Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festivais: Festival do Crato… Selah Sue

Selah Sue e os D.A.M.A. são os primeiros nomes confirmados para a edição de 2015 do Festival do Crato

selah.jpg

Depois do sucesso da edição de 2014, que esgotou por completo a capacidade do recinto nos 4 dias do evento, o Festival do Crato está de regresso em 2015 com um cartaz que aposta em alguns dos melhores projetos da música nacional e internacional, a tradicional Feira de Artesanato e Gastronomia, zona de acampamento gratuito, palco After-Hours e muita animação!

Este que é um dos maiores eventos realizados no Alentejo vai decorrer de 26 a 29 de Agosto na histórica vila alentejana.

 

Selah Sue, nasceu em Leefdaal, 3 de maio de 1989 e é uma cantora e compositora belga. O seu álbum de estréia, “Selah Sue” lançado em março de 2011 vendeu mais de 720.000 cópias na Europa, sendo 320.000 apenas na França.

Os singles "Raggamuffin", "Crazy Vibes" e "This World" tiveram considerável popularidade na Bélgica, França, Suiça e Holanda.

Nesse mesmo ano Selah Sue ganhou o European Border Breakers Awards (EBBA).

Em janeiro de 2012, foi novamente premiada pela escolha do público pela revista Rolling Stone que a considerou como artista revelação do ano de 2012

 

Texto: Sandra Duarte Pinho

 

 

Festivais: NOS Alive!... Palco dedicado à Comédia

O Jardim Caixa está de regresso ao Passeio Marítimo de Algés com um alinhamento de luxo.

Herman José, Francisco Menezes, Jean Carreira, Hugo Rosa, Rui Xará, Jorge Picoto e Rita de la Rochezoire são os nomes que farão parte do alinhamento do dia 10 de julho.

O NOS Alive! irá acolher pelo segundo ano consecutivo uma zona de stand up comedy, que tem como objetivo receber alguns dos maiores humoristas nacionais.

jardim_caixa.jpgHerman José dispensa apresentações.

Considerado o maior entertainer português de sempre, conta no seu curriculum com alguns dos mais bem sucedidos programas e talk-shows de humor feitos em Portugal. “O Tal Canal”, “Hermanias”, “Herman Enciclopédia” são exemplos que marcaram toda uma geração e um país. Desde há mais de uma década que concilia a apresentação constante de programas em jeito de Talk Show, com a actuação ao vivo, percorrendo todo o país e comunidades com o seu humor transversal. Actualmente a apresentar o programa “Há tarde”, demonstra o seu excelente estado de forma, como referência no entretenimento e na espontaneidade e cultura necessárias para a condução dum programa diário.

 

Francisco Menezes, que se junta a Herman José no segundo dia do NOS Alive’15, ficou conhecido pelas suas várias presenças no "Levanta-te e Ri", mas começou a sua carreira na ex-Ntv (agora RTPN) com dois programas de humor, de autoria e interpretação sua, o "N cromos" e "O desterrado", tendo depois passado pela RTP com outro programa seu, "Portugal FM".

Antes disso fez rádio, cantou em casinos, e até trabalhou na secção de congelados do Continente. Diz-se que “é o artista quase total. Tem uma grande voz, é engraçado como o caraças e o seu texto é muito bom. Só lhe falta depilar as pernas”.

 

O mais recente fenómeno da música portuguesa, Jean Carreira, criado pelo humorista Vasco Duarte, rapidamente tornou-se um culto através das redes sociais. Trata-se do filho perdido de Tony Carreira, fruto de uma relação do cantor nos seus tempos de emigrante no Luxemburgo. Jean Carreira voltou a Portugal para conhecer e estar com o seu pai, mas a relação não tem sido fácil. Jean usa o seu lado Carreira - o talento musical - para comunicar com o pai, através das suas canções. E os fãs agradecem.

No mesmo dia sobe ao palco Hugo Rosa, o comediante que se tornou viral nas redes sociais, depois de ter participado no programa “Portugal Got Talent”, na RTP 1. O video da sua atuação atingiu um milhão de visualizações. No entanto, já há uns anos que desenvolve stand up comedy por tudo o que é local de culto deste estilo de comédia.

 

Rui Xará, um dos pioneiros na arte da stand up comedy em Portugal, é outro dos nomes que se junta ao cartaz de dia 10. O comediante, que este ano está a comemorar 14 anos de percurso profissional, já conta com cerca de mil e quinhentas actuações por todo o País. As várias participações televisivas e a organização de alguns dos mais relevantes eventos de humor nacionais, são um cartão de visita ímpar, mas exaustivo para se conseguir descriminar.

O actor e comediante Jorge Picoto é outro dos nomes que certamente fará rir os visitantes do Palco Comédia. Picoto tem desenvolvido stand up comedy e não só, foi intérprete recentemente do elenco da peça “A culpa é do mordomo”, que esteve em cena no Chapitô.

Este ano o Jardim Caixa volta a receber em palco o desafio “Faz Comédia no Jardim Caixa”, que dará a oportunidade a novos talentos da comédia nacional de subirem ao Palco Comédia, ao lado de alguns dos melhores humoristas portugueses.

Para moderar e apresentar os vencedores do desafio o Jardim Caixa contará com a cara conhecida da televisão nacional, Rita de la Rochezoire.

 

Texto: Sandra Duarte Pinho / Everything is New Press Release

Agenda: The Kooks nas noites do Parque

A banda Inglesa The Kooks é a mais recente confirmação nas noite do Parque, integrado na semana da queima das fitas de Coimbra. O concerto está agendado para a noite de 15 de Maio no Parque da Canção.

kooks1.jpgA banda é originária de Brighton, uma das cidades mais visitadas da Inglaterra. A cidade tem dado detaque às artes e, uma vez por ano todos os artistas da cidade apresentam seus trabalhos no famoso Festival de Brighton.

A cidade é ainda procurada por turistas internacionais e britânicos.

 

Foi em Brighton, e andando nas areias da praia e respirando esse ar de cultura que, em 2002, nasceu o grupo The Kooks.

Entre 2002 e 2004 o grupo fez pequenos concertos por Brighton e grava também o seu primeiro EP numa editora independente.

Em 2004 a banda assinou contrato com a Vigin Records, lançando o seu primeiro álbum, “Inside in/Inside out” em 2005.

 

Em 2014 é lançado o quarto disco da banda.

“Listen” tem sido o disco que acompanha os The Kooks nas digressões mais recentes

Com uma proposta bastante inovadora e diferente dos outros trabalhos do grupo, “Listen” também servirá de suporte ao concerto de Coimbra no próximo dia 15 de Maio.

 

 

Texto: Paulo Homem de Melo

Reportagem: Joan Baez (Coliseu do Porto)

No passado dia 31 de março o Coliseu do Porto encheu por completo para receber a cantora e lenda viva da folk music norte-americana, Joan Baez. Uma plateia composta maioritariamente por uma geração mais velha que não deixou “escapar” a oportunidade de conhecer em palco uma das cantoras mais antigas ainda a marcar presença nos grandes palcos da música internacional.

DSC_0619 (Cópia).jpgJoan Baez estreou-se em 1959.

Tinha apenas 18 anos e a sua estreia foi no Newport Folk Festival, onde foi a grande revelação.

Desde então o seu estilo folk conquistou o mundo e Joan Baez rapidamente se tornou numa referência entre as vozes femininas norte-americanas.

Com uma carreira de mais de cinco décadas, Joan Baez é ainda hoje uma força musical da natureza, graças à grande influência do seu forte carácter e personalidade.

DSC_0673 (Cópia).jpgDesde nova sempre foi uma ativista política, fez parte de alguns dos mais importantes movimentos a favor dos direitos humanos, ao lado de figuras históricas como Martin Luther King, Nelson Mandela, Cesar Chavez, entre outros da história norte-americana.

Neste concerto no Porto e que repetiu a 1 de Abril em Lisboa, a artista trouxe algumas canções dos mais de 30 álbuns editados.

 

Na entrada em palco, a cantora recebeu um forte aplauso, com muitos dos presentes a levantarem-se das cadeiras, provocando alguma admiração por parte da cantora que provavelmente não esperava tão calorosa receção.

Ao fim da primeira música, “Dona Dona”, uma grande ovação por parte do público, ovações essas recorrentes entre músicas por parte do público.

DSC_0661 (Cópia).jpgEntre os temas que foi cantando, Joan Baez foi contando histórias, partilhando pequenos excertos e recordando memórias da sua vasta carreira, como a sua estreia no Woodstock. Curiosa foi a “recomendação” de Joan Baez para quem percebesse o Inglês para traduzir o que dizia às pessoas que estivessem sentadas ao lado e que não conseguissem entender as suas histórias.

No início da atuação, mesmo após “There But For Fortune”, a cantora pegou num papel e leu num português bastante esforçado um pequeno texto de agradecimento aos fãs presentes.

DSC_0688 (Cópia).jpgUm dos momentos mais emocionante da noite acontece quando Joan Baez, fazendo nome ao seu sempre ativo ativismo politico, começou a cantar “Grândola Vila Morena”, sendo acompanhada pelas vozes de todos os que enchiam o Coliseu do Porto.

Um momento emocionante que acabou com profundo aplauso, bater de pés no chão bem como cravos atirados ao palco.

No final do concerto houve tempo ainda para um encore de três temas.

DSC_0718 (Cópia).jpgAlinhamento do concerto:

 

Dona Dona

God is God (Steve Earle)

There But For Fortune (Phil Ochs)

Flora, Lily of the West (Bob Dylan)

Baby Blue (Bob Dylan)

Joe Hill

Grandola Vila Morena

Jerusalem (Steve Earle)

Love Song To A Stranger

Just The Way You Are (Dirk Powell)

Diamonds & Rust

El Preso Numero 9 (Roberto Cantoral)

Jaria Hamouda

7 Curses (Bob Dylan)

Cornbread

Suzanne (Leonard Cohen)

House of the Rising Sun (Georgia Turner & Burt Martin)

Long Black Veil (Marjohn Wilkin & Danny Dill)

Gracias a la Vida (Violeta Parra)

 

Encore:

Imagine (John Lennon)

Nicola + Bart

Blowin’ In The Wind (Bob Dylan)

 

Reportagem e Fotografias: Paulo Homem de Melo (Backstage / Glam Magazine)

Agenda: Jimmy P… Melhores do Ano / Coliseu

Jimmy P, alter ego para Joel Plácido, nasceu no Barreiro, mas a sua história está associada a várias geografias nomeadamente Angola da qual é natural, Paris onde viveu durante o período da adolescência e a cidade Invicta onde começa a dar os primeiros passos na música.

Foram precisamente o gosto e o hábito de ouvir Rap, adquiridos no tempo que viveu em Paris, e a influência de outros estilos musicais diversos herdados pelo seu pai (Semba, Morna, Coladera, Salsa, Reggae, Jazz), que despertaram a sua apetência para a escrita, levando-o a passar para o papel as suas vivências, e a forma como via o mundo.

jimmy-p-1-_-©-carlos-ramos.jpgAs diversas participações em projetos de renome como a coletânea “Rascunhos” (produzida por Conductor dos Buraka Som Sistema) e o tema “Melhores Anos” com Valete, associados às colaborações com artistas como Chullage ou Bezegol, confirmam o seu estatuto de artista independente aclamado e ouvido no panorama da música cantada em português, onde tem milhares de seguidores.

 

Em 2013 Jimmy P coloca nas lojas o seu primeiro disco “#1” que surpreendeu crítica e público.

O disco esgotou em pouco mais de um mês e deu origem a uma tour intensa de espetáculos que o têm levado a percorrer o país de Norte a Sul. A fusão do Hip-Hop, Reggae, R&B e Rock aliados a uma performance de grande nível tornam-no um artista singular e camaleónico, desejado pela maioria dos promotores.

Ao vivo, Jimmy P apresenta-se em dois formatos: showcase adaptado a clubes e auditórios com um DJ e um MC de apoio, e em formato live band adaptado a actuações ao ar livre ou em palcos maiores.

O ano de 2015 marca o regresso de Jimmy P aos discos com “Fvmily F1rst”, o segundo album, disponibilizado no passado dia 23 de Fevereiro com distribuição Sony Music.

Jimmy P esta nomeado na categoria de melhor artista nacional na Gala Nova Era melhores do ano e sobe ao palco no dia 11 no Palácio de Cristal. No dia 1 de maio Jimmy P participa no Coliseu de Lisboa no evento “Hip Hop sou eu”, evnto que conta com as participações entre outros de Sam the Kid, Mundo Segundo, Dillaz ou MGDRV.

 

Agenda de Jimmy P:

1 abril 2015 – Festival do Secundário (Gouveia)

2 abril 2015 – FMF (Fundão)

4 abril 2015 – Sudwest (Vila Nova de Milfontes)

5 abril 2015 – Autarquia (Castelo de Paiva)

9 abril 2015 – My Club (Évora)

11 abril 2015 – Melhores do Ano Nova Era (Porto)

17 abril 2015 – Black Jack (Vilamoura)

18 abril 2015 – (local a anunciar) (Espinho)

1 maio 2015 – Coliseu (Lisboa)

3 julho 2015 – Sevastianas (Freamunde)

7 agosto 2015 – MEO Sudeste (Zambujeira do Mar)

 

Fotografia: Carlos Ramos

Texto: Sandra Duarte Pinho / Let’s get lost

Festivais: MEO Marés Vivas…. The Script

Os The Script atuaram ontem dia 1 de Abril no Meo Arena em Lisboa.
Perante um pavilhão completamente lotado, e rendido à banda irlandesa, a banda anunciou que iriam voltar a Portugal já no próximo mês de Julho para estarem presentes no Meo Marés Vivas.

the script.jpgPara surpresa de muitos e regozijo de outros, que não tiveram a oportunidade assistir ao concerto, recebem a banda já em Julho deste ano em Gaia.

A banda apresentou ontem o álbum “No Sound Without Silence” e certamente será esse mesmo disco que servirá de suporte ao concerto no MEO Marés Vivas.

 

Os The Script são uma banda irlandesa, formada por Danny O'Donoghue, Mark Sheehan e Glen Power. Já vendeu mais de 20 milhões de discos em todo o mundo, contando atualmente com três discos dupla platina, cinco singles de platina, dos quais dois são tripla platina. O grupo esteve por várias vezes no TOP norte-americano e britânico, tendo sido vencedor de um Music Award, três Meteor Awards e nomeado para dois Brit Awards.

 

Apesar do sucesso que a banda alcançou desde o lançamento do álbum de estreia, foi com o êxito mundial do tema “Hall Of Fame”, que conta com a colaboração do rapper Will.I.Am, que a banda conquistou a fama mundial. O single vendeu mais de cinco milhões de cópias.

 

Fotografia: afterDRK (Glam international publications)

Texto: Sandra Duarte Pinho