Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: Mário Laginha + Big Band Estarrejazz

Dia 1 de maio, o Cine-Teatro de Estarreja e a Big Band Estarrejazz associam-se, pelo segundo ano consecutivo, às comemorações do Dia Internacional do Jazz que se celebra a 30 de abril.

Mário-Laginha-foto-de-Bernardo-Sassetti1.jpgMuito ligado ao jazz, Mário Laginha tem articulado uma forte personalidade musical com uma vontade imensa de partilhar a sua arte com outros músicos. Depois deste concerto, que assinala o Dia Internacional do Jazz, a Big Band Estarrejazz vai fazer parte da lista de músicos e formações com quem Mário Laginha colaborou, como Maria João, Bernardo Sassetti, Pedro Burmester, Gilberto Gil, entre tantos outros.

O consagrado pianista e a Big Band Estarrejazz propõem um programa especial para celebrar o Jazz, num concerto com direção musical de Pedro Moreira.

 

Impulsionada pelo compositor e pianista Herbie Hancock, em 2012 a UNESCO decretou o dia 30 de abril como Dia Internacional do Jazz, por ser uma expressão musical que promove a liberdade e o diálogo entre culturas

 

Cine-Teatro Estarreja (Estarreja)

1 de Maio 2015 | 21.30h

 

Fotografia: Bernardo Sassetti

Rodrigo Leão assina contrato com a Universal Music

Dono de uma das mais interessantes e variadas discografias do nosso país, o músico e compositor tem conhecido o sucesso dentro e fora de portas e chega à Universal após a edição recente de dois discos, "O Espírito de um País", álbum que resultou do muito aplaudido espetáculo que protagonizou nas escadarias da Assembleia da República, no ano passado, na homenagem aos 40 anos do 25 de Abril, e "A Vida Secreta das Máquinas", mais centrado na música eletrónica.

rl.jpgRodrigo Leão foi, nos anos 80, um dos músicos da Sétima Legião, coletivo que lançou pistas que ainda hoje são exploradas pela nossa pop. Fez também parte dos Madredeus, grupo com que começou por explorar o mundo e com quem gravou cinco álbuns que angariaram aplausos em todo o planeta. Posteriormente, embarcou numa carreira a solo que ainda hoje recolhe elogios a cada novo lançamento.

 

"Ave Mundi Luminar", foi o primeiro tomo a solo, e entre esse registo e o mais recente "A Vida Secreta das Máquinas" reside uma obra que tem momentos de destaque em trabalhos como "Alma Mater" (2000), "Cinema" (2004) ou "A Mãe" (2009). Pelo meio há também bandas sonoras para projetos como "Portugal, um Retrato Social" (2007) ou o mais recente, e premiado, "O Mordomo" (2013), produção norte-americana que valeu ao músico português uma distinção pela ASCAP (American Society of Composers, Authors and Publishers).

 

Ao longo de toda a carreira, foram vários os grandes nomes da música que colaboraram com Rodrigo Leão: Beth Gibbons (Portishead), Neil Hannon (The Divine Comedy), Ludovico Einaudi, Scott Matthew, Adriana Calcanhoto, Stuart Staples (Tindersticks) e Ryuichi Sakamoto são apenas algumas das figuras que já trabalharam com o português.

Pedro Almodóvar, por exemplo, descreveu Rodrigo Leão como "um dos mais inspirados compositores do mundo", e publicações internacionais como a Les Inrockuptibles ou o El Pais teceram no passado rasgados elogios ao português.

 

Universal Music Press Release

Reportagem: O Rock que não é "Roll" dos The LOYD

Banda originária de Santa Maria da Feira constituida atualmente por Jou Maia na voz e guitarra, Paulo Azevedo no baixo e Mike B. na bateria.

Esta quarta-feira levaram o Rock até ao Cine Teatro António Lamoso.

DSC_1392 (Cópia).jpgO seu estilo próprio, puro Rock com a voz forte e acentuada de Jou transformaram o foyer do renovado cine teatro no palco perfeito para uma noite de quarta-feira.

Foi o regresso à casa que já os tinha visto em 2010 aquando do lançamento do primeiro disco “Love and Revolution”.

DSC_1358 (Cópia).jpgA banda espera voltar novamente antes do final do ano mas desta vez na sala principal do auditório e com casa cheia.

Cerca de centena e meia de espetadores “tomaram de assalto” o foyer do Cine Teatro. 60 minutos de rock, muito rock como já não é normal ouvir.

Daniel Amorim juntou-se à banda nesta noite que marcava um ano da edição do álbum “Home”.

DSC_1300 (Cópia).jpgFoi com palmas “para ouvir no castelo” e ao som de “Done” o arranque do concerto. 3 temas fortes a abrir o concerto com a versão muito própia do tema “Help” dos Ramones, ou melhor dos The Beatles.

DSC_1356 (Cópia).jpgOs temas mais calmos viriam perto do final, Jou justificava o alinhamento que começando com as mais fortes, quem não gostava ia embora, mas pelos vistos ninguém “fugiu” da sala.

Sem partir vidros o final do concerto foi ao som de “Walk Away”, um dos temas mais fortes da banda.

Uma noite de quarta feira forte e com Rock à mistura nesta excelente iniciativa do Cine Teatro António Lamoso em Santa Maria da Feira.

 

Alinhamento do concerto:

- Done

- Come with me

- Help

- Alone

- Should I go home

- Test your temper

- I’ll let you go

- Feel like this

- Mike Song

- Hedonism and disguise

- For a while

- Tear in the packet

- Walk away

 

Reportagem e Fotografias: Paulo Homem de Melo

Agenda: João Só… Até que a morte nos separe

O “bom rebelde” está de regresso!

João Só tem um novo disco “Até Que A Morte Nos Separe”, e vai apresentá-lo em primeira mão no Centro Cultural Olga Cadaval em Sintra a 8 de Maio e na Casa da Música no dia 14 de Maio.

joao_so.jpgComposto ao longo do ano passado, este novo trabalho, construído a partir da sua própria experiência, é uma verdadeira colecção de “crónicas do amor” inspiradas pela sua vivência e em que reflecte sobre as mais variadas fases da relação a dois. Como título, algo desarmante como “Até Que A Morte Nos Separe”, tal é a fé que João tem no amor.

E isso é algo que se traduz neste novo disco - uma maturidade emocional que o leva a percorrer todos os seus recursos criativos e interpretativos de uma forma verdadeira e autêntica, sem receios de exposição tal é a universalidade do que nos transmite.

 

“Vai Ficar Tudo Bem”, a primeira canção a ser conhecida, rapidamente atingiu o coração do público mas outras se seguirão: “Estou Mesmo a Chegar”, “Olhar Para Trás” ou “Bom Vento”, são algumas das sérias candidatas a concorrer com os temas mais emblemáticos da carreira de João Só como “A Marte”, “Até Ao Fim”, “É Para Ficar” ou “Sorte Grande” na lista dos mais cantados nas suas apresentações ao vivo.

“Até Que A Morte Nos Separe” confirma definitivamente João Só como um eleito na arte de fazer canções, as “nossas” canções. O “bom rebelde” está de regresso.

 

C.C.Olga Cadaval (Sintra)

8 de Maio 2015

 

Casa da Música – Sala 2 (Porto)

14 de Maio 2015 | 21.30h

Festivais: EDP Beach Party

A maior Beach Party da Europa está a chegar!

E este ano em dose dupla. 3 e 4 de julho na Praia do Aterro em Matosinhos.

Depois de no ano passado se ter batido recordes de afluência num evento de música eletrónica, a Nova Era com o apoio da C.M. Matosinhos, apostam forte na edição de 2015 com 2 dias de EDP Beach Party, antevendo, mais uma vez, um tremendo sucesso. aqui ficam as últimas confirmações que encerram o cartaz da edição de 2015:

edp_bp_vinai.jpgVinai, são dois produtores italianos que se juntaram em 2011 para somar as suas produções ao melhor da música eletrónica. Em 2014 assinaram com a Spinnin' Records. O registo de Nºs 1 do site de música eletrónica Beatport já os conhece bem. "Raveology" é uma das músicas que identifica os Vinai. Uma co-produção com os canadianos DVBBS que se tornou um hino e teve apoio de DJ's como Hardwell, David Guetta, Dimitri Vegas & Like Mike, Diplo, Afrojack, Showtek, W&W, Martin Garrix, Armin van Buuren, Sander van Doorn, R3hab, NERVO, Ummet Ozcan e muitos mais.

edp_bp_an21.jpgO sueco AN21 é já bem conhecido do circuito dos principais clubes do mundo, Pacha (Ibiza), Ministry of Sound (Londres), Avalon (L.A). ou Zouk (Singapura), e de festivais como o Tomorrowland, Global Gathering e Mysteryland. Quem não se lembra de sucessos como a remix de Pendulum - The Island. Já colaborou com DJs como Tiesto e Steve Angello e o seu álbum "People of the night" valeu-lhe a primeira digressão mundial, em 2011

edp_bp_third_party.jpgThird Party, são dois jovens produtores ingleses com uma paixão pela house music desde a escola. Começaram por revelar o seu talento nos clubes londrinos e continuaram depois em estúdio com remisturas de músicas bem conhecidas. Foi Steve Angello que lhes deu visibilidade com o seu apoio ao single "Release", na Size Records. Acompanharam de perto os extintos Swedish House Mafia, no Masquerade Motel, em Miami, em 2011 e na digressão britânica, e chegaram mesmo a remisturar um dos grandes sucessos do trio sueco, "Save the World". Está para breve novo trabalho dos Third Party depois do último "Everyday Of My Life".

edp_bp_club.jpgClub Banditz, marca portuguesa na EDP Beach Party, os Club Banditz, formados pelo Gonçalo e o João, querem deixar a sua pegada na Praia do Aterro. Famosos pelos seus sets carregados de energia eles tem espalhado a sua música pelos maiores clubes da América do Sul, especialmente no Brasil, e da Europa. Em 2014 lançaram o tema "Endless Sunrise" que conta com a voz do cantor norte americano Jonny Rose. No seu currículo estão lançamentos em algumas das mais importantes editoras mundiais, especialmente no campo da electrónica: Ultra, Armada, Kontor, Black Hole ou Mixmash.

edp_bp_digital.jpgDigital Militia, mais um nome português no cartaz da Beach Party deste ano. Eles têm produzido temas que tocam nos sets das maiores referências da EDM, como é o caso de Tiesto, Blasterjaxx e Thomas Gold. A dupla Digital Militia toca dia 3 de julho.

edp_bp_miguel.jpgMiguel PSI, é DJ desde os 14 anos de idade. Conhece bem o público da Nova Era e do Porto. Miguel Psi também está convocado pela Nova Era Team para a noite de 4 de juilho da Beach Party.

 

Nova Era EDP Beach Party

3 e 4 de julho

Praia do Aterro, Matosinhos

Festivais: Apresentação Festival MED

O cartaz oficial da 12.ª edição do Festival MED vai ser apresentado no dia 12 de maio, pelas 21:30 horas, em Loulé no Cine-Teatro Louletano, num evento que incluirá um concerto de Selma Uamusse.

A apresentação do evento estará a cargo de Raquel Bulha, da Antena3, e serão anunciados os nomes que fazem parte dos palcos principais daquele que é um dos mais importantes festivais de world music da Europa.

selma.jpgIgualmente serão anunciadas as parcerias que a organização irá ter nesta edição para dinamização dos palcos secundários do festival, como o Palco Bica e Palco Arco, bem como algumas novidades previstas nesta edição do Festival MED.

A apresentação contará com um concerto de Selma Uamusse.

 

Com uma trajetória musical entre o jazz, o rock, o gospel e a soul, Selma Uamusse nasceu em Moçambique (Maputo), em 1981, veio viver para Portugal em 1988, onde canta profissionalmente desde o ano 2000. Integra formações de diversos estilos musicais, do afrobeat ao blues. Criou em nome próprio os projetos Selma Uamusse Nu Jazz Ensemble e Tributo a Nina Simone.

 

Para além do seu percurso pessoal tem feito inúmeras colaborações com cantores tão diversos como Rodrigo Leão, Samuel Úria, Luísa Sobral, Ana Moura, Ana Bacalhau, Susana Travassos e Márcia. Fez ainda parte dos Wraygunn.

A estreia deste seu projeto a solo aconteceu em 2014.

 

Fotografia: Vitorino Coragem

Agenda: Danças Ocultas & Convidados

O colectivo Danças Ocultas prepara-se para apresentar na Casa da Música, Porto no dia 4 de Maio, e no CCB, Lisboa no 5 de Maio, um espectáculo especial inserido no ciclo Classic Waves promovido pela Uguru.

danças ocultas.pngEstes espectáculos fazem-se do encontro da música dos Danças Ocultas com uma dimensão orquestral.

Artur Fernandes explica que a colaboração com a Orquestra Filarmonia das Beiras nasceu há dois anos e já se traduziu em seis concertos que agora chegam a duas das mais importantes salas do país.

Nestes concertos, os arranjos orquestrais de clássicos das Danças Ocultas, que em 2015 celebram 25 anos de actividade, servem igualmente de cenário para os diálogos com uma série de importantes convidados: Carminho, Rodrigo Leão e os Dead Combo subirão ao palco nestas ocasiões especiais.

Ressalva-se o facto dos Dead Combo, tal como Rodrigo Leão bastas vezes, explorarem um universo instrumental, facto que facilita a comunicação entre os dois universos.

Já com Carminho, é um circulo que se completa: “O Diabo Tocador” era um tema de Tarab inspirado numa canção de trabalho recolhida por Giacometti.

O instrumental de Tarab volta assim a ser canção com a letra a tomar a voz de Carminho.

À frente da Orquestra Filarmonia das Beiras estará o maestro António Vassalo Lourenço, que, explica Artur Fernandes, é um profundo conhecedor da música dos Danças Ocultas e que “acarinhou esta iniciativa especial”. “

 

“O acordeão diatónico, em Portugal conhecido por concertina, é um instrumento concebido na primeira metade do século XIX, e depois aperfeiçoado por diversos construtores europeus, que hoje ecoa memórias de uma outra vivência do espaço musical: um tempo anterior ao disco, à rádio.

Continua, porém, a ser uma máquina de construir sonhos; e, por conseguinte, de inventar futuros possíveis, de fazer sentidos”.

 

Em Maio de 1989 Artur Fernandes, Filipe Cal, Filipe Ricardo e Francisco Miguel começaram por organizar-se em torno de um sonho: o de desenvolverem as aptidões da execução enquanto investigavam as possibilidades de afastar o instrumento do folclore tradicional, acatando o que então era entendido como a “vontade da concertina”, mas fazendo para ela uma música nova.

O desenvolvimento deste processo foi consolidando uma estética musical muito próxima do universo clássico da "música de câmara", pequena formação instrumental, acústica, com cada instrumento a desempenhar uma função musical.

No entanto o uso deste instrumento, conotado com o meio tradicional, terá condicionado a inclusão da proposta artística, tendencialmente, em circuitos da World Music.

 

Neste sentido, a junção com uma Orquestra de Cordas, a Orquestra Filarmonia das Beiras, sendo inédita para Danças Ocultas, é natural e vem evidenciar o carácter universal da proposta artística: entre o passado e o futuro: ou seja, produzindo sentido, em diálogo com a estética contemporânea.

Essa magia vai inundar os palcos da Casa da Música e do CCB em duas noites muito particulares e especiais, com convidados que representam igualmente o melhor da música portuguesa e o lado mais nobre do nosso espírito de aventura.

 

Casa da Música (Porto)

4 maio 2015 | 21.00h

 

CCB (Lisboa)

5 maio 2015 | 21.00h

 

Agenda: God Is An Astronaut de regresso a Portugal

Com uma carreira prestes a atingir o marco da década e meia, seis discos no currículo, e centenas de concertos esgotados por todo o mundo, os Irlandeses God Is An Astronaut encontram-se entre os mais eminentes nomes do post-rock e da música instrumental.

god-is-an-astronaut.jpgA banda, liderada pelos gémeos Kinsella, destacam-se pela precisão e complexidade dos seus temas, sem nunca, no entanto, desonrarem a sua inclinação para a criação de melodias flutuantes e cativantes.

A banda regressa a Portugal dois anos depois da sua última passagem por terras lusas. Dois concertos agendados para o Porto e Lisboa.

A primeira parte do concerto no Porto esta a cargo dos Portugueses Quelle Dead Gazelle.

No dia 4 de Maio o grupo apresenta-se no Armazém F em Lisboa com a primeira parte assegurada pelos Katabanic

 

Hard Club – Sala 1 (Porto)

3 maio 2015 | 21.00h

 

Armazém F (Lisboa)

4 maio 2015 | 21.00h

Pág. 1/16