'Bad Blood'

FKA twigs – 'Two Weeks'

alt-J – 'Left Hand Free'

 

Melhor Realização

Taylor Swift feat. Kendrick Lamar – 'Bad Blood'

Mark Ronson and Bruno Mars – 'Uptown Funk'

Kendrick Lamar – 'Alright'

Hozier – 'Take Me To Church'

Childish Gambino – 'Sober'

 

Melhor Edição

Beyoncé – '7/11'

Ed Sheeran – 'Don't'

Taylor Swift feat. Kendrick Lamar – 'Bad Blood'

A$AP Rocky – 'L$D'

Skrillex & Diplo with Justin Bieber – 'Where Are U Now'

 

Melhores Efeitos Visuais

Taylor Swift feat. Kendrick Lamar – 'Bad Blood'

FKA twigs – 'Two Weeks'

Childish Gambino – 'Telegraph Ave.'

Skrillex & Diplo with Justin Bieber – 'Where Are U Now'

Tyler, The Creator – 'F****** Young/Death Camp'

Agenda: Alceu Valença finaliza em Sintra digressão nacional

Após dois concertos em Braga e Santa Maria da Feira no início do mês de julho e uma passagem pela Holanda, Festival Viva Brasil, muito bem sucedida, Alceu Valença apresenta o último espetáculo da digressão em Portugal no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, já no próximo dia 24 de julho, sexta feira, pelas 22.00h.alceu01.jpgAo contrário do que aconteceu em janeiro, desta vez, o cantor vem acompanhado pela sua banda formada por Paulo Rafael (guitarra), Tovinho (teclados), Nando Barreto (baixo) e Cássio Cunha (bateria), músicos que fazem parte do ADN do artista e que o acompanham há inúmeros anos.alceu02.jpgA alquimia valenciana condensa a genética da música nordestina, com referências ao xote, o forró, a toada, o coco ou a embolada num caldeirão sofisticado e contemporâneo. Sob esta influência, Alceu apresenta sucessos como “Coração Bobo”, “Cavalo de Pau” ou “Táxi Lunar”.

Se no início da carreira, nos anos 70, dizia-se que seu “Papagaio do Futuro” era a embolada do século XXI, a atual “Embolada do Tempo” mostra o quanto seu criador inquieto permanece atemporal.

Sem perder a forte ligação com a tradição, o cantor recria um módulo de canções de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, pilares da construção da identidade musical nordestina.

 

Seu roteiro poético e sentimental conduz a “Belle de Jour” entre os domingos azuis e as tardes femininas da praia de Boa Viagem, enquanto “Anunciação” reverbera os sinais de uma epifania musical. Pela sensualidade de “Girassol”, o amor ganha contornos explícitos em peles morenas e domingos azuis. Como a Morena do mega sucesso “Tropicana”, a criação valenciana tem “saliva doce e carne de caju”.

alceu03.jpgstes são alguns dos temas que farão parte desta digressão por Portugal num ano que tem sido marcado pela crescente presença de Alceu Valença por terras lusas, além de uma enorme celebração do seu trabalho no seu país de origem, o Brasil.

Nesse sentido, o cantor acaba de ser distinguido no maior evento dedicado à canção popular no Brasil, os Prémios da Música Brasileira, em duas categorias diferentes: Melhor Disco de MPB, por Valencianas (concerto gravado ao vivo com a Orquestra Ouro Preto, apresentado no início do ano em Portugal com duas salas cheias) e Melhor Cantor Regional, pelo álbum Amigo da Arte, inteiramente dedicado aos géneros do carnaval de Pernambuco que conta com a participação da fadista Carminho num dos temas.

Ambos os trabalhos estão disponíveis em Portugal através da editora Lusitanian e com distribuição nacional.

 

Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra)

24 julho 2015 | 22.00h

 

Fotografias (Concerto em Santa Maria da Feira); Paulo Homem de Melo