Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Reportagem: FLIC – Les Crazy Coconuts (Coliseu)

“Poderíamos ser uma banda de Kuduro Progressivo. Ou de outro estilo qualquer.

Pensando bem, não sabemos em que género nos encaixamos.

Não gostamos de rótulos.

Somos três (3).

É um desafio e uma 'inovação'.

É um projecto que junta melodia, percussão e dança.

Voz, bateria e sapateado.

Nota: temos a bailarina mais linda... “ (in facebook da banda)

DSC_0166 (Cópia).jpgJuntar uma bateria ao sapateado foi a ideia que levou a dançarina Adriana Jaulino a convidar o músico Tiago Domingues para um projeto diferente.

Em tom de brincadeira, o nome “Les Crazy Coconuts”, tão pronunciado antes do primeiro ensaio, acabou por ficou.

Gil Jerónimo, o outro elemento do grupo, “aliciado para se juntar a um grupo de kuduro progressivo”, uma partida combinada entre a Adriana e o Tiago, foi o último a chegar. Foi ele que deu o toque musical que faltava a este grupo com origem em Leiria.

DSC_0175 (Cópia).jpgA estreia de Les Crazy Coconuts foi em dezembro de 2012, em Pombal. “Na altura só tínhamos duas músicas, e o público mostrou bastante interesse”.

Sem um estilo definido, mas com um estilo próprio, dizem que tocam uma espécie de “rock jazzy pop”.

Desta vez no Coliseu foi diferente. Uma sala praticamente cheia e um conjunto de temas que durante 50 minutos conseguiu colocar um público de olhos postos no sapateado da Adriana

DSC_0193 (Cópia).jpg“Estava habituada a dançar sobre a música, não a criá-la”, confessa Adriana,

DSC_0157 (Cópia).jpgO disco de estreia esta para breve.

Para já o único registo disponível, “belong” pode ser encontrado nos discos “FNAC Novos Talentos 2014” e “Leiria Calling” de 2014, este último publicado com a revista Blitz em Junho de 2014.

 

Reportagem: Sandra Duarte Pinho

Fotografias: Paulo Homem de Melo

Agenda: Flâneur - Novas Narrativas Urbanas

Tem lugar nos próximos dias 12 e 13 de maio, no S. Luiz Teatro Municipal, a conferência Flâneur – Novas Narrativas Urbanas.

Flaneur1.jpg"A deriva urbana na Arte Moderna e Contemporânea", "Cidade, Fotografia e Cinema – A representação do flâneur no audiovisual" e "Os territórios da flânerie: a experiência actual dos espaços públicos urbanos" são os temas a ser debatidos em 3 painéis distintos que contam, respectivamente, com Basia Sliwinska (School of Art and Design, Middlesex University), João Soares (CHAIA/UE) e Álvaro Domingues (FAUP) como keynote speakers e com mais de 20 oradores no total.

6.jpgCom o objectivo de ser um momento de encontro e reflexão conjunta entre académicos, artistas e curadores, esta conferência é também o momento da apresentação pública do Projecto Flanêur - projecto de arte no espaço público que tem por base a fotografia contemporânea, o território urbano e o trabalho em rede – e que, a partir de Lisboa se irá disseminar a nível internacional.

As reflexões produzidas pelos participantes na conferência serão uma importante reserva de conhecimento para a implementação do Projecto Flâneur ao longo dos seus dois anos de programação (2015/2017).

A sessão de abertura da conferência e apresentação do Projecto Flâneur irá contar com Catarina Vaz Pinto (Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa), Ángel Luis González Fernández (PhotoIreland), Krzysztof Candrowicz (Triennale der Photographie Hamburg), Nuno Ricou Salgado (Procur.arte) e ainda com uma palestra do arquitecto Francesco Careri (LAC/UniRoma3) subordinada ao tema "Caminhar como prática arquitectónica".

A conferência tem como comissão científica Mirian Tavares e Ana Isabel Soares (CIAC/UAlg), Pedro Costa e José Luís Saldanha (DINÂMIA’CET–IUL/ ISCTE–IUL), Margarida Brito Alves, Giulia Lamoni e Nuno Crespo (Instituto de História da Arte/FCSH-UNL e é uma organização conjunta da Procur.arte, do CIAC/UAlg, do DINÂMIA’CET-IUL/ISCTE – IUL e o IHA/FSCH-UNL

 1.jpg

“Flanêur” é um projecto de arte no espaço público que desafia fotógrafos a produzirem novas leituras sobre a urbanidade, propondo a descoberta da cidade numa nova perspectiva.

Tendo como ponto de partida a ideia de “Flâneur” (conceito criado por Baudelaire) que tem sido utilizado como instrumento para compreender os fenómenos urbanos em termos económicos, culturais e históricos - o projecto procura na cidade aquilo que não é óbvio, o que está para lá da evidência, colocando em “diálogo” a perspectiva interna e externa, através da intervenção de fotógrafos locais e fotógrafos convidados.

Os trabalhos fotográficos resultantes da referida análise serão expostos em instalações “site specific” numa lógica de intervenção e dinamização do espaço público, trazendo para as ruas e praças das cidades o trabalho de artistas geralmente destinados aos museus e galerias.

O sistema expositivo, criado e utilizado no projecto “Entre Margens”, tem uma forte componente teatral, concebido como uma estrutura cenográfica que convida o público a “subir ao palco” e dessa forma integrar o espaço expositivo.

 

Promovido pela Procur.arte - Associação Cultural, o Projecto conta com o apoio da Unesco - International Fund for the Promotion of Culture (IFPC) e da Creative Europe - Larger scale cooperation projects' EACEA, e integra 14 entidades parceiras de 10 países europeus (Portugal, Alemanha, Itália, Reino Unido, Irlanda, Lituânia, França, Espanha, Polónia, Letónia).