Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festivais: NOS Primavera Sound 2015 / Line up (Parte 2)

Nas próximas semanas vamos fazer uma antevisão dos vários artistas que marcam presença na edição de 2015 do NOS Primavera Sound.

É já no dia 4 de Junho que a cidade do Porto recebe a maior manifestação musical da Primavera. Pelo 4º ano seguinte o NOS Primavera Sound traz à cidade do Porto a Primavera acompanhada de música.

O Parque da cidade vai ser invadido pelos sons do melhor que se faz a nível musical.

A cidade do Porto é literalmente tomada de assalto pelos vistantes oriundos de mais de 40 países que são esperados no festival.

À semelhança das edições anteriores são esperadas cerca de 70.000 pessoas nos 3 dias do Festival.

 

Aqui ficam mais 4 nomes em destaque que estão confirmados no festival:

 

BAXTER DURYNOS-BAXTER DURY.jpgRomantismo inquieto e versátil

Mais de uma década depois de se estrear com “Len Parrot’s Memorial Lift”, Baxter Dury já não é mais conhecido como o filho do estranho e vilão Ian, mas sim como o inquieto e versátil compositor capaz de abraçar o romantismo obscuro, o pop-art, o psicadélico e o post-punk. O artista britânico tem vindo a percorrer todos estes caminhos com trabalhos como “Floor Show” ou “Happy Soul”, discos a que se soma agora “It’s A Pleasure” de 2014. 

Um trabalho no trilho dos anos oitenta mas reforçado pela subtileza sintética, notas importadas da chanson e pequenos dramas apresentados entre teclados e delicadas vozes femininas. 
 

BELLE & SEBASTIANNOS-BELLE & SEBASTIAN.jpg

A instituição do indie escocês perde a vergonha.

Crónicos tímidos do pop escocês e compositores invulgares convertidos numa respeitável instituição indie, os Belle & Sebastian têm trabalhado à quase uma década para se livrarem da vergonha que lhes assombra a carreira. Esforço esse conseguido através de discos que, sem abandonar o espirito de “If You’re Feeling Sinister” e “The Boy With Arab Strap”, lhes abriram as portas a novos horizontes musicais plasmados em trabalhos como o jovial “The Life Pursuit” ou o melancólico “Write About Love”.

Agora, 5 anos depois do última trabalho e com Stuart Murdoch a estrear-se como realizador de cinema, com “God Help The Girl”, a banda escocesa regressa com “Girls in Peacetime Want to Dance”, um trabalho que combina o primoroso pop de sempre com elementos fugazes da música de dança, como “The Party Line”

 

BRUNO PERNADASNOS-BRUNO PERNADAS.jpg O paradoxo da simplicidade…

“How can we be joyful in a world full of knowledge?” é o mais recente projecto do compositor e multi-instrumentista Bruno Pernadas.

Composto e produzido pelo próprio, este disco conta com a participação de intérpretes de diversos grupos, como Julie & The Carjackers, Tape Junk, You Can’t Win Charlie Brown e Minta & The Brook Trout.

A mestria de Bruno Pernadas surpreende neste concerto ao reinventar a música do álbum de estreia com novos arranjos e temas inéditos, numa viagem pela sonoridade do jazz, space-age-pop, música folk, world music, electrónica, rock psicadélico ou landscape em que tudo parece desenhado na perfeição

 

CARIBOUNOS-CARIBOU.jpgDan Snaith e as odisseias psicadélicas sem fim

Empenhado em estar sempre um passo à frente na hora de reinventar a genética do experimentalismo, Dan Snaith nunca se deixa contentar, mesmo quando o aplauso é unânime em torno do esplendido “Andorra” ou do êxito de vendas “Swim”. É por isso que, para além de ter inventado um novo alter-ego (Daphni) por onde desfila nas cabinas de Dj, e de lançar a editora Jialong, o canadiano acaba de sair de estúdio com “Our Love” de 2014, uma pérola do experimentalismo psicadélico, da pop e electrónica hipnótica.

Um degrau acima na odisseia sintética na qual embarcou depois de ter renunciado ao nome artístico Manitoba e onde se faz acompanhar por referências como Jessy Lanza e Owen Pallett

Agenda: Fado em Badajoz

Ana Moura, Dulce Pontes e Cuca Roseta são as representantes de Portugal na edição deste ano do Badasom, festival de fado e flamenco que vai decorrer em Julho em Badajoz (Espanha).

O festival, que vai decorrer de 9 a 11 de julho, no Teatro López de Ayala, é promovido pela Consejería de Educación y Cultura do Governo da Extremadura, em colaboração com o Ayuntamiento de Badajoz.

Cuca_1.jpg

Nesta 8.ª edição, o certame presta homenagem à "importância que as 'mulheres flamencas' e as 'mulheres fadistas' têm tido na história do flamenco e do fado", explicaram os organizadores.

"O Festival BADASOM quer honrar, muito especialmente, as intérpretes atuais do flamenco e do fado, não só pela sua criatividade e qualidade mas também porque são as autênticas agentes da sua criação artística e cultural", pode ler-se num comunicado dos organizadores.

O programa conta com "uma representação das artistas mais importantes atualmente em Espanha" na área do flamenco, nomeadamente a Companhia Flamenca de Sara Baras e as cantoras Niña Pastori e Celia Romero.

Estas artistas espanholas vão ser "acompanhadas por três das mais destacadas vozes" portuguesas do fado "que triunfam em Portugal e no mundo", referiu a organização.

 

O espetáculo de abertura, no dia 9 de julho, vai juntar Ana Moura e a Companhia de Bailado de Sara Baras, enquanto, no dia seguinte, será a vez de subirem ao palco Dulce Pontes e Celia Romero.

O encerramento do certame é assegurado, no dia 11, pela fadista Cuca Roseta e pela cantora de flamenco Niña Pastori.

 

Segundo os promotores, o festival é "um momento único de união e de partilha das duas músicas mais representativas de Espanha e Portugal, o fado e o flamenco", ambas classificadas Património Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

 

Fotografia (Cuca Roseta): Paulo Homem de Melo

Agenda: Chris Eckman em Portugal

Chris Eckman regressa a Portugal para apresentar o álbum “Harney County”.

O vocalista e letrista dos The Walkabouts apresenta 3 espetáculos a solo. Dia 21 de maio no Salão Brazil em Coimbra, 22 de maio na Casa das Artes de Arcos de Valdevez e 23 de maio no Cine Teatro de Alcobaça.Chris Eckman.jpgA primeira parte destes espetáculos é assegurada pelos portugueses A Jigsaw, em formato duo, representados por João Jorri e João Rui.

 

Chris Eckman já percorreu um longo caminho desde o seu início com os Walkabouts, em Seattle, há mais de 25 anos. Tornou-se num sábio musical produzindo sons atmosféricos e palestras sobre a natureza da música em várias comunidades. De facto, a natureza é algo incontornável para Chris Eckman. Algo maior e mais forte que os seres humanos que, de forma direta, lhes mostra o seu poder.

“Harney County” é o nome do álbum que Chris Eckman lançou a solo na sua tentativa de pintar um retrato sonoro, através de músicas impressionistas que evocam sobretudo paisagens desertas deste lugar único.

O que realmente importa neste trabalho é o que está a ser dito e cantado. São memórias reais de lugares que Chris Eckman visitou, conhece e lhe transmitem algo muito relevante. São lugares onde a natureza é rainha e onde os seres humanos têm uma presença menos notória que os obriga a uma luta constante pela sobrevivência.

Eckman produziu o álbum acompanhado pelo contrabaixista Ziga Galeb que o acompanha ao vivo na digressão em Portugal.

O som das guitarras de Eckman e o contrabaixo de Galeb dominam o álbum, enquanto a sua voz meio rouca, por vezes cantada, por vezes meio falada, narra e cativa como um contador de histórias que nos hipnotiza.

As histórias retratam uma luta entre o homem e a natureza.

A estrada acena em todo o álbum particularmente na longa narrativa de Rock Springs.

A crítica considera “Harney County” como "um álbum tremendo", recebendo as melhores criticas vindas de todo o mundo.

É este trabalho que traz Chris Eckman a Portugal para três concertos únicos que prometem uma entrega total do artista num registo mais intimista, que lhe é tão pessoal.

 

21 de Maio - Salão Brazil, Coimbra | 22:00h

22 de Maio - Casa das Artes de Arcos de Valdevez | 21:30h

23 de Maio - Cine Teatro João D´Oliva Monteiro, Alcobaça | 21:30h

Discos: Camané “Infinito Presente”

“Infinito Presente”, o novo disco de Camané, entrou directamente para o 1º lugar do top nacional de vendas. Editado no ano em que se assinalam 20 anos sobre a edição de uma “Noite de Fados”, o tão aguardado novo disco de Camané é o seu primeiro álbum em cinco anos, vê assim juntar-se à aclamação da crítica o reconhecimento do público. Considerado pela crítica, provavelmente, o melhor álbum de Camané.Camané.jpgSucessor de “Do Amor e dos Dias”, editado em Setembro de 2010, pelo meio, editou em 2013 a antologia “O Melhor 1995-2013”. “Infinito Presente”, editado a 27 de Abril, inclui 17 temas (15 na edição standard) e está disponível nos formatos CD, CD+DVD e Digital..

 

Dos temas que compõem “Infinito Presente” destaque para duas composições de José Júlio Paiva, bisavô de Camané (“Conta e Tempo” e “Aqui Está-se Sossegado [fado espanhol]”), um inédito de Alain Oulman (“A Correr”), single de avanço do álbum, um tema de Vitorino Salomé (“Medalha da Senhora das Dores”) e a presença dos “cúmplices” habituais Manuela de Freitas e José Mário Branco.

O título-tema do disco, “Infinito Presente”, é um poema de David Mourão-Ferreira (cujo título original é “Corpo Iluminado, XII”), poeta de referência na obra de Camané

A par de discos anteriores, “Infinito Presente” conta com produção, arranjos e direcção musical de José Mário Branco que co-assina com Manuela de Freitas a supervisão artística. O instrumental ficou a cargo de José Manuel Neto (guitarra portuguesa), Carlos Manuel Proença (viola) e Carlos Bica (contrabaixo).

 

“Infinito Presente” (abril 2015)

Edição / Distribuição: Warner Music Portugal

Discos: O “Quarto Crescente” de Márcia

Márcia deu a conhecer na sua página oficial no Facebook a capa do seu novo disco “Quarto Crescente”, cuja fotografia é da autoria de David Fonseca.marcia.jpgO álbum, com edição a 15 de Junho, conta com produção de Dadi Carvalho, músico e produtor brasileiro conhecido, entre muitos outros, pelos trabalhos com os Tribalistas, Marisa Monte, Carminho e Caetano Veloso.
Gravado entre Lisboa e o Rio de Janeiro, “Quarto Crescente” inclui 11 temas, todos eles com letra e música de Márcia, excepto o tema “Mal Menor” em que a música é composta por Filipe C. Monteiro, que com a artista assina ainda a co-produção do álbum.
Neste disco, marcadamente transatlântico, destaque-se também a participação do artista brasileiro Criolo no tema “Linha de Ferro”.

A semana passada foi dado a conhecer “A Insatisfação”, primeiro tema a ser revelado do anunciado e muito aguardado terceiro álbum de originais da artista (quarto disco, contando com o EP de estreia).

O single “A Insatisfação” terá edição digital agendada para o dia 18 de maio.
“Quarto Crescente” sucede aos aclamados “Casulo” (editado em Maio de 2013 e eleito pela revista Blitz um dos discos do ano) e “Dá, este último, editado originalmente em Novembro de 2010, teve uma nova edição em Novembro de 2011, na qual, ao alinhamento original, se juntou o tema “A pele que há em mim (quando o dia entardeceu)” em dueto com JP Simões.

 

É assim o alinhamento do novo disco:
1. A Insatisfação
2. A Urgência
3. Entre Nós
4. Havia
5. Ledo Sorriso
6. Linha de Ferro (com Criolo)
7. Bem Amargo
8. Sem Igual
9. Bom Destino
10. Lado Oposto
11. Mal Menor

 

“Quarto Crescente” (junho 2015)

Edição: Autor / Distribuição: Warner Music Portugal