Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: Dia Mandela…. na Casa da Música

O que têm em comum Jorge Palma, Mónica Ferraz, Richard Dorfmeister, Pedro Macedo, Nuno Delgado, DeROSE ArtCompany, António Mateus e o Comendador DeRose?

Todos se juntarão neste dia especial, por uma causa e para comemorar a vida e o legado de uma das mais marcantes personalidades do nosso tempo - Nelson Mandela.

000.jpgPara tal, a Ordem do Mérito das Índias Orientais vai organizar, na Casa da Música no Porto, as comemorações do Dia Mandela a 18 de julho, evento que é celebrado à escala Mundial pelas Nações Unidas.

“Vamos cumprir o desejo de Mandela de, no seu aniversário, dedicarmos 67 minutos, tantos quantos os anos por ele dedicados à sua causa, para construirmos um mundo melhor.”

As receitas dos espectáculos reverterão para o IPO Pediátrico de Lisboa. Contribua para o bem estar dessas crianças, com a sua presença! Adquira já o seu lugar.

 

Casa da Música - Sala Suggia (Porto)

18 julho 2015 | 21.30h
Jorge Palma, Mónica Ferraz

 

DeROSE Clubbing | Restaurante da Casa da Música (Porto)

18 julho 2015 | 24.00h

Richard Dorfmeiter (Áustria), Pedro Macedo (Soulful Kollektiv)      

Discos: Os Dealema com “A Nossa Visão”

Os Dealema apresentaram hoje o seu novo tema após a edição do último disco "Alvorada da Alma".

dealema.jpg"A Nossa Visão", com produção de Sam The Kid, é o primeiro de 6 temas novos que vão ser divulgados pela banda até ao final do ano, e que antecipam o lançamento de um album comemorativo dos 20 anos do grupo em 2016

 

Festivais: Exposição de fotografia “20 Anos de Super Bock Super Rock” inaugurada hoje.

Duas décadas são uma marca, um acervo solene da Música.

Numa iniciativa da Música no Coração e da Super Bock, com a curadoria da fotógrafa da Blitz, Rita Carmo, estas duas décadas estão espelhadas num conjunto cuidadosamente selecionado de fotografias expostas no pavilhão de Portugal dos fotógrafos Arlindo Camacho, Cameraman Metálico, Carlos Didelet, Joost de Raeymaeker, José Sarmento Matos, José Sena Goulão, Lino Silva, Marisa Cardoso, Marta Sousa Pereira, Miguel Madeira, Miguel Manso, Nuno Ferreira Santos, Nuno Fontinha, Patrícia de Melo Moreira, Paulo Pimenta, Rita Carmo, Salvador Colaço e Tiago Petinga.

sbsr_g.jpgEste ano o Festival conta com a LG enquanto parceiro tecnológico. Assim, para além da seleção de fotografias de todas as edições do Super Bock Super Rock, será ainda possível ouvir um conjunto de sons de arquivo desde a primeira edição reunidos pela Antena 3 e ver em ecrã um conjunto de testemunhos de personalidades ligadas à história do Festival recolhidos com a colaboração da Restart. Mais, num outro ecrã, durante os três dias da edição de 2015, a exposição irá completar-se com fotografias já da edição deste ano.

 

O passado e o presente juntos, numa exposição imperdível com entrada gratuita, patente no Pavilhão de Portugal durante os três dias de Festival, bem como nos três dias anteriores, de 13 a 15 de julho, entre as 14.00h e as 19.00h.

André Tentugal vence Curtas Vila do Conde com "Movin' up" (X-Wife)

A 23ª edição do Curtas Vila do Conde - Festival Internacional de Cinema, terminou ontem, no Auditório Municipal daquele Município, com a atribuição dos prémios nas diferentes categorias.

andre.jpgAndré Tentugal (We Trust) foi o grande vencedor na categoria Vídeos Musicais com “Movin’ Up”, tema que marca o regresso em grande dos X-Wife! No texto que acompanha o vídeo pode ler-se “Um retracto de liberdade, de uma juventude que perde inocência e que rompe com normas. Vemos uma adolescente que, solitária e independente, canta e dança causando estranheza nos seus conterrâneos, através de um percurso que funciona como uma catarse.”

 

Festivais: Mirror People convida António Bastos (Johnwaynes) para o Super Bock Super Rock

O concerto de Mirror People no festival Super Bock Super Rock, dia 16 de julho, vai ter um convidado especial: o produtor, multi instrumentista António Bastos, junta-se em palco a Rui Maia e Maria do Rosário para dar novas roupagens a algumas canções do album de estreia "Voyager".

mirror_pepplo.jpg

A essência de António Bastos é feita de condimentos e especiarias diferentes, ziguezagueando entre o House, Techno, World com algumas pitadas de Disco, Funk ou Jazz.

Esteve ligado ao duo electrónico Johnwaynes com discos em algumas das editoras de música de dança mais prestigiadas, tais como Get Physical, Compost ou Defected Records.

 

“Purgatorial”… Obra poética completa de Fernando Ribeiro com inéditos

“Purgatorial” é todos os ecos de fogo e cinzas dentro da alma humana.

É as feridas e as cicatrizes, os golpes na pele crua a arder de tinta fresca.

purgatorial.jpgFernando Ribeiro revela a amplitude do seu fogo interior, dilacerando palavras no papel branco: um fogo escultor de poemas de sangue e de granito. Eu sou como o homem que fechou todas as portas dentro de si e ficou de fora.

 

Fernando Ribeiro nasceu em 26 de Agosto de 1974. É vocalista, letrista e alma da banda portuguesa de heavy metal e metal gótico Moonspell, sendo também escritor e tradutor.

Cursou Filosofia na Faculdade de Letras de Lisboa e tem tido diversas experiências no mundo literário: traduziu para a língua portuguesa “Eu Sou a Lenda” (I am Legend) de Richard Matheson; publicou um livro de contos, “Senhora Vingança”; e colaborou na edição e tradução dos dois primeiros volumes a obra integral de H.P. Lovecraft, autor de ficção de terror.

Em 2009 fez parte do projeto musical Amália Hoje, que juntamente com Sónia Tavares, Paulo Praça e Nuno Melo, regressou a alguns dos clássicos mais emblemáticos de Amália Rodrigues.

Vive em Lisboa e toca por todo o mundo com os Moonspell, estando neste momento a realizar a digressão do último álbum da banda, “Extinct” (2015). Publicou três livros de poesia, “Como Escavar um Abismo” (2001), “As Feridas Essenciais” (2004), e o “Diálogo de Vultos” (2007).

“Purgatorial” é o seu quarto livro de poesia, que, além dos originais reagrupa a sua poesia completa.

Agenda: O “Auto-rádio” de Benjamim

O escritor de canções que passou quatro anos radicado em Londres voltou para Portugal em 2013 para se instalar no coração do Alentejo sem passar pela sua casa partida: Lisboa.

Veio para escrever canções novas e revolucionar a sua maneira de olhar para o mundo. Construiu o seu estúdio em Alvito e começou a dar vida às novas canções que enchem o seu novo (e agora primeiro) disco “Auto-Rádio”.

bejamim.jpgLuís Nunes, nome de baptismo, voltou pela necessidade de escrever na sua língua, reflectir sobre o seu universo específico, falar sobre as pessoas que existem no seu dia-a-dia sem a barreira da linguagem. Benjamim voltou às raízes.

“Auto-Rádio” é um disco feito para que todas as pessoas consigam compreender. Pessoas que não precisem de ser ensinadas numa outra língua porque lhes basta uma, a que falam todos os dias. Acima de tudo, é um disco em busca da identidade que parecia adormecida mais a norte da Europa, em busca das histórias que não existem em mais parte nenhuma do mundo.

Trata-se de organizar as memórias daquele que é um dos filhos do Portugal colonial, o pai veio de Angola depois de 74, e alia as memórias que lhe foram transmitidas pelos filmes de Super 8 ou pelas longas histórias à mesa, pelo amigo Quinito que passa a vida a falar no dia em que foi enviado para a Guiné para lutar uma guerra que ficava demasiado longe do Alentejo, para falar da crise, do Porto que lhe vem do lado da mãe, do amor, de carros a acelerar pela marginal de uma qualquer cidade e para pôr pessoas a dançar numa quase esquecida vila alentejana e mostrá-lo ao mundo.

 

“Auto-Rádio” é um disco que vai buscar tanta inspiração ao Duo Ouro Negro, à Lena d'Água, ao Chico, ao Zeca como ao Dylan que lhe encheu a juventude de sonhos de uma terra distante, aos Beatles, aos Beach Boys e a todas as coisas que o fizeram mexer.

Benjamim é um pós-modernista e a sua identidade está espalhada por todo o lado. Este é um disco para viajar de carro, em casa ou em qualquer lado que qualquer pessoa deseje.

 

Cineteatro António Lamoso (Santa Maria da Feira)

15 julho 2015 | 22.00h