Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festivais: NOS Primavera Sound 2015 / Line up (Parte 9)

É já no dia 4 de Junho que a cidade do Porto recebe a maior manifestação musical da Primavera. Pelo 4º ano seguinte o NOS Primavera Sound traz à cidade do Porto a Primavera acompanhada de música.

O Parque da cidade vai ser invadido pelos sons do melhor que se faz a nível musical.

A cidade do Porto é literalmente tomada de assalto pelos vistantes oriundos de mais de 40 países que são esperados no festival.

À semelhança das edições anteriores são esperadas cerca de 70.000 pessoas nos 3 dias do Festival.

 

E hoje chegamaos à 9ª parte do line up da edição deste ano do NOS Primavera Sound com mais 4 nomes em destaque no festival:

 

PATTI SMITH & BANDNOS-PATTI SMITH.jpgA musa do punk celebra o quadragésimo aniversário de “Horses”

A cantora e poetisa norte-americana Patti Smith irá interpretar o álbum de estreia “Horses”, publicado em 1975 e considerado um dos discos de rock mais importantes da história, protagonizando também uma segunda actuação em formato acústico e “spoken word”. Quarenta anos mais tarde, a nova-iorquina decidiu honrar a longevidade da sua primeira obra com uma série de concertos especiais centrados em si, nos quais se faz acompanhar por dois dos membros originais do grupo, Lenny Kaye e Jay Dee Daugherty, para além do baixista Tony Shanahan que se juntou à banda há vinte anos.

“Horses” é definitivamente uma das obras mais importantes que a história do rock pode contar. Produzido por John Cale e com o icónico retrato tirado por Robert Mapplethorpe na capa, o álbum antecipou movimentos como o punk, estando no entanto marcado pela desafiante fusão do rock simplista com a força do free jazz e do experimentalismo, sempre com uma carga lírica imponente e cheia de força. A sua carreira não se ficou por aqui.

Os nove álbuns que se seguiram a esse primeiro passo, uma obra vasta de poesia e as suas recentes memórias “Just Kids” são apenas parte do admirável legado de Patti Smith.

Para além de interpretar o álbum de estreia “Horses”, publicado em 1975 e considerado um dos discos de rock mais importantes da história, a cantora e poetisa americana Patti Smith irá protagonizar também uma segunda actuação em formato acústico e “spoken word”.

 

PHARMAKONNOS-PHARMAKON.jpg

Desgovernada, neurótica e repleta de alaridos diabólicos, a música de Margaret Chardiet não é fácil de definir. A nova-iorquina, talento precoz ao serviço do vanguardismo frenético, tornou-se conhecida em 2007 com um primeiro CD-R auto-editado e, desde esse momento, tem-se dedicado a aperfeiçoar a sua abrasiva e selvagem concepção do noise estridente. “Abandon”, publicado em 2013 por Sacred Bones, foi o disco que a catapultou para o extremismo sonoro, um lugar que a artista preservou com “Bestial Burden”, uma colecção aterradora de ritmos maquinais, vozes fora de controlo e texturas musicalmente perturbadoras

 

 

THE REPLACEMENTSNOS-THE REPLACEMENTS.jpgA pedra basilar do indie rock, são uma das lendas mais respeitadas e celebradas do indie americano. Nascidos no final dos anos 70 em Minneapolis e seguindo os passos de Hüsker Dü, The Replacements construíram o seu próprio caminho até se terem tornado o elo entre o hardcore e o rock alternativo, a base do que viria a ser o indie rock dos anos 90.

Autores de álbuns capitais da história do rock, como “Let It Be”, “Tim” e “Pleased To Meet Me”, Paul Westenberg e os restantes membros da banda encontraram o balanço perfeito entre o rock desalinhado e as baladas inflamadas, entre o riff duro do punk e o potencial melódico do Rock Americano

 

RIDENOS-RIDE.jpgShoegaze para a História...

Os Ride foram um dos primeiros êxitos à escala mundial da Creation Records nos anos 90, pioneiros do “shoegaze”, juntamente com os Slowdive e My Bloody Valentine, criaram álbuns emblemáticos como “Nowhere” e “Going Blank Again”.

Andy Bell, Mark Gardener, Laurence “Loz” Colbert e Steve Queralt juntaram-se em 1988 para formar os Ride, formação que chegou ao fim em 1996. Deixaram um legado de quatro álbuns com canções míticas como “Vapour Trail”, “Leave Them All Behind”, “Birdman” e “Twisterella”. Após a ruptura, o quarteto voltou-se a juntar em 2001 para gravar um programa para o canal televisivo Channel 4.

O concerto do NOS Primavera Sound 2015 agendado para o dia 6 de Junho marca o regresso esperado da banda num concerto único em solo português

Agenda: Rui Veloso… 35 anos de carreira no MEO Arena

O cantor, compositor e guitarrista Rui Veloso vai subir ao palco do MEO Arena, dia 6 de novembro, para um concerto único que tem como objetivo comemorar os 35 anos de carreira do músico português.rui veloso.jpgRui Veloso irá revisitar, numa noite memorável, os mais importantes temas da sua carreira. “Chico Fininho”, “Não há estrelas no céu”, “A paixão (segundo Nicolau da viola)”, “Jura”, “Porto Covo” e “Nunca me esqueci de ti”, são algumas das canções que cruzam gerações e que se vão poder ouvir neste concerto muito especial.

 

O artista, que se iniciou na música com apenas seis anos de idade, lançou o seu disco de estreia, “Ar de Rock”, aos 23 anos. Temas como “Chico Fininho”, um dos maiores sucessos da obra de Rui Veloso e de Carlos Tê, foram algumas das razões para este ter sido considerado um dos melhores 50 álbuns portugueses das últimas quatro décadas, pela reconhecida revista de música Blitz.

Com Rui Veloso começa-se finalmente a falar do rock português. O músico que elevou o rock nacional, cruzou o palco com alguns dos mais galardoados nomes da música internacional, B.B.King, Gilberto Gil, Lenine, no projecto Rio Grande (com Tim, Vitorino, João Gil e Jorge Palma), entre muitos outros.

É também neste ano que se comemora os 25 anos do disco “Mingos e os Samurais”, o álbum mais galardoado na música portuguesa, que trouxe êxitos como "Não há estrelas no céu" e "A Paixão (Segundo Nicolau da Viola)”. O quinto registo de originais do músico recebeu sete discos de platina, passando a ser o álbum de artistas portugueses mais galardoado de sempre.

 

Meo Arena (Lisboa)

6 novembro 2015 | 21.30h

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

O S. João no Porto arranca em grande… já este sábado

As seis semanas de programação da maior festa do Porto arrancam oficialmente este sábado, 23 de maio, com uma longa jornada de animação que inclui uma mão cheia de bailes espalhados por vários largos e praças da cidade, mas também uma largada simbólica de balões e um concerto de Carlão na Alameda das Fontainhas.são-joão-porto-2015.jpgA partir das 15h00, haverá bailes espalhados por toda a cidade, um desfile de carros elétricos (organizado pelo Museu do Carro Elétrico, com partida e chegada na Praça do Infante, e passagem por Massarelos e Passeio Alegre), espetáculos de dança e de novo circo, um mercado urbano, lançamento de balões, entre outras festas. Às 00h30, um concerto gratuito de Carlão, na Alameda das Fontainhas, fecha em grande o arranque de seis semanas intensas de programação, com mais de 200 eventos que se prolongam até ao dia 4 de julho.

 

Sob o mote "Bailes e Balões", o programa terá a música e a dança como principais apostas, através de uma maratona itinerante de bailes que convidarão toda a cidade a dançar e a preparar a chegada da noite mais longa e festiva do ano.

A novidade do desfile de carros elétricos é que um deles transportará a banda Batucada Radical, que convidará o público a dançar a bordo e nas suas várias paragens. Será o primeiro Baile em Marcha do dia. Cinco serão também os locais do Centro Histórico que, entre as 17h30 e as 19h30, vão receber Uma Mão Cheia de Bailes, cada um deles dedicado a diferentes tipos da dança (Largo dos Lóios/música africana, Praça da Batalha/ritmos latinos, Largo de São Domingos/samba, Largo da Estação/música folk e Avenida Dom Afonso Henriques/música indiana do DJ Yash.

Na Rua das Flores, a companhia Erva Daninha apresentará três sessões de "Algures" (17h30, 18h30 e 19h30), um espetáculo de novo circo dedicado a três profissões ambulantes. Mais acima, no Terreiro da Sé, será organizado um Baile ao Por do Sol entre as 19h30 e as 20h30, dirigido por Flávio Rodrigues e Camila Neves e concebido pelo Balleteatro.

Também no Terreiro da Sé, entre as 11h00 e as 20h00, a Portugal Lovers junta-se à Festa de abertura do São João do Porto e apresenta uma edição especial do Urban Market.

 

À noite, a partir das 22h00, arranca o segundo Baile em Marcha na Estação de São Bento, da Rua 31 de Janeiro até à Alameda das Fontainhas. A animação prosseguirá noite dentro na Alameda das Fontainhas com o Novo Baile dos Corpos Extraordinários, apresentado pelo Festival Internacional de Marionetas do Porto às 23h00. Segue-se uma largada simbólica de três balões, da responsabilidade dos Maus Hábitos, para antecipar o São João Baloeiro que irá colorir o céu do Porto na noite de 23 de junho.

Os tons do fim da festa virão do concerto gratuito de Carlão. O ex-líder dos Da Weasel vai apresentar ao vivo o seu primeiro álbum a solo, "Quarenta".mini nos.jpgNo dia seguinte, domingo, a música transfere-se para o Parque da Cidade, onde se estreia o MINI NOS Primavera Sound.

A organização do NOS Primavera Sound 2015 decidiu alargar a sua oferta ao público infantil, com uma tarde de domingo feita à medida dos mais novos. No evento, com entrada livre, destacam-se os concertos de B Fachada, Clã e Noiserv, artistas que têm na sua discografia álbuns mais direcionados para crianças

Festivais: Lisboa Mistura 2015

Sons, sabores, artes, palavras e culturas do mundo misturam-se durante cinco dias no Largo do Intendente. A programação inclui música, encontros gastronómicos, arte com concertos, palestras e debates.lisboa_mistura.pngO Lisboa Mistura regressa em 2015 para 5 dias de sons, sabores e culturas que fazem dele já uma referência incontornável da celebração da diversidade cultural da capital.

Integrado nas Festas de Lisboa, o Lisboa Mistura assume-se como a festa intercultural dentro da grande festa da cidade, um evento que se quer como expressão da pluralidade que reforça o ADN lisboeta, fazendo lembrar ao Mundo como a curiosidade e abertura de espírito são tão necessárias para abraçar as diferenças que nos unem.

De 17 a 21 de junho, o Largo do Intendente e a Freguesia de Arroios são o palco feito à medida do Lisboa Mistura, transformando-se no epicentro da grande festa que privilegia o encontro e troca de experiências de diferentes quadrantes e culturas ao receber um vasto programa de música, encontros gastronómicos e arte com concertos, debates e palestras.

E se há festa, há música, as primeiras confirmações da edição deste ano são os concertos de Ibibio Sound Machine, projecto exuberante da anglo-nigeriana Eno Williams, o mesmo que mistura na perfeição a electrónica, os ritmos latinos e os sons africanos numa proposta que promete deixar frenéticos todos os que se deixarem contagiar e que serão todos os que assistirem, e Hugh Masekela, virtuoso trompetista, nome maior da música sul africana, uma das mais activas vozes políticas daquele país.

 

Num momento de grande dinamismo em que a cidade respira positivas contradições e desafios que, embora globais, são intensamente íntimos, o Lisboa Mistura confirma a sua vontade de reflectir a vivência urbana local fazendo a ponte com o mundo, oferecendo à cidade cinco dias de festa social e culturalmente consciente de forma totalmente gratuita.

Ao mesmo tempo, quer-se reforçada a ideia de que a Mistura e a comunicação de valores humanos para a harmonização de diferentes culturas é uma acção eminentemente política, não das “partes”, mas de toda a comunidade lisboeta.

O Lisboa Mistura é uma iniciativa da associação Sons da Lusofonia com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e EGEAC.

 

Largo do Intendente (Lisboa)

17 a 21 de junho