Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festivais: Músicos portugueses e de língua portuguesa no FMM Sines 2015

A 17.ª edição do FMM Sines - Festival Músicas do Mundo, terá uma forte representação de músicos portugueses e de língua portuguesa.

São os seguintes os artistas e projetos lusofonos, que o público do Festival FMM poderá assistir em Sines e Porto Covo, entre os dias 17 e 25 de julho.

 

O fado renovado de Ricardo Ribeiro, o Alentejo misturado de Janita Salomé, a fusão de Bruno Pernadas e a nova música urbana de Blacksea Não Maya + DJ Marfox, Capicua e Simply Rockers Sound System representam Portugal na 17.ª edição do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo. A língua portuguesa chega também a Sines e Porto Covo, entre 17 e 25 de julho, nas vozes de Aline Frazão (Angola), Dona Onete (Brasil) e Élida Almeida (Cabo Verde).

FMM-Aline Frazão.jpgAline Frazão é um dos nomes que marcam a nova geração de músicos angolanos. Cantora, compositora, guitarrista e produtora, nasceu e cresceu em Luanda, em 1988, e vive entre Barcelona, Luanda e Lisboa. Prepara-se para lançar o terceiro álbum de originais, que sairá no próximo outono.

 

Blacksea Não Maya + Dj Marfox é um espetáculo com quatro dos mais estimulantes fazedores de música de dança em Portugal. Blacksea Não Maya é um coletivo de três DJs e produtores de herança são-tomense: DJ Kolt, DJ Noronha e Perigoso. DJ Marfox, também com raízes são-tomenses, é uma lenda da música urbana de Lisboa, com um percurso internacional impressionante.NOS-BRUNO PERNADAS.jpgBruno Pernadas é guitarrista, multi-instrumentista, compositor e arranjador. O seu disco de estreia a solo, “How can we be joyful in a world full of knowledge”, foi considerado um dos melhores álbuns editados em Portugal em 2014.Capicua (Ana Matos Fernandes) é um dos maiores talentos da nova música portuguesa. Nasceu no Porto, estudou Sociologia, fez um doutoramento em Geografia Humana e é uma “rapper militante” desde 2004. O concerto no FMM será baseado em “Medusa”, disco editado este ano, de remisturas e originais onde a poesia de Capicua se exprime em registos mais dançáveis.

 

Capicua (Ana Matos Fernandes) é um dos maiores talentos da nova música portuguesa. Nasceu no Porto, estudou Sociologia, fez um doutoramento em Geografia Humana e é uma “rapper militante” desde 2004. O concerto no FMM será baseado em “Medusa”, disco editado este ano, de remisturas e originais onde a poesia de Capicua se exprime em registos mais dançáveis.

FMM-Dona Onete.jpgDona Onete (Ionete da Silveira Gama) é uma cantora, compositora e poetisa que traz para o palco os ritmos do estado do Pará, nordeste do Brasil. Porto Covo recebe um dos concertos da digressão europeia da “diva do carimbó chamegado”.

 

Élida Almeida, cantora, guitarrista e autora, é a nova artista que está a entusiasmar os amantes da música de Cabo Verde. Em 2014, lançou o disco “Ora doci ora margos”, e, em 2015, venceu o prémio Revelação nos Cabo Verde Music Awards. A sua voz, letras e melodias vão ganhar novos fãs no FMM.

FMM-Janita Salomé.jpgJanita Salomé, autor, cantor e compositor, é um inovador do cruzamento das músicas do Alentejo com outras músicas, em particular mediterrâneas. Temas do cancioneiro sefardita, modas do Alentejo e canções de José Afonso estarão presentes num espetáculo em que Janita se fará acompanhar por alguns dos melhores músicos portugueses e em que terá como convidado o Coral Atlântico (Sines).FMM-Ricardo Ribeiro.jpgRicardo Ribeiro é um dos artistas mais reconhecidos da nova geração do fado. Estreia-se em Sines com “Largo da Memória”, disco de maturidade pelo qual foi nomeado para os Songlines Music Awards 2015.

 

Simply Rockers Sound System é um sistema de som móvel construído à mão de forma tradicional, inspirado nos mestres que construíram os primeiros sound systems na década de 50 do século passado nas ruas de Kingston, Jamaica.

Festivais: NOS Primavera Sound 2015 / Line up (Parte 11)

É já no dia 4 de Junho que a cidade do Porto recebe a maior manifestação musical da Primavera. Pelo 4º ano seguinte o NOS Primavera Sound traz à cidade do Porto a Primavera acompanhada de música.

O Parque da cidade vai ser invadido pelos sons do melhor que se faz a nível musical.

A cidade do Porto é literalmente tomada de assalto pelos vistantes oriundos de mais de 40 países que são esperados no festival.

À semelhança das edições anteriores são esperadas cerca de 70.000 pessoas nos 3 dias do Festival.

 

E hoje chegamos à parte 11 do line up da edição deste ano do NOS Primavera Sound com mais 4 nomes em destaque no festival:

 

SUN KIL MOONNOS-SUN KIL MOON.jpgMark Kozelek, grande no meio dos grandes.

Com o passar dos anos, a recordação de Red House Painters parece cada vez mais longínqua, enquanto o culto à volta de Mark Kozelek cresce de ano para ano. Uma prova mais ou menos definitiva de que o talento do cantautor não encontra etiquetas nem restrições, quer seja a solo ou à frente do projecto maduro que é Sun Kil Moon, com as suas canções a perfilarem na história do slowcore e do folk. Hoje, com 47 anos, o autor de Ohio celebra uma década de Sun Kil Moon com “Benji” na estrada, um trabalho impressionante de folk melancólico que, com a ajuda de Steve Shelley e Will Oldham, confirma Kozelek como um dos grandes autores contemporâneos.

Um artista capaz de tornar sublime o costume americano de expor as feridas em público à altura de Bill Callahan e Bonnie Prince Billy.

 

THE THURSTON MOORE BANDNOS-THE THURSTON MOORE BAND.jpgO padrinho do indie e do rock de alta voltagem

Referência incontornável do noise, da vanguarda nova-iorquina e padrinho do indie mais ruidoso, Thurston Moore virou a página dos Sonic Youth com a criação da banda Chelsea Light Moving. No entanto, foi apenas com “The Best Day”, o primeiro trabalho a solo desde o lançamento em 2011 de “Demolished Toughts”, que voltou a encarrilar a sua própria carreira.

Acompanhado por Steve Shelley, Debbie Googe dos My Bloody Valentine e James Sedwards, Moore recupera o gosto pela alta voltagem, pela distorção de guitarras e, em suma, por todos os traços distintivos que fizeram dos Sonic Youth uma banda de culto, num álbum que faz as delícias tanto dos seguidores da banda como dos amantes do puro e livre processo criativo

 

TWERPSNOS-TWERPS.jpgO renascimento do kiwi-pop

O panorama musical australiano continua a ser uma caixinha de surpresas inesgotável, capaz de desenterrar uma banda como Twerps, encantadora formação de Melbourne que pisca o olho aos parentes neozelandeses para ressuscitar o kiwi-pop entre capas divertidas de lo-fi, melodias desenhadas pelos Go-Betweens e uma atmosfera dos anos sessenta.

Após a publicação de “Good Advice” e “Twerps”, e de se exibirem como carismáticos artesãos do pop de guitarras e das harmonias vocais, a banda liderada pelo cantor e guitarrista Martin Frawley prepara o grande salto na editora Merge, responsável pelo lançamento do terceiro trabalho, “Range Anxiety”.

 

UNDERWORLD “dubnobasswithmyheadman” liveNOS-UNDERWORLD.jpgNome emblemático do despertar electrónico em Inglaterra, os Underworld são a história viva do techno e os principais culpados pelo crescimento do house progressivo até atingir, em meados dos anos 90, o patamar de fenómeno de massas.

Autores do hit intemporal “Born Slippy (Nuxx)”, o dúo formado por Karl Hyde e Rick Emerson, Darren Emerson abandonou a banda há mais de uma década, termina o ano de 2014 marcado pelo vigésimo aniversário de “Dubnobasswithmyheadman”, trabalho que lhes abriu as portas da cultura electrónica, graças à habilidade para misturar techno, pop, house e arrebatos de experimentalismo, e que será interpretado integralmente no festival como celebração desse aniversário

Festivais: Warm up Party - Reverence Festival Valada

No dia 6 de junho, sábado, acontece mais uma Warm Up Party - Reverence Festival Valada no Side-B em Benavente.

Este evento conta com a presença de três bandas brasileiras que fazem parte do cartaz do Primavera Sound em Barcelona e que encerram a sua digressão europeia com este espetáculo, antes de regressarem ao Brasilwarm.jpgCâmera, um quinteto de Belo Horizonte que cruza os ritmos folk com sons psicadélicos, traz consigo o álbum “Mountain Tops”, lançado em 2014.

 

Wry, uma banda de rock alternativo brasileira com influências de shoegaze, Britpop e ritmos brasileiros que já lançou álbuns e Eps, no Brasil e em Inglaterra. Para este concerto trazem o single “Whirlwind” entre outros temas que têm marcado o seu percurso.

Terno Rei, é uma banda de São Paulo que aposta num estilo próprio, conjugando sonoridades que passeiam pelo rock alternativo e a música brasileira. Nos espetáculos ao vivo, o improviso é a prioridade, realçando a cara orgânica da banda. O Terno Rei é um projeto novo com uma proposta singular.

A estes três projetos brasileiros, juntam-se os portugueses Wells Valley, um trio post-metal de Lisboa e Ossos D'Ouvido, uma banda local que completa o alinhamento único desta warm up party no Side B.

As warm up parties Reverence Festival Valada pretendem alargar o conceito do festival a outros locais do país através de eventos únicos. No fundo, trata-se de levar o melhor do panorama atual alternativo da cultura psicadélica a vários públicos que se reúnem em Valada de 27 a 29 de agosto.

 

O Reverence Valada conta agora com mais de trinta bandas no seu cartaz:

10000 Russos, Acid Acid, Alcest, Amon Düül II, Ancient River, Bizarra Locomotiva, Black Rainbows, Blown Out, Calibro 35, Celica XX, Dead Ghosts, Echo Lake, Electric Eye, Electric Moon, Fast Eddie Nelson, Ghost Hunt, Grave Pleasures, Joel Gion & Guests, Los Waves, Magic Castles, Man Or Astro-Man?, One Unique Signal, Pity Sex, Process of Guilt, Samsara Blues Experiment, Saturnia, Sleep, Stoned Jesus, The Act-Ups, The Altered Hours, The Dead Mantra, The Horrors, UFOmammut e Yawning Man

 

Side B (Benavente)

6 junho 2015 | 21.00h

Dead Combo distinguidos... com Globo de Ouro

Tó Trips e Pedro Gonçalves recebem o seu primeiro Globo de Ouro, o reconhecimento público e da indústria portuguesa faz-se com o álbum de 2014 “A Bunch of Meninos”.

O ano de 2015 confirma, assim, a trajectória extraordinária que os Dead Combo têm vindo a desenhar, com a consolidação da sua carreira internacional e a sua afirmação como uma das mais interessantes e importantes bandas do novo panorama musical português.dc.jpgNo plano internacional, até final de 2015 e após as muito bem sucedidas tournées pelos Estados Unidos e Canadá, e mais recentemente por França, os Dead Combo têm ainda espectáculos previstos em Itália e Áustria.

Em Portugal, a banda continua a levar o seu "A Bunch of Meninos" a alguns dos principais palcos nacionais, em mais de uma vintena de concertos, continuando a correr o país de norte a sul, com paragens obrigatórias este verão, no Festival NOS Alive!, nas Festas da Praia (Açores), em Coimbra e Amarante.

 

Para o final do ano, preparam uma nova surpresa, com um espectáculo especial, em que se juntam às Cordas da Má Fama, que constituirá certamente mais um momento mágico do Universo dos Dead Combo.

Agenda: O electropop de Sequin ao vivo

Sequin, o projeto de Ana Miró, estreia-se com “Penelope”, um disco cosmopolita, no qual as barreiras tecnológicas se quebram para dar lugar ao movimento humano, à multiculturalidade.

“Naive”, o single de avanço, retrata isso mesmo. A voz de Ana Miró, a habitual cúmplice de Jibóia, na sua primeira aventura a solo, é o grande destaque para um trabalho fresco, que agarra nas duas mãos as entranhas da pop e da electro.sequin.jpgAo todo, falamos de dez temas que nos levam por caminhos de mistério, de sensualidade e, porque não? de exotismo.

Notoriamente influenciado pela electropop de Ladytron ou The Knife, o álbum “Penélope” é o resultado sólido que as experiências ao vivo trouxeram a Sequin e ao seu talento natural enquanto compositora. A produção esteve a cargo de Moullinex

O seu mais recente single “Douglas” foi editado em finais de 2014.

 

Ana Miró, natural de évora, cedo se interessou pela música e, foi aí que com os amigos formou os Ballis Band, de quem era vocalista e, mais tarde, também teclista. Na universidade, em Évora, frequentou Estudos Teatrais durante três ano, mudando-se para Lisboa onde pretendia acabar o curso de Estudos Artísticos de Artes do Espectáculo. Quando se muda para Lisboa, a música não estava nos seus planos até que um dia o amigo e músico Óscar Silva, do projecto Jibóia, a desafiou a cantar uma versão de Gal Costa. A experiência de estar ao lado de Óscar Silva faz com que em 2012 tenha tido a necessidade de se libertar e criar o projeto Sequin. Um projeto muito diferente daquilo que sempre pensou fazer pois sempre gostou mais do rock e do psicadelismo.

O álbum “Penélope” acaba por ser o resultado iniciado no verão de 2013. Um álbum fresco para escutar esta quarta-feira em Santa Maria da Feira

 

Cineteatro António Lamoso (Feira)

27 maio 2015 | 22.00h

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

 

Reportagem: A Música no MINI NOS Primavera Sound

Numa iniciativa inédita, o NOS Primavera Sound apresentou este ano a 1º edição do MINI NOS Primavera Sound em parceria com a PortoLazer.

A 2 semanas do festival, que mobiliza a cidade do Porto, abrem-se as “portas” do Parque da cidade aos mais novos e conquistam-se novos festivaleiros das mais variadas idades.

Um ambiente fantástico numa tarde de primavera que fazia lembrar o verão, uma tarde em que os caminhos se cruzavam na relva do Parque da cidade. Famílias, miúdos e graúdos desfrutavam de uma tarde verdadeiramente única em Portugal.

Com inicio marcado para as 14 horas, ao final da manhã já o parque da cidade estava tomado de assalto por famílias que aproveitavam o sol e o bom tempo para fazerem os seus pic-nics e aguardarem pela tarde de música e diversão que era prometido pela organização do MINI NOS Primavera Sound.

Noiserv, B Fachada e os Clã eram os nomes apresentados para encher de música o Parque da Cidade. Outras diversões destinadas aos mais novos estavam igualmente programadas para o evento.

DSC_0677 (Cópia).jpgPelas 15 horas e com o espaço quase em “lotação esgotada”, David Santos com o seu projeto Noiserv sobia ao palco.
Ligeiramente intimidade pela presença de alguns milhares de pessoas mas encanto pela visão sobre o magnifico local escolhido para os concertos.DSC_0681 (Cópia).jpgAgradado pelo convite, Noiserv fez questão de afirmar, que ao contrários dos seus colegas que iam passar por aquele palco, nunca editou nenhum disco para o público mais novo, o que o levava a crer que as suas músicas tinham esse público como alvo.DSC_0676 (Cópia).jpgFoi um inicio de tarde calmo, onde Noiserv, durante 60 minutos, apresentou temas do seu mais recente disco, mas recuperando aqui e ali algumas das músicas que já constituem a sua carreira de quase 10 anos.

Com miúdos e graúdos a desfrutar do sol, deitados na relva, a sua música foi a banda sonora perfeita para o local e hora, relaxando os presentes numa tarde de domingo.

DSC_0732 (Cópia).jpgA meio da tarde B Fachada sobe ao palco. Já com o relvado praticamente “coberto” de “festivaleiros” de todas as idades, o cantor, sempre igual a ele próprio, apela para que todos fiquem sentados ou deitados na relva, não se levantem… dizia.

Um conjunto de canções alegres e bem dispostas mas que os mais pequenos não abraçaram, sendo o público mais velho, mas ainda assim jovem, que acompanharam o concerto de B Fachada.

Os mais novos aproveitavam o tempo para se divertirem nas mais diversas atividades especificas para as suas idades, ou simplesmente aguardavam na sombra saboreando um gelado ou uma bebida fresca.DSC_0730 (Cópia).jpgNão sendo genial, B Fachada cumpriu os mínimos e segurou os país e a criançada durante 60 minutos.

DSC_0464 (Cópia).jpg

Pelo final da tarde o momento mais esperado por todos. Com o recinto destinado ao evento completamente lotado, Manuela Azevedo e os respetivos membros dos Clã sobem ao palco para regozijo dos presentes, miúdos e graúdos.DSC_0462 (Cópia).jpg“Disco Voador” projeto desenvolvido por Manuela Azevedo e Helder Gonçalves em 2011 foi a inspiração para colocar o Parque da Cidade numa alegria contagiante. Os Clã em palco, com um visual integrado no evento, colocaram toda a gente com “asas nos pés” e a “saltar mais alto”.DSC_0848 (Cópia).jpgNuma imagem única, crianças nas costas dos país a vibrar com as músicas dos Clã, um verdadeiro ambiente de festival. A banda soube como ninguém tirar partido da sua experiência em palco e conseguir que os mais novos fossem completamente envolvidos pelas suas canções.DSC_0846 (Cópia).jpgO grupo conseguir interagir com os presentes num concerto cheio de energia e levando o publico a cantar e a repetir as suas coreografias. Manuela Azevedo, como habitualmente, conseguiu levar ao rubro, com a sua energia, todos os presentes.DSC_0827 (Cópia).jpgSem dúvida o concerto dos Clã foi “O Concerto” da tarde...

No final, números não oficiais apontavam para a presença de cerca de 20.000 pessoas no MINI NOS Primavera Sound, o que superou as espetativas.

Uma iniciativa inédita que merece ser repetida, quer neste ou noutro contexto, e que a música Portuguesa agradece.

Veja a galeria do ambiente do MINI NOS Primavera Sound na nossa página no facebook.

 

Agora a próxima etapa é a 4ª edição do NOS Primavera Sound de 4 a 6 de Junho no Parque da Cidade.

 

Reportagem e fotografias: Paulo Homem de Melo

Festivais: edpcooljazz leiloa guitarra autografada por Mark Knopfler no eSolidar

O edpcooljazz, em parceria com o Município de Oeiras, através do Programa Oeiras Solidária, vai realizar um leilão solidário com a licitação de uma guitarra que será autografada por Mark Knopfler à frente do vencedor momentos antes de subir ao palco do festival mais cool.imagem.jpgA receita do leilão reverte na totalidade para a Instituição de Solidariedade Social CerciOeiras, mais propriamente para a aquisição de material técnico essencial para o bem-estar dos utentes da instituição: cadeiras de rodas e gruas de transferência, um desumidificador para o tanque de hidroterapia ou até mesmo uma carrinha de 9 lugares, dependendo do valor angariado.

 

Mark Knopfler, que atua no edpcooljazz no dia 28 de julho, no Parque dos Poetas, disponibilizou-se a participar nesta iniciativa levada a cabo na 12ª Edição do edpcooljazz. Esta iniciativa vai dar oportunidade a um fã do artista não só de adquirir uma guitarra autografada pelo lendário Ex-Dire Straits mas também de o conhecer pessoalmente no dia do concerto, no momento da assinatura e entrega da guitarra. O vencedor da iniciativa receberá ainda o bilhete para o concerto de Mark Knopfler.

O Leilão irá ser realizado na plataforma esolidar (Leilão), uma plataforma de comércio solidário, e decorrerá já a partir de hoje, dia 26 de maio até dia 30 de junho Os interessados em participar podem aceder à plataforma a partir dessa data e fazer a sua licitação, que tem como valor base 499 €, e o valor máximo licitado até ao término do leilão será do vencedor desta iniciativa.

Agenda: Festa de Encerramento da ANIMAR 10 com concerto de Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves (CLÃ)

À semelhança dos anos anteriores, o projeto educativo ANIMAR, dedicado ao cinema de animação, celebra o fim de mais uma edição com uma festa de encerramento para toda a família. Este ano, a celebração antecipa o Dia Mundial da Criança, a partir das 16:30 na Solar-Galeria de Arte Cinemática, com jogos para todas as idades inspirados nas feiras populares: pinhata, tiro ao alvo, "vamos à pesca", bowling e outras brincadeiras com o apoio dos chocolates Regina e Pintarolas.animar10.jpgMais tarde, às 18:00, Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves, dos Clã, apresentam no pátio da Galeria um concerto que promete agradar a miúdos e graúdos. Na bagagem trazem alguns temas do álbum “Disco Voador”.

 

Em 2011, a convite do projeto Estaleiro, os Clã criaram um espetáculo original dirigido ao público infantil. O resultado superou as espectativas e, mais tarde, deu origem ao álbum “Disco Voador”, premiado com um Disco de Ouro, do qual se destacam os singles “Os Embeiçados” e “Asas Delta”.

Com letras de Regina Guimarães e Carlos Tê, “Disco Voador” apresenta aos mais novos sonoridades diferentes, com uma abordagem lírica apoiada em histórias com as quais se identifiquem. O disco foi recebido com grande entusiasmo por parte do público, esgotando salas por todo o país. Apesar de pensado para o público infantil, “Disco Voador” mantém a imagem sonora característica dos Clã, captando também o interesse dos adultos e destacando-se dos discos para crianças lançados habitualmente no mercado.

Este espetáculo de Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves está integrado no ciclo de concertos, apoiado pela Fnac, a decorrer até ao final do ano no âmbito do 10º aniversário da Solar-Galeria de Arte Cinemática.

Até 1 de junho, também integrada na programação da ANIMAR 10, está patente na Solar a exposição “Estação ANIMAR”. A exposição coletiva de cinema de animação tem como temática as viagens, inspirando-se na premiada curta-metragem “Fuligem”, de David Doutel e Vasco Sá.

 

Criado pela equipa do Curtas Vila do Conde - Festival Internacional de Cinema, o ANIMAR é um projeto educativo anual que desenvolve um conjunto de atividades, para as escolas e para o público em geral, com o objetivo de promover a aproximação do público jovem ao cinema de animação. A sessão de encerramento da 10ª edição terá lugar no dia 14 de junho, domingo, às 16:00, no Teatro Municipal de Vila do Conde, com a apresentação das curtas-metragens produzidas durante os ateliers nas escolas com formadores convidados e a exibição de um filme de animação, a anunciar brevemente.

O trabalho desenvolvido pela ANIMAR prolonga-se, de 4 a 12 de julho, na secção Curtinhas do Curtas Vila do Conde destinada a crianças e jovens. Este mini-festival integra uma competição de filmes – onde o jurado é composto por crianças – , um espaço infantil e várias oficinas. Na sua 23ª edição, o Festival apresentará, em estreia mundial, a curta-metragem de animação realizada por Abi Feijó, Alice Guimarães, Daniela Duarte e Laura Gonçalves durante uma residência artística desenvolvida no âmbito da ANIMAR 9.

 

Agenda: Mark Steiner apresenta o álbum “Saudade” em Portugal

Em maio de 2014, há precisamente um ano, Mark Steiner esteve em Portugal a acompanhar Mick Harvey numa digressão que incluiu espetáculos em Aveiro, Guimarães e Lisboa.

Em junho de 2015, regressa ao nosso país, em nome próprio, com o seu projeto Mark Steiner & His Problems para apresentar, ao vivo, o mais recente álbum “Saudade”.MarkSteiner-780x519.jpgNos concertos que tem preparados para Portugal, Mark Steiner será acompanhado pelo multi-instrumentista argentino e co-produtor deste trabalho, Henry Hugo, o violinista Checo Pavel Cingl (ex-Snake Eaters e ex-Phil Shoenfelt & Southern Cross) e Tracy Vandal, a escocesa residente em Coimbra que, além de outros temas, interpreta, ao vivo “Unbearable”, inicialmente gravado com Sally Norvell (Congo Norvell).

Mark Steiner está em Portugal de 25 a 28 de junho e vai apresentar “Saudade” no Sabotage Club em Lisboa, Salão Brazil em Coimbra, Plano B no Porto e ainda no Sé La Vie numa matiné muito especial em Braga.

 

O novo álbum “Saudade” inclui 13 temas co-produzidos pelo argentino Henry Hugo e o próprio Mark Steiner e misturados pelo lendário Martin Bisi. Gravadas nos Stagger Home Studios em Oslo, estas canções foram inicialmente pensadas por Mark e Henry com o baixista dinamarquês Thomas Borge (Halph), em conjunto com dois bateristas alternantes, Tobias "Tex" Lange (Dinamarca) e o norueguês Gunnar Motland (ex-Goo Men). O baixista inglês Graham Mansfield (Liberty Takers) juntou-se também, mais tarde a este projeto para gravar algumas canções.

“Saudade” reúne participações de uma série de reconhecidos artistas internacionais de vários pontos do planeta. Da Austrália, o álbum conta com a participação de Mick Harvey, ex- Bad Seeds (The Birthday Party), Julitha Ryan (Silver Ray), e Rosie Westbrook (ex-membro da banda de Mick Harvey). De Nova Iorque, Sally Norvell (Congo Norvell), Paul Wallfisch (Ministry of Wolves, Botanica, ex-Firewater), e Tricia Warden (ex-Liarface). Da Noruega, Emil Nikolaisen (Serena Maneesh), Øystein Sandsdalen (Le Corbeau), Oddrun Valestrand (Tundra Mode), Celile Güzelce (Stillephonema), e Odd Johansen (Oddpopp). Da Escócia, Graeme Miller (Louise McVey & Cracks in the Concrete, Hamper). Há ainda uma participação portuguesa de Ricardo Silva.

“Saudade” é uma junção equilibrada de algumas versões de temas que marcaram o artista e temas originais de Mark Steiner, incluindo um tributo ao realizador avant-garde, mentor e amigo Adolfas Mekas.

Na realidade, as várias interpretações do trabalho escrito por Billie Holiday, Lou Reed, Bruno Adams (de The Fatal Shore e Once Upon a Time), Robert Burås (de Madrugada e My Midnight Creeps), e Rowland S. Howard (de The Birthday Party, Crime & the City Solution e These Immortal Souls) podem, também, ser consideradas tributos aos compositores já falecidos. Na perspetiva de Mark Steiner, “Saudade” significa manter as canções que compõem o álbum e a memória destes artistas vivas.

25 Junho - Sabotage Club (Lisboa) – 22.00h

26 Junho - Plano B (Porto) – 22.30h

27 Junho - Salão Brazil (Coimbra) – 22.30h

28 Junho - Sé La Vie (Braga) – 17.00h (matiné)

 

Fotografia: Lene Haugerud

Serralves em Festa 2015 “Um entre muitos”

O tema que marca a edição de 2015 do Serralves em Festa reforça aquela que é uma das principais singularidades do evento que propõe, durante dois dias, uma verdadeira existência coletiva, na qual públicos e artistas partilham lugares e experiências marcantes, como visitar o museu às duas da manhã, ou dançar no prado de Serralves madrugada fora.

A programação integra propostas que ilustram a interação das artes visuais com as artes performativas, nas áreas disciplinares da Performance, Música, Dança Contemporânea, Teatro e Cinema, Arquitetura e Ecologia, apresentadas numa relação estreita e integrada com as atividades regularmente desenvolvidas no Museu e no Parque de Serralves.serralves.jpg

A 12ª edição do Serralves em Festa dá protagonismo à relação com os seus públicos, bem como aos diferentes interlocutores artísticos da cidade, desde associações culturais a escolas artísticas, proporcionando encontros singulares e perspetivas de outras colaborações. As parcerias com instituições portuguesas ligadas à arte, à cultura e ao ambiente continuam a ser privilegiadas, tornando a Fundação de Serralves, mais uma vez, o maior ponto de encontro de quem pensa e programa artes performativas no nosso país

À semelhança de anos anteriores, o Serralves em Festa acolhe a participação da comunidade local e nacional, mas também de artistas vindos de todo o mundo, e estabelece parcerias com outras entidades culturais, sociais, educativas e artísticas da cidade do Porto e do país.

A Festa sai, por isso, mais uma vez, das portas de Serralves e apresenta projetos na cidade do Porto, em parceria com a Câmara Municipal do Porto, através da PortoLazer.

A parceria entre Serralves e a Câmara Municipal do Porto, através da PortoLazer, no âmbito do Serralves em Festa, tem nesta extensão à Baixa do Porto, e ao cruzamento com a estratégia de animação de espaço público do município, a sua expressão máxima, sendo ainda relevante a cada vez mais estreita ligação dos conteúdos previstos aos criadores da cidade, ao seu território e às suas gentes em geral, aspetos que saem reforçados na programação de 2015, em que mais uma vez o Serralves em Festa ocupa um lugar de destaque na agenda do evento âncora da cidade, a Festa de São João do Porto, que este ano se prolonga por sete semanas, entre 23 de maio a 4 de julho.

 

29 maio 2015 (Baixa do Porto)

30 e 30 maio 2015 (Fundação de Serralves)