Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Branches” novo single do novo projeto VaarWell

Foi hoje editado o single de avanço do novo projeto da música Portuguesa, VaarWell.

“Branches” é o avanço do EP de estreia “Love and Forgiveness” a editar no próximo mês de Maio de 2015

vaarwell.jpg

Vaarwell é um novo projeto de Margarida Falcão (Golden Slumbers) juntamente com Ricardo Correia, António Roldão e Luís Monteiro

 

 

Agenda: Cochaise (concerto de lançamento de disco)

Os Cochaise são Cláudia Sambado na voz, Filipe Sambado na guitarra e voz, Alexandre Pereira na guitarra e voz, Luís Barros na bateria e Adriano Fernandes no baixo e lançaram os discos “Mini-Homónimo” em 2011, “Se Amanhã não Chovesse” em 2013 e o EP “Já Te Digo Qualquer Coisa” em 2014.

cochaise.jpgEste mês estão de volta aos discos e lançam o novo álbum, homónimo, e fazem a sua apresentação na Casa Independente, em Lisboa no próximo sábado 25 de abril.

 

Segundo eles, este "é um conjunto de dez canções trabalhadas no sentido e ao encontro da palavra e estamos inteiramente felizes por vos podermos apresentar o resultado deste. Letras cuidadas sobre pessoas e sentimentos, harmonias coloridas, ritmos pegajosos para danças dolorosas" .

Melodias subtis, riffs de guitarra relaxantes, linhas de baixo poderosas e uma voz de embalar.

Com nuances e muitas variantes, é isto que podemos esperar dos Cochaise e do novo trabalho.

 

Casa Independente (Lisboa)

25 de abril 2015 | 22.00h

Agenda: D'Alva celebram 1º aniversário de #batequebate

Os D'Alva sobem aos palcos do Teatro Rivoli no Porto (13 de junho), e do CCB em Lisboa a 19 de Junho para celebrar o primeiro aniversário do seu disco de estreia “#batequebate”

dalva.jpgParece que foi ontem que o disco, domesticamente gravado e produzido por Alex D’Alva Teixeira e Ben Monteiro, nos tomou a todos de surpresa.

Quem diria que um álbum de sonoridade Pop seria unanimemente abraçado por público e crítica?

Quem diria que os D'Alva pisariam tantos e tão reconhecidos palcos (Vodafone Mexefest, Nos Alive, Theatro Circo, para nomear só alguns) logo nos primeiros meses de vida?

 

Já são algumas as vozes que referem que os D'Alva estão a escrever um capítulo novo na música portuguesa e essa é uma responsabilidade à qual não são alheios.

Para estes dois espectáculos, e em jeito de celebração, estão a preparar conteúdos especiais, que se juntarão ao já reconhecido carisma de Alex D’Alva Teixeira, aos arranjos certeiros de Ben Monteiro, e à entrega de toda uma banda.

A partir do momento em que decidiram assumir-se como o colectivo D’Alva, disseram-no ao mundo com a seguinte hashtag: “#somosdalva”. E foi isso mesmo que fizeram: agregaram, juntaram, uniram pessoas de todos os cantos e nichos.

A questão para quem pondera assistir na primeira pessoa ao desenrolar da história nestas datas tão especiais é: “#somosdalva?”

Ainda antes dos concertos já anunciados os D’Alva vão passar ainda no dia 4 de Junho no Cine Teatro Alba em Albergaria

Agenda: Simone de Oliveira de regresso aos palcos

Simone de Oliveira, um dos maiores nomes da história da música portuguesa dos últimos 50 anos, vai apresentar esta 6.ª feira, dia 24 de abril, às 21h30, no Quartel das Artes Dr. Alípio Sol, em Oliveira do Bairro, o seu mais recente espetáculo “Pedaços de Mim”.

Simone-de-Oliveira-980x556.jpg

Verdadeiro ícone de várias gerações de artistas, Simone de Oliveira apresenta um espetáculo íntimo e de “olhos nos olhos”, onde serão revisitados alguns dos momentos mais marcantes da sua já longa carreira, canções intemporais como a “Desfolhada” ou “No teu poema”, e histórias de uma mulher absolutamente fascinante.

A cantora, e também atriz, será acompanhada ao piano pelo maestro Nuno Feist, numa viagem onde a música será o fio condutor de uma noite entre amigos.

 

No dia 25 de Abril é a vez da Marinha Grande receber o espetaculo de Simone de Oliveira no Teatro Stephens.

 

Quartel das Artes Dr. Alípio Sol (Oliveira do Bairro)

24 de abril 2015 | 21.30h

Teatro Stephens (Marinha Grande)

25 de abril 2015 | 21.30h

 

Fotografia: Gonçalo Lobo Pinheiro

“Offbeat” o novo single dos Cais Sodré Funk Connection

“Offbeat”, é o título deste novo single, é a designação para a forma de tocar característica de New Orleans, derivada das “marching bands” que celebrizaram a cidade berço do jazz nos seus desfiles de carnaval, funerais e todos os grandes eventos da comunidade.

CSFC_novo-single.jpgLá como cá, a dança assume-se como o melhor dos remédios para todos os bruxedos e os Cais Sodré Funk Connection compuseram um disco de Soul e Funk que lança um verdadeiro feitiço sobre os que agora se preparam para ouvir o seu regresso em “Soul, Sweat & Cut the Crap!”, um disco que não vai deixar ninguém parado de 2015 em diante !

O 2º álbum da banda com edição digital prevista para o 8 de Junho, com o título “Soul, Sweat & Cut the Crap!” é um manifesto 100% composto por originais da banda.

Sem rodeios nem meias-tintas, os Cais Sodré Funk Connection mantêm-se mais de 5 anos depois do seu surgimento a caminhar num terreno sinuoso e difícil mas inspirados e com os “olhos no prémio”: a alegria, a liberdade e o prazer da dança e da partilha da grande música negra

 

Fonte: Produtores Associados

Reportagem: Emicida na Casa da Música

A Sala 2 da Casa da Música no Porto foi grande para o concerto do rapper Brasileiro Emicida.

Foi grande devido à parca audiência presente, mas foi "grande" devido ao excelente concerto que o artista de São Paulo trouxe ao Porto.

DSC_0842 (Cópia).jpgDois convidados de luxo provenientes do Porto ajudaram a dar “show” ontem à noite.

Capicua e Dealema representaram e bem o hip-hop que é feito na invicta.

DSC_0855 (Cópia).jpg

Emicida “deu show”. O Porto assitiu ao concerto do inicio da tournée na Europa. Hoje é vez de Lisboa no Armazém F e depois seguem para Inglaterra “a convite da rainha” como o cantor fez questão de afirmar num dos seus imensos diálogos entre o público e o resto da banda que estava em palco.

DSC_0823 (Cópia).jpg

O público, maioritariamente Brasileiro, vibrava com a interação de Emicida, muitas das vezes complicado de “perceber” para os nacionais.

Falou do seu inicio em São Paulo, das “batalhas de rimas” nas escadas de S. André, da sua anterior vinda a Portugal em 2014 e dos trocadilhos com o “cavaquinho”, instrumento usado pelo artista em palco.DSC_0985 (Cópia).jpg

Falou da Europa, como o Brasileiro sonha viver na Europa e ganhar dinheiro no velho continente. “por isso é que estamos agora aqui, é para ganhar dinheiro” como fez questão de referir.

O pouco público presente acabou por passar despercebido pois eram poucos mas bons. Verdadeiros fãs do rapper, conheciam os temas de cor, cantavam, dançavam num verdadeiro “show”.

DSC_0906 (Cópia).jpgO concerto iniciou-se com o tema "Cacariacô" numa entrada calma em palco, mas rapidamente a sala foi contagiada pelas rimas de Emicida. Os “beats” de DJ Nyack, baseados em sambas e temas populares brasileiros marcaram definitivamente o concerto. Um som único, e seguinto a linha de uma nova geração de “hip-hopers” do Brasil que conjugam rimas e batidas com o tradicional.

DSC_0895 (Cópia).jpgA meio do concerto Emicida chama ao palco Capicua.

Ana Matos confessa estar nervosa por estar ali mas ao som de “Medo” e de “Rua Augusta” rapidamente integra-se no concerto.

DSC_0976 (Cópia).jpgJá perto do final os Dealema sobem ao palco onde os “Comportamentos Bizarros” proporcionam um dos melhores live-act dos Dealema.DSC_0943 (Cópia).jpg A terminar, Emicida traz o samba ao concerto com a banda alinhada em ritmo de coreografia.

DSC_0883 (Cópia).jpgNo final incentivou o público a adquirir o seu disco de estreia “O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui” lançado em 2013, por apenas 2 Euros, “mais barato que lá no Brasil”

 

Alinhamento do Concerto:

- Cacariacô

- Emicida

- Bang

- Gueto

- País do Futebol

- Levanta e anda

- Triunfo

- Zoião

- Hoje Cedo

- Medo (Capicua + Emicida)

- Rua Augusta (Capicua + Emicida)

- Eu gosto dela

- Trepadeira

- I love quebrada

- Ubuntu

- Comportamentos Bizarros (Dealema + Emicida)

- Zica/Noiz

- Rinha

 

Casa da Música (Porto) / 22 de Abril 2015

Reportagem e fotografias: Paulo Homem de Melo