Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: Jafumega… concerto inédito em Estarreja

A mítica banda rock portuense Jafumega junta-se à Orquestra Filarmonia das Beiras num concerto inédito e exclusivo, no Cine-Teatro de Estarreja no próximo dia 20 de Junho.jafumega-10-1.jpgPela primeira vez em Estarreja e ao lado de uma orquestra, a banda que vincou o panorama rock português nos anos 80 com êxitos elevados a hinos, volta a entrar em cena para celebrar o 10º aniversário da reabertura do Cine-Teatro de Estarreja, num formato especial, exclusivo e inédito, que aventura sonoridades pop/rock na música orquestral.

Uma noite especial, em grande escala, dedicada ao público que, nesta última década, viu o Cine-Teatro de Estarreja crescer e o incluiu nos roteiros culturais nacionais.

“Ribeira”, “Latin’ América”, “Kasbah” ou “Nó Cego”, estas são apenas algumas das canções com que os Jafumega marcaram o rock português nos anos 80. Numa época de grande efervescência para a música feita em Portugal, a banda do Porto vincou o seu nome no cancioneiro nacional.

 

Cine Teatro de Estarreja

20 junho 2015 | 21.30h

Discos: Vamos fazer “Barulho” com o novo single de Capicua

Urbano, noturno, frenético e altamente dançavel… é assim o “Barulho” de Capicua, o seu novíssimo single e vídeo, realizado por Vasco Mendes e filmado entre Porto, Lisboa e Paris com a participação dos bailarinos Lara Laquiz, Hakim Hachouche, Thora Jorge e Hélio Sousa.capicua.jpgAs rimas do novo single de Capicua foram originalmente incluídas num tema do álbum de estreia dos D'Alva “#batequebate”, tendo sido entretanto objecto do tratamento da dupla Razat e Stereossauro para integrarem o alinhamento de álbum “Medusa”, o disco com “algumas remisturas e uma ou outra coisa nova” que Capicua lançou em Março, numa remistura refrescante.

A ouvir….

Discos: “Nada Escrito” o novo disco de Flak

Flak, que conta com uma longa carreira ligada a grupos como os Rádio Macau ou, mais recentemente, Micro Audio Waves, regressa aos trabalhos a solo. O guitarrista apresenta-se agora, em formato “essencialmente” acústico e com acompanhamento “económico”, as canções em português, que tem vindo a escrever nos últimos anos, e que foram gravadas em Setembro último, para constarem deste novo álbum, intitulado “Nada Escrito”.flak.jpeg“Sinto estas canções mais próximas da folk, talvez com algumas pinceladas psicadélicas”, revela o guitarrista e compositor.

 

“Nada Escrito” apresenta 11 temas produzidos pelo próprio, que lhes empresta as suas guitarras e a sua voz, e conta ainda com as participações de Ricardo Frutuoso nas guitarras, que co-produziu o álbum e é também o autor das ilustrações da capa do CD, Nuno Espírito Santo no baixo, Filipe Valentim (Rádio Macau) nos teclados e João Freitas na bateria.

As letras são, na sua grande maioria, assinadas por mais um cúmplice de longa data, Pedro Malaquias. Podemos, no entanto, encontrar também temas com textos de Camões, Cesário Verde e Vítor Lindegaard (Vitinha). O disco é lançado no próximo dia 22 de Junho.

 

O primeiro single retirado de “Nada Escrito” é “Um Céu de Diamante”, canção pop delicada que vem confirmar o que já há muito era sabido: que estamos na presença dum autor e intérprete absolutamente único no panorama da música portuguesa, Flak

Agenda: Música às Quintas – Cineteatro Alba – Mirror People

Mirror People surge no imaginário de Rui Maia, seu mentor, no meio da América durante uma tour com os X-Wife.

rui maia.jpgUm projeto a solo com um universo musical que junta influências do disco-sound dos anos 70 com sons atuais da música de dança. Após algumas canções em editoras influentes como Permanent Vacation, Future Disco e a portuguesa Discotexas, chega agora o álbum de estreia “Voyager”.

Musicalmente variado dentro do universo independente, o disco é o resultado multicultural entre várias personalidades, tendo como foco principal a visão precisa de Rui Maia enquanto produtor e escritor de canções. Rui Maia faz-se acompanhar em palco de Mária do Rosario

Concerto Gratuito no espaço Café Concerto do Cineteatro Alba

 

Cineteatro Alba – Espaço Café Concerto (Albergaria-a-Velha)

18 junho 2015 | 22.00h

Reportagem: A sedução musical de Claudia Franco

Natural de Porto de Mós, Cláudia Franco começou os seus estudos de música com apenas 6 anos de idade. Quando foi para o Conservatório de Artes de Leiria, a música tornou-se algo mais sério na sua vida e viria a “ditar” o seu futuro. No seu percurso formativo musical, passa por Lisboa, pela Escola Jazz Luís Vilas-Boas tirando posteriormente a licenciatura de Jazz na Escola Superior de Música de Lisboa. Cláudia Franco é uma revelação no panorama do Jazz em Portugal.DSC_0584 (Cópia).jpgPertencendo à nova geração de músicos portugueses, Claudia Franco desenvolveu um estilo próprio na sua carreira musical, que assenta num registo suave e sedutor, transmitindo a sua essência através de interpretações em que a entrega se une ao seu talento musical.

Foi essa essência que a cantora apresentou na Casa da Música no passado dia 14 de junho, na apresentação do seu disco de estreia “Soul Dance”, acompanhada com alguns dos melhores músicos de jazz nacionais, Rui Caetano no piano, João Custódio no contrabaixo, Pedro Felgar na bateria, Bruno Santos na guitarra e Ricardo Toscano com o seu saxofone acompanharam em palco a magnifica voz de Claudia.DSC_0563 (Cópia).jpgA cantora já tinha passado no dia 6 de junho pelo Centro Cultural de Belém onde apresentou o seu disco.

DSC_0589 (Cópia).jpgNa Casa da música a cantora apresentou-se numa sala que pecou pelo elevado numero de cadeiras vazias, mas que não conseguiu tirar o brilho e o encanto da cantora.DSC_0553 (Cópia) (2).jpgDurante 80 minutos a voz e a presença sedutora de Claudia Franco, conquistou os presentes. Uma voz “smooth” e cristalina, percorreu ao longo de 14 temas alguns clássicos intemporais, desde “Night and day”, passando pela bossa nova de Tom Jobim até finalizando com o classico “Somewhere Over the Rainbow”.DSC_0596 (Cópia).jpgA interpetação de “The boy next door” foi um dos momentos mais empolgantes do concerto com a sonoridade a lembrar Diana Krall.Pelo meio do concerto, Claudia apresentou perante o publico alguns temas originais incluídos no seu disco de estreia “Soul Dance”.DSC_0611 (Cópia) (2).jpgSimpática e sempre bem disposta, Claudia mostrou em palco porque é uma das melhores vozes atuais do jazz em Portugal.DSC_0568 (Cópia).jpgUm concerto excecional para um final de noite de domingo.

Um nome a reter, e a ter em linha de conta em futuras apresentações musicais. No final uma breve promoção do seu disco de estreia com uma sessão de autógrafos.

 

Reportagem e fotografias: Paulo Homem de Melo

Festivais: Festival Clazz Lisboa 2015

Realiza-se de 17 a 20 de Junho, com o apoio da Camara Municipal de Lisboa e do Museu do Fado, o primeiro Festival CLAZZ de Lisboa.

Este Festival com várias edições já realizadas em Madrid, México e Miami chega agora a Portugal numa co-produção do Mercado da Ribeira – Time Out e da Camara Municipal de Lisboa com a ZERKALO e a Cargo Music de Oscar Gomez, Membro do Board da Academia do Grammy Latinocartel_lisboa.jpgAlém do primeiro Jazz in Fado e do Concerto de Tambores Cubanos fecha o Festival uma grande homenagem a Paco de Lucia e às suas origens portuguesas. A sua mãe Luzia era de Monte Francisco em Castro Marim e o seu nome próprio e artístico deve-o totalmente a Portugal. O espetáculo dos músicos da sua última banda ao vivo tocam temas compostos por Paco de Lucia de homenagem à mãe e a Portugal sobre projeção de imagens filmadas do quotidiano de Castro Marim

 

“JazzinFado – A Origem” :

Júlio Resende Trio com Marco Rodrigues & Maria João

17 de Junho | 22.00h

O Jazz Latino, paradigma da fusão universal de todas as músicas do mundo ocidental, é o espaço sonoro mais heterogéneo que qualquer aficionado às coisas boas não pode ignorar. Agora convidamos o Fado a formar parte desta gigantesca família global. Clazz, o único Festival de Jazz Latino do mundo, na sua primeira edição em Lisboa, apresenta uma fórmula apaixonante de sentir e vibrar com o mistério do Fado: “JazzinFado”. Júlio Resende ao piano acompanhado do seu Trio servindo as vozes de Maria João e Marco Rodrigues