Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: Clã… Ólöf Arnalds… e outros no Auditório de Espinho

O Auditório de Espinho promete um segundo trimestre de 2015 cheio de boa música mas não só.

Apresenta uma variedade cultural que abrange várias áreas.

cla.jpgA programação arranca já no próximo dia 18 de Abril com um concerto dos Clã, onde apresentam o seu último disco, "Corrente".

É o regresso dos Clã aos palcos no ano de 2015, seu elemento natural, onde se encontra a irreverência e a energia da banda. Mas é também o regresso dos Clã com novas canções, feitas em colaboração com os seus (novos) cúmplices como Carlos Tê, Sérgio Godinho, Arnaldo Antunes, Regina Guimarães e John Ulhoa e que conta ainda com os novos parceiros como Nuno Prata e Samuel Úria.

 

Em maio a programação arranca no dia 8 com uma estreia absoluta em Portugal, o brasileiro Castello Branco.

Com o seu disco de estreia, editado em 2013, Castello Branco tornou-se numa das vozes mais entusiasmantes da nova música brasileira. No dia 15 de Maio a Orquestra Clássica de Espinho sob direcção do maestro Pedro Neves, apresenta-se num concerto que terá como intérpretes os jovens solistas da Escola Profissional de Música de Espinho.

 

Dia 16 de maio sobe ao palco a islandesa Ólöf Arnalds, uma das vozes mais particulares do seu país. A primeira parte do concerto da cantora nórdica é assegurada por La Familia del Árbol.

No dia 22 de Maio o Ensemble Super Moderne, grupo constituído por improvisadores e compositores, actua no Auditório de Espinho, e no dia 23 é a apresentação do trio Ens3mble, que apresenta o espectáculo "1996", de Ryuichi Sakamoto. Criado para a apresentação desta obra, o trio Ens3mble propõe a apresentação deste concerto em formato multimédia, com a projecção de vídeos concebidos para cada uma das obras de "1996".

 

No dia 27 de Maio, a folk music vai animar o Auditório de Espinho que recebe a visita de Devendra Banhart e Andy Cabic, num concerto já esgotado a esta distancia.
No dia 12 de Junho, Nuno Aroso com a colaboração de Rita Redshoes, Marina Pacheco, Mário Teixeira e Rui Sul Gomes apresenta o espetáculo "1 + 4 = 7".
Este espetacúlo será apresentado unicamente no Auditório de Espinho. Um espectáculo de grande dimensão poética, visual e sonora

 

Texto: Sandra Duarte Pinho

Fotografia (Manuela Azevedo): Paulo Homem de Melo

Agenda: Nuno Prata… celebra Aniversário

Nuno Prata e Convidados é o concerto do artista português agendado para o dia 21 de Abril no Passos Manuel no Porto.

Da lista de “convidados” constam nomes como: Nico Tricot, Nicolau Fernandes, Eduardo Silva, Elisio Donas, Manel Cruz, Kinorm e António Serginho

nuno.jpgSerá a festa do 40º aniversario do artista que, como o próprio fez questão de salientar “vou celebrar com um concerto em que alguns dos meus amigos do peito e de abraço aparecerão a dar um ar da sua graça, para me porem na cara um sorriso ainda mais terno do que o dos meus 4 anos”

No cartaz de apresentação do concerto podemos ver uma fotografia de Nuno Prata com 4 anos.

 

Antes do concerto de aniversario, Nuno Prata apresenta-se no Palácio do Sobralinho em Lisboa já neste sábado, 11 de Abril

 

Nuno Prata foi o baixista da banda portuense Ornatos Violeta.

Em 2002, começou uma carreira a solo. Nesse ano grava alguns temas com Nicolas Tricot, ex-Red Wings, Mosquito Stings, intitulada Nuno, Nico. As mesmas canções seriam regravadas mais tarde, para se tornarem parte integrante do primeiro álbum de Nuno em nome próprio intitulado “Todos os Dias Fossem Estes/Outros”, editado em meados de 2006.

Em 2010, lançou o seu segundo disco a solo “Deve Haver”.

Produzido por Hélder Gonçalves, contou com as participações de Manuela Azevedo e B Fachada.

Em finais de 2014 edita o seu terceiro disco, “Nuno Prata”. Gravado a dois, ao lado do multi instrumentista Nico Tricot, colaborador habitual, numa pequena sala, esta edição de autor mantém o ambiente intimista, talvez até mais do que os antecessores

 

Passos Manuel (Porto)

21 abril 2015 | 22.00h

Agenda: Ólöf Arnalds... em Espinho

Ólöf Arnalds é uma das vozes mais particulares surgidas na Islândia. Marcada, como quase todos os artistas nativos da ilha do gelo e do fogo, pelas paisagens da sua terra natal, Ólöf teve uma educação musical clássica no violino e na viola como instrumentos principais, que complementou com a guitarra e com o charango argentino.

Mas é a sua voz a sua principal arma, a mesma que Björk descreveu como sendo a voz algures entre uma criança e uma mulher idosa. O seu último disco, “Palme”, editado pela One Little Indian, tem recebido aclamação geral entre público e imprensa.

olof.jpg

A noite será de viagem e de fantasia.

 

Academia de Espinho

16 maio 2015 | 21.30h

Festivais: Party Sleep Repeat

Moullinex, Black Bombaim e Linda Martini são as primeiras confirmações do Party Sleep Repeat, um festival que promete um grande cartaz.

Linda_martini1.jpgO festival de música, organizado pela Associação Cultural Luís Lima para homenagear o próprio.

Moullinex, Black Bombaim, Linda Martini, Cave Story e Tamadão passam pela Oliva Creative Factory a 9 de maio, a convite do evento que marca, pelo terceiro ano consecutivo, o cartaz cultural da cidade.

 

A seleção da organização mostra um gosto especial pelo novo rock nacional, com um pé de música de dança. “As bandas e artistas que vão passando pela Oliva no âmbito do Party Sleep Repeat são, na nossa opinião, bastante originais e acrescentam bastante valor ao panorama nacional da música portuguesa. Aliás, este ano fomos ainda mais ambiciosos e vamos trazer artistas com carreiras de projeção internacional”, refere Tiago Valente, presidente da Associação Luís Lima.

Os Cave Story são a banda emergente escolhida para esta edição. Um trio post-punk formado nas Caldas da Rainha que serão os responsáveis pela abeertura do festival. A segunda banda a apresentar-se são os Black Bombaim, mais um trio desta vez de Barcelos que prometem o mostrar que o rock psicadélico em Portugal consegue ser uma grande aposta.

Os Linda Martini surgem como os “cabeças de cartaz”. No ano que celebram 10 anos de carreira, o grupo já é uma presença de culto no panorama do rock nacional, esgotando os diversos espaços por onde atuam.

Moullinex é a proposta de dança para a noite de 9 de Maio. Projeto do produtor Luís Clara Gomes, Moullinex situa-se nos géneros disco, house e new wave. Segue-se, para fechar, Tamadão, duo composto por Tam, um editor do Porto, e Adão, natural de S. João da Madeira e grande amigo de Luís Lima. Está prometido um DJ set à base de discos de vinil com um “mixing de uma qualidade espantosa para uma dupla ainda algo obscura mas que merece toda a atenção do público que gosta de funk, house e electro”

 

Para além das propostas musicais apresentadas, o festival reserva ainda uma surpresa para a tarde do dia 9 nos Paços da Cultura de S.João da Madeira.

 

Oliva Creative Factory (S. João da Madeira)

9 maio 2015

 

Texto: Sandra Duarte Pinho

Fotografia (Linda Martini): Paulo Homem de Melo

Agenda: Agir… em Aveiro e no Porto

Nascido em 1988, Agir canta, toca e compõe desde os doze anos, muito por muita influençia das musicas do Pai (Paulo de Carvalho) e da mãe (Helena Isabel), e a sua música foi conquistando cada vez mais fãs através da divulgação nas redes sociais.

agir.jpgA sua primeira musica tinha como titulo "Este sou eu", desde dessa altura Agir continuou a escrever e a cantar

Pseudónimo de Bernardo Costa é "Agir" porquê?:

"Deve-se pensar duas vezes antes de Agir mas eu custumo Agir duas vezes antes de pensar..."

 

É absolutamente ecléctico e, apesar de ter influências fundamentais nas suas musicas do Dancehall, mostra traços de Hip-Hop, Reggae, Soul, House, Dirty House, etc...

Aos 20 anos começou a fazer tatuagens… Todas a suas tatuagens não tem significados, só algumas, o resto é pela a arte do desenho e da tatuagem em si… as suas rastas, pircings e alargadores são devido ao facto de Agir gostar de “chatear” as pessoas…

 

Este ano Agir editou o seu segundo disco de originais, “Leva-me a sério”, depois de ter lançado em 2010 o seu disco de estreia “Agir”, disco que o autor considerou ser o seu best off.

 

Agir vai estar em Aveiro no dia 10 de Abril (feira de Março) e no dia 11 no Porto no Pavilhão Rosa Mota no evento Os Melhores do Ano Nova Era.

 

Feira de Março (Aveiro)

10 abril 2015 | 21.30h

 

Nova Era Melhores do Ano (Porto)

11 abril 2015 | 21.00h (evento)

 

Texto: Sandra Duarte Pinho

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Festivais: Sumol Summer Fest… Welcome Party…

O Sumol Summer Fest alia o mar ao sol quente de verão, com a oportunidade de se usufruir do incrível cenário da Ericeira, para os primeiros dias de férias ao som da melhor música.

Como já vem sendo habitual, o festival terá início com a Welcome Party no dia 2 de julho , e os convidados são de luxo: os australianos Knife Party , os canadianos Dragonette, em estreia em Portugal e o português DJ Glue.

djglue2.JPGMiguel Santos, residente em Almada mas nascido em Lisboa, é tratado carinhosamente por “mãozinhas” mas o seu nome de guerra, nas coisas da música, é Dj Glue.

É um tecnicista e virtuoso no turntablism e na capacidade ampla de desfilar sons de muitos géneros. Já foi companhia dos Da Weasel, mas tem conquistado paixões na sua carreira a solo.

Os seus incríveis sets têm transportado o DJ às melhores cabines do nosso país, mas também para lá das fronteiras. Funde com génio eletrónica variada com hip hop e outras categorias à mistura.

 

Durante os três anos que passaram desde que a dupla australiana constituída por Rob Swire e Gareth McGrillen surgiu, a abordagem singular dos Knife Party e as suas produções ferozes foram o que os levou à ascensão meteórica nos rankings da electrónica, desde o anonimato até à conquista da liderança das pistas de dança e a encabeçarem os cartazes dos maiores festivais de Música.

Conquistaram um enorme sucesso com o disco de 2014 “Abandon Ship”, subindo rapidamente até aos lugares cimeiros das tabelas dos melhores DJs do mundo.

dr-hi-res-kristinvicari1.jpgOs Dragonette, originários do Canadá, oferecem a excelência do electropop polvilhado de referências estéticas e rítmicas que nos lembram dos anos 80.

O trio é constituído por Martina Sorbara (voz), o baixista e produtor Dan Kurtz e o baterista Joel Stouffer. A banda explodiu definitivamente com o tema “Jesus Doesn’t Love Me”, retirado do disco de estreia “Galore” (2007).

Dois anos mais tarde chegou a edição “Fixin to Thrill”, fixando os Dragonette como uma das bandas mais interessantes do mercado da electrónica e é isso que nos vêm mostrar na Welcome Party do Sumol Summer Fest, palco da sua estreia no nosso país.

 

Fonte / Fotografias: Musica no Coração Press kit

Festivais: Django Django... NOS Alive!

Django Django são a mais recente confirmação do festival NOS Alive’15.

O quarteto britânico irá apresentar o seu mais recente registo de originais, “Born Under Saturn”, com edição agendada para o próximo dia 4 de maio de 2015.

A banda irá atuar no dia 9 de julho no mesmo palco dos já anunciados Metronomy, Jessie Ware, Flume e Young Fathers.

django.jpgO disco homónimo, “Django Django”, editado em 2012, e responsável pela internacionalização do grupo, foi considerado o melhor álbum do ano nas principais publicações de música como a “NME”, “Rolling Stone” e “Blitz”.

Para além disso, o disco valeu-lhes ainda a nomeação para um Mercury Prize.

 

“Born Under Saturn”, sucessor do álbum de estreia, já conta com dois singles apresentados ao público, “First Light" e “Reflections”.