Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Mercado de arte urbana volta a invadir o Edifício AXA em junho

Depois da estreia em dezembro do ano passado, o UP Street Porto regressa à Avenida dos Aliados, com duas edições durante o mês de junho, integradas no programa oficial das Festas de São João do Porto.

Organizado pela Câmara Municipal do Porto, através da PortoLazer, o UP Street Porto tem como objetivo promover a cultura urbana através de uma mostra e venda de trabalhos desenvolvidos pelos principais nomes da street art e da ilustração. Alma, Elleonor, Fedor, Hazul, Godmess, ±MAISMENOS±, KiNO e Third são alguns dos mais de 30 artistas já confirmados para o certame. O valor das vendas reverte integralmente para os artistas.mercado.pngDividido pelos dois próximos fins de semana (12, 13 e 14, e 19, 20 e 21 de junho), o mercado de arte urbana vai decorrer nos pisos 1 e 2 do Edifício AXA. Com entrada livre de sexta-feira a domingo, sempre com início às 17h, o evento prolonga-se até à 1h00 às sextas e sábados, encerrando às 22h aos domingos.

Além de um espaço dedicado à Idiot Mag, revista de cultura e tendências urbanas que ali assinalará o lançamento da sua 4.ª edição, o UP Street Porto marcará o arranque do projeto "Viralata", que pretende potenciar a reutilização de materiais usados na arte urbana (latas de spray e tinta, caps, pincéis, etc.), reformulando a sua função através de um conjunto de ações lúdico-pedagógicas. A par da recolha de resíduos, o projeto propõe-se a criar um depósito onde os artistas possam enviar e colocar os materiais que utilizam.

O mercado propõe ainda uma série de iniciativas paralelas ao longo dos seis dias, entre workshops de ilustração, poster e graffiti, talks, concertos e DJ sets. Todas as atividades tem acesso livre e apenas os workshops requerem inscrição

Festivais: Festival Rock Nordeste 2015

Aos anunciados Black Bombaim, Gala Drop, Throes + The Shine e Batida, juntam-se agora os concertos de Moullinex e peixe:avião.

 

Moullinex, projeto do produtor Luís Clara Gomes que apresenta o novo disco “Elsewhere”, e peixe:avião, singular banda portuguesa que irá recuperar temas do seu aclamado disco homónimo e estrear novas canções ao vivo, marcam presença no Parque Corgo, a 19 e 20 de junho.

Já no campo da música eletrónica, os dj sets de Expander, Magazino, Mr. Herbert Quain e Backbone, nomes curados pela promotora local de eletrónica, Bandit Room, que este ano volta a assumir esta função.

O festival de acesso gratuito assume uma aposta no melhor da atualidade da música moderna portuguesa, dividida entre concertos e dj sets, pelo segundo ano de um novo formato.

A edição anterior levou oito mil pessoas à relva do Parque Corgo para ver nomes como Dead Combo, Capicua, Octa Push, Sensible Soccers ou Steve Parker.

O festival Rock Nordeste é uma iniciativa da Câmara Municipal de Vila Real e conta com produção da promotora de espetáculos, covilhete na mão.

Moullinex-1_Final.jpgMoullinex, alter-ego do produtor português Luís Clara Gomes, a quem já vimos remisturas de gente como Sébastien Tellier, Röyksopp e Robyn, Cut Copy ou Two Door Cinema Club, regressa em 2015 aos discos com “Elsewhere”, uma edição da já conceituada Discotexas. Sucessor do aclamado “Flora”, o novo trabalho foca-se, tanto em termos das letras quanto da música, no mundo dos sonhos, e promete ser um dos discos do ano português.

Enquanto Luís continua a ser requisitado por todo o mundo para atuar, em clubes e festivais ensolarados, seja como DJ ou com Moullinex em formato banda, é nesta última que o veremos em estreia no festival Rock Nordeste.

peixe aviao foto.jpg Peixe:avião

Nascidos no verão de 2007 na cidade de Braga, os peixe : avião rapidamente conquistaram a atenção da imprensa nacional através de um EP promissor. Desde então, a sua carreira tem sido pautada por um crescimento constante suportado pelos álbuns “40.02” em 2008, “Madrugada” em 2010 e pelo recente “peixe : avião” editado em 2013. Considerado 2º melhor álbum do ano pela revista Blitz, “peixe : avião” representa, em vários aspetos, um corte com os registos anteriores da banda, tanto em termos de composição, como na sua sonoridade final.

No festival Rock Nordeste, o coletivo recuperará temas do álbum homónimo e ainda apresentará novas canções.

Batida_Dois_Street_300dpi.jpgBatida

Pedro Coquenão nasceu no Huambo em 1974, mas veio para Portugal com menos de um ano. Primeiro meteu na cabeça que queria fazer rádio e assim foi. Depois, percebeu que faltavam projetos musicais que fizessem a ponte entre a música de Angola dos anos 60 e 70 com as batidas de dança mais apressadas dos dias de hoje e lançou o projeto Batida. Atualmente é presença constante em festivais internacionais e aclamado pela crítica especializada, recebendo recebeu rasgados elogios da BBC, Guardian ou Financial Times.

Os seus álbuns foram internacionalmente pela referente Soundway Records.

gala drop (c) marta pina.jpgOs Gala Drop são uma incansável e em constante desenvolvimento aventura musical, um caso de paixão pela matéria que trabalham, que se inspiram em sons e vibrações de diferentes lugares e épocas, e tentam pelo poder da imaginação transformada em música transmitir-nos esperança num presente coletivo melhor.

Tecedores de uma música original fascinante, inspirada pela inesgotável riqueza dos campos do rock e da música eletrónica de dança, para além da transumância afetiva África-Jamaica celebrada desde o início na identidade da banda, todo o seu caminho até hoje parecia fadado a chegar a "II" o segundo e mais recente disco que os volta a colocar em palco.BlackBombaim(c)Joana Castelo.JPG

O trio Black Bombaim destaca-se na frente da música portuguesa no que ao rock toca. “Saturdays & Space Travels”, “Titans” ou “Far Out”, os três discos que nos deram a conhecer o grupo de Barcelos, possuem uma página no percurso da música instrumental feita no nosso país. A isto, juntemos colaborações com La La La Ressonance, Rodrigo Amado, Isaiah Mitchell (dos norte-americanos Earthless) ou GNOD, e percebemos o porquê de Tojo, Senra e Ricardo visitarem os Estados Unidos em breve: a sua música é universal.

 

Throes + The Shine

O kuduro é um estilo de música e dança amplamente associado com os guetos Angolanos e nascido nos anos 80, quando um grupo de produtores decidiu misturar soca, zouk béton e semba com batidas 4/4. Os Throes + The Shine são um fruto dessa árvore africana que juntam rock a um género que impõe

movimentos frenéticos por natureza. Luanda via Porto que tem conquistado a Europa pelos ritmos criados por Diron, Marco e Igor. “Rockuduro” e “Mambos de Outros Tipos”, os dois discos responsáveis pelo reconhecimento, fundem kuduro, rock e eletrónica em algo único e enérgico.

expander_promo_foto_02.jpgExpander notabilizou-se em Portugal através de um percurso alheio às correntes dominantes, sobretudo associado às novas tendências do techno, e da constante procura de novas abordagens na música eletrónica. Membro fundador da Sonic, mais tarde rebatizada Soniculture. Atualmente é uma das estruturas de referência, na música eletrónica, em Portugal. A qualidade das propostas musicais da Soniculture e o talento de Expander valeram-lhe em 2005 um convite para integrar a conceituada editora, agência e distribuidora Kompakt. Ao longo dos últimos anos tem vindo a atuar em alguns dos mais importantes clubes e festivais mundiais.

Magazino.jpgMagazino

Seja pelo poder de adaptação, lei do mais forte ou persistência audaz, só dos mais hábeis reza a história.

Homem nascido e vivido perto do mar, logo talhado para subsistir, Magazino está presente desde o big bang da música eletrónica de dança dos anos 90. Acompanhado ao ritmo dos quatro por quatro construiu carreira assente num sólido conhecimento musical, reforçado pelo trabalho de produção e edição. Como resultado absoluto, há muito que mobiliza público atrás de si ou do preponderante coletivo bloop recordings.

Mr Herbet Quain.jpgMr.Herbert Quain (ou Manuel Bogalheiro) foi o responsável por uma das mais auspiciosas estreias dos últimos anos. “How I learned to stop worrying and start loving the waiting” editado em 2012, é um trabalho de resgate notório, em que os primórdios de Hollywood são evocados através da estética granulada e uma minuciosa técnica de samplinge micro-sampling. Desde então, lançou mais um LP em 2014, “Forgetting is a Liability”, fez um live act, a convite de Rui Estêvão, baseado na faixa Do Come Home do Legendary Tigerman e trilhou caminho na estrada ao lado de gente como Niagara, Miguel Torga, Moodyman, Andy Burton ou Sensible Soccers, em palcos como o Lux Frágil, Musicbox, Indústria e o RBMA Boiler Room Lisbon.

Backbone.jpg Afonso Esperança é Backbone, um artista natural de Mondim de Basto, com influências musicais bastante ecléticas e diversificadas, tais como, o drum 'n' bass, o jazz, ou o menos conhecido garage. Os seus sets nunca são iguais. Beneficia de uma correta leitura de pista, que o faz deambular entre o house e o techno,ora com grooves e baixos fortes, ora com sonoridades mais melódicas e dançáveis, num misto de imprevisibilidade e coerência musical. Com presenças em clubes de referência, como a Gare Porto, Backbone tem recolhido rasgados elogios por parte da crítica especializada e também do próprio público.

Festivais: Festival Novos Talentos FNAC 2015

O bairro da Graça, em Lisboa, vai ser palco da edição de 2015 do Festival Novos Talentos FNAC, na primeira vez que o certame decide eleger um bairro da capital para divulgar os novos artistas da música nacional.fnac.jpgO evento musical terá lugar no dia 20 de Junho, com início às 15.00h e prolongando-se pela noite dentro. As entradas são gratuitas e sujeitas à lotação dos respetivos espaços.

No Miradouro da Graça atuam os Deolinda, Benjamim e Inês Salpico, no Mercado de Santa Clara (Feira da Ladra) vão estar presentes nomes como Samuel Úria, Chibazqui, Basset Hounds e Old Yellow Jack. Já em ambientes mais intimistas, vão passar pelo bar “Damas”, Mazgani, The Fool Moon Cool, Henrique Amoroso e Toulouse, já pelo “Botequim” de Natália Correia vão tocar as Golden Slumbers e por último na “Galeria Laboratório” poderá assistir a Shcuro e Die Von Brau.

 

Miradouro da Graça

20.45h - Inês Salpico

21.45h - Benjamim

23.00h - Deolinda

Mercado de Santa Clara

19.00h - Old Yellow Jack

20.00h - Basset Hounds

21.00h - Chibazqui

22.00h - Samuel Úria

Damas (Rua da Voz do Operário, 60)

21.30h - Toulouse

22.30h - Henrique Amoroso

00.15h - The Fool Moon Cool

01.15h - Mazgani

Café do Monte (Rua de São Gens, 1)

18.00h - Marco Luz

18.45h - Janeiro

Botequim (Largo da Graça, 79/80)

20.00h - Golden Slumbers

Galeria Laboratório (Rua da Graça, 168)

01.00h - Die Von Brau

02.00h - SHCURO

 

A iniciativa Novo Talento FNAC tem como premissas a liberdade artística e a promoção da diversidade cultural, à margem das correntes, desprendida de estilos e de modas.

Arte: Locomotiva inaugura o projeto Porto Light Experience

A partir desta sexta-feira, 12 de junho, a "Metamorfose" vai ganhar uma nova identidade e dinâmica, inaugurando pelas 20.00h um projeto que conta com as mais recentes tecnologias de iluminação LED e tem como mote o Ano Internacional da Luz.IMG_8505.jpgEm mais uma iniciativa do projeto Locomotiva, que a PortoLazer está a dinamizar na envolvente de São Bento, a intervenção artística realizada pelos FAHR 021.3 na fachada do antigo edifício da Oliva, será a base para esta experiência luminosa e interativa.

Denominado Porto Light Experience, o evento vai decorrer ao longo das próximas duas semanas, de 12 a 27 de junho, e será marcado por três momentos diferentes, resultando em outras tantas experiências performativas, que incluem uma aplicação via app/internet e atuação de um DJ.

O projeto, que utilizará as mais recentes tecnologias de iluminação e programação digital, potenciando a interatividade com os cidadãos, resulta da colaboração entre o coletivo FAHR 021.3 e o designer de luz José Nuno Sampaio.