Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: The Big Lebowskis

The Big Lebowskis é um projecto de spoken word de Tiago Gomes (voz) e Francisco Rebelo (guitarra), com João Cabrita (saxofone) como convidado.

vila_real.jpgConstrói temas a partir de textos literários e de influências várias da música, cinema e literatura. The Big Lebowskis tem algo de Dude, Walter e Donny, do filme homónimo dos irmãos Cohen, com textos de Tiago Gomes, Jack Kerouac, Bob Kaufman, Sam Shepard, Lawrence Femingueti, Langston Hughes, entre outros.

 

Tiago Gomes é poeta, letrista (A Naifa e Linha da Frente). Edita a revista “Bíblia”. Foi fundador da Galeria ZdB em Lisboa

Francisco Rebelo formou os Cool Hipnoise e os Spaceboys. Integra os grupos Orelha Negra e Cais Sodré Funk Connection.

João Cabrita trabalhou com inúmeros artistas portugueses e brasileiros. Fez parte dos Sitiados, Kussondulola, Despe e Siga e dos Assessores, de Sérgio Godinho. Anda em tournée com The Legendary Tigerman

 

Literatura, poesia e música com entrada gratuita….

 

Teatro de Vila Real

16 de abril 2015 | 22.30h

Agenda: Stand up comedy… com Joel Santos

Joel Ricardo Santos sobe ao palco do Café Concerto, no Cinetreatro António Lamoso, esta quarta feira.

joel1.jpgMúsico desde os 6 anos, Joel Ricardo Santos, faz o seu primeiro espetáculo de comédia em Fevereiro de 2011.

Desde então, e com mais de três centenas de espetáculos, tem vindo a marcar a comédia nacional com a energia e entrega que o caracterizam.

Joel proporciona um espectáculo completo, que vai desde a música de cariz humoristica até ao Stand Up Comedy. Natural de Santa Maria da Feira, Joel Santos apresenta-se ao seu público numa noite que promote muito boa disposição.

 

Como ele próprio refere “ainda sou perseguido por demónios do passado pelo facto de se vestir ridiculamente na escola primária...”


 

Cineteatro António Lamoso (Santa Maria da Feira)

15 de abril 2015 | 22.00h

Reportagem: Best Youth em concerto (Casa da Musica)

“Highway Moon” foi o mote para o concerto de apresentação do novo disco dos Best Youth.

No passado sábado a Sala 2 da Casa da Música no Porto foi pequena em todos os sentidos para assistir ao concerto dos Best Youth, integrado em mais uma edição dos NOS Club,

DSC_0569 (Cópia).jpgCatarina Salinas e Ed Rocha Gonçalves, são os Best Youth, banda do Porto, que sabem transmitir como poucos grupos, nas suas canções a envolvência e sensualidade de uma banda que tem vindo a conquistar o público. A harmonia e o ritmo são palavras de ordem do grupo.

DSC_0564 (Cópia).jpgA banda sobe ao palco ao som de “Black Eyes” onde a voz envolvente de Catarina leva para o infinito os cerca de 600 fãs da banda que ocupavam a sala. Sem duvida um dos temas mais fortes e envolventes do novo disco. Segue-se um ritmo mais dançante com “Mirrorball”

DSC_0557 (Cópia).jpg“Nice face” tema do projeto There Must be a place que juntou os Best Youth e os We Trust em 2012 foi o terceiro tema da noite e que definitivamente conquistou a audiência. A cumplicidade das vozes de Catarina e de Ed neste tema levaram ao rubro a sala.

DSC_0588 (Cópia).jpgUm dos momentos do concerto foi o tema “Red Diamond”, single de apresentação do disco novo, e onde a expressividade em palco de Catarina foi evidente. Um tema como a própria banda já fez questão de afirmar “a sua textura de filigrana, aparentemente frágil mas forjada na melhor tradição pop”

 

“In the shade” faz dançar a sala, projeto que juntou os Best Youth a Moullinex em finais de 2014.

DSC_0593 (Cópia).jpg“Hang out” do EP de estreia da banda “Winterlies” finalizava o concerto, sem que antes tenham apresentado a sua “cover” do tema dos Boyz Noise “My moon my man”.

 

Os Best Youth mostram mais uma vez porque são umas das melhores banda Portuguesas a produzir música e a confirmar porque em 2012 foram considerados uma das bandas revelação no nosso país. Muito se podia escrever sobre os Best Youth, mas o melhor é mesmo ouvir a banda.

DSC_0652 (Cópia).jpgPara já a banda tem 3 concertos agendados em Portugal, 12 junho em Coimbra, dia 13 em Santa Maria da Feira e dia 20 de Junho na Marinha Grande, bem como alguns concertos fora de Portugal.

A não perder....

 

Alinhamento do concerto:

- Black eyes

- Mirrorball

- Nice face

- Shouts

- Dirty smile

- Mouth

- red diamond

- Maybe we can still be friends

- In the shade

- Fanatic

- My moon my man

- Hang out

 

Fotografias e Reportagem: Paulo Homem de Melo

Agenda: Kraftwerk em Portugal

Os Kraftwerk, para muitos conhecidos como os pais da electrónica, trazem a Portugal um arrojado espectáculo 3D.

kraftwerk-title-188.jpgCriado nos anos 70, o quarteto alemão alcançou fama através do uso inovador dos computadores na produção de música, tornando-se uma inesgotável fonte de inspiração para as gerações futuras. A sua influência é reconhecida por músicos dos mais variados géneros, do electro ao hip hop, do techno ao synthpop.

 

O projecto multimédia Kraftwerk foi fundado em 1970 por Ralf Hutter e Florian Schneider dentro da cena de arte experimental que a cidade alemã de Düsseldorf albergou no final dos anos 60. Foi aí que construíram o Kling Klang Studio, onde criaram todos os álbuns que viriam a ser adoptados mundialmente como banda sonora da era digital do século XXI.

Textos curtos e concisos, sons sintéticos e ritmos mecanizados serviram de base a uma poesia sonora que ganhou expressão visual na imagem robótica com que sempre se apresentaram ao vivo. Desde o início, aliás, que os Kraftwerk consideram que os concertos devem ser eventos audiovisuais completos, conseguindo alargar a sua influência para além do campo musical e estendendo-a à arte visual contemporânea, como uma expressão de um mundo dominado por máquinas e computadores.

Em 2014, os dois fundadores originais da banda foram galardoados com o Grammy Lifetime Achievement Award.

 

 

Coliseu de Lisboa

19 de Abril 2015 | 21.00h

 

Casa da Música – Porto

20 de Abril 2015 | 21.30h

Festivais: Mark Lanegan Band… (Paredes de Coura)

Mark Lanegan Band é a mais recente confirmação para o festival Vodafone Paredes de Coura.

mark.jpgO ex-líder dos Screaming Trees passa pelo festival a 21 de agosto, para a apresentação do seu disco de 2014 “Phantom Radio”

“um manual de escrita e composição de canções de inspiração folk-blues sombrias, conduzidas pela voz profunda e perigosamente sinuosa do veterano Lanegan”

Mark Lanegan regressa assim a Portugal depois de 2 concertos em Março deste ano no Porto e Lisboa.

Para além de Mark Lanegan, são confirmados no cartaz do festival os White Fence, Woods e Natalie Prass.

white.jpgOs White Fence, banda de Los Angeles liderada por Tim Presley, passa pelo festival a 20 de agosto. Em apresentação estará o pop-rock psicadélico do seu mais recente álbum, “For The Recently Found Innocent”.

 

O trio de Jeremy Earl, os Woods, tem atuação agendada para 22 de agosto. “With Lights and With Love”, o mais recente registo da banda, será o disco em destaque no festival.

Natalie-Prass--009.jpgNesse mesmo dia atua Natalie Prass, que viu, este ano, o seu álbum de estreia homónimo ser distinguido pela “Pitchfork” como um dos “Best New Albums”. Espécie de trovadora de desgostos amorosos, com uma fascinante capacidade de contenção nas melodias de voz, deixa o dramatismo por conta do volume de instrumentos de corda, sopro e percussão que a acompanham.

Estes nomes juntam-se aos anteriormente anunciados Tame Impala, Pond, Father John Misty, Temples, Charles Bradley, Iceage, Waxahatchee, Fuzz, Allah-Las, Steve Gunn e The War On Drugs.

 

A 23ª edição do festival Paredes de Coura acontece nos dias 19, 20, 21 e 22 de agosto, na praia fluvial do Taboão em Paredes de Coura.

Cinema: “Foi o fio” vence prémio na Alemanha

O filme de animação “Foi o Fio” de Patrícia Figueiredo, produzido pela Filmógrafo e Cine-Clube de Avanca acaba de ser distinguido com o segundo prémio do “3º International Monstronale Festival”.

Este evento, que este ano elegeu “Paixões” como temática, decorreu até este domingo na cidade alemã de Halle.

Fio 02.jpgA história de “Foi o Fio” envolve 3 mulheres. Uma mulher novelo, uma velha mulher que passa os dias a olhar pela janela e uma vendedora de roupa caída dos estendais, estão unidas por um fio. As três conduzem as ações de outras personagens e o inevitável destino de uma mulher com o marido às costas.

Sobre este filme, o júri declarou ser "Uma bela prova de linearidade, mesmo num (não) enredo aparente".

Sendo a obra de estreia de Patrícia Figueiredo, o filme foi já exibido em 31 festivais, em Portugal mas também na Alemanha, Áustria, Bulgária, Canadá, Chile, Croácia, Espanha, França, Hungria, Índia, Marrocos, Rússia e Turquia. É o quinto prémio atribuído ao filme.

 

Patrícia Figueiredo nasceu em 1985 e licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, tendo concluído o curso em Cracóvia (Polónia), onde frequentou o atelier de Cinema de Animação na AkademiaSztukPięknych w Krakowie. Atualmente está a finalizar o Mestrado em Ilustração e Animação no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave.

O seu trabalho divide-se entre a animação e a ilustração, onde participa em vários livros infantis.

 

Com música do compositor Joaquim Pavão e produção de António Costa Valente, a realizadora teve a companhia na animação da Raquel Felgueiras, Íria Cabaleiro, Rodrigo Barata e da equipa constituída por António Osório, António Fonseca, Bruno Correia, Carla Tavares, Daniela Couto, João Ferreira, Maria Rebelo, Ricardo Silva, Sérgio Reis e Vânia Clara. Na produção, Eunice Castro e Rita Capucho assistiram Júlia Rocha e Álvaro Marques.Patrícia Figueiredo e Raquel Felgueiras montaram o filme.

“Foi o Fio” foi realizado no estúdio de cinema de animação do Cine-Clube de Avanca, com produção Filmógrafo e apoio financeiro do ICA - Secretaria de Estado da Cultura, com co-financiamento da RTP, Radiotelevisão Portuguesa