Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Abertura do Ciclo da Primavera... com Dead Combo

Dia 21 de Março, pelas 21h30, o Cine-Teatro Curvo Semedo, em Montemor-o-novo, vai ser mais uma vez palco para a abertura do Ciclo da Primavera.

dead_combo.jpgEm 2015, completam-se 26 anos de Ciclo da Primavera, uma edição que promete, como sempre, até porque foi essa a sua génese, levar a todo o concelho de Montemor-o-Novo, não só à cidade e às freguesias rurais, mas também às localidades mais pequenas, inúmeras iniciativas culturais de grande qualidade e diversidade.

 

O espectáculo de abertura deste Ciclo da Primavera estará a cargo dos Dead Combo. Com mais de uma década de carreira, os Dead Combo regressaram aos álbuns, em 2014, com “A Bunch of Meninos”.

 No próximo sábado, a dupla de Tó Trips e Pedro Gonçalves e a digressão "A Bunch of Meninos", estará no Curvo Semedo, em Montemor-o-Novo, para o espetáculo de abertura do 26.º Ciclo da Primavera.

 

Composto por 13 novas canções, assinadas integralmente por Tó Trips e Pedro Gonçalves, “A Bunch of Meninos” foi gravado em Setembro de 2013, nos Atlantic Blue Studios. Produzido por Hélder Nelson e pelos Dead Combo, o álbum conta com as participações especiais de Alexandre Frazão (bateria e percussão) e António Sérginho (percussão).

Donos de um percurso de sucesso único, o quinto álbum de originais dos Dead Combo, que sucede ao aclamado “Lisboa Mulata”, de 2011, promete levar esta jornada a outro patamar.

Com um programa cultural que se prolonga de Março a Junho, esta Primavera cultural, que nos toca e nos convida a abraçá-la, tem encontro marcado consigo...esperamos que aceite o convite.

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Black Balloon XXI… Capitão Fausto interpretam Syd!

"Penso que a primeira conversa sobre aquilo que vai finalmente agora concretizar-se aconteceu a seguir ao concerto em que os You Can't Win, Charlie Brown atacaram The Velvet Underground & Nico, na Black Balloon de Outubro de 2012.

Aí, o Domingos (baixo) sacou de toda a sua segurança e proclamou bem alto que, se eu estivesse virado para o "Piper At The Gates Of Dawn", dos Pink Floyd, estava combinado, eles (Capitão Fausto) fariam-no a qualquer momento.

O tempo foi passando, a banda editou o segundo álbum, esgotou o Lux, desdobrou-se nas bandas paralelas Modernos e Bispo, e no meio de tudo isto a nossa amizade cresceu, bem como esta ideia.

A abordagem ao "Piper" foi metamorfoseando-se em algo maior, pois no álbum não estão os singles "See Emily Play", "Arnold Layne" ou "Apples And Oranges", muito apetecíveis por parte do Tomás (guitarra, voz). Depois há ainda o encanto dos discos a solo de Barrett. E o "Saucerful Of Secrets"...

No fundo, o que vai acontecer a 10 de Abril é fruto do nosso amor pela música de Syd, reunindo aquilo que, como fãs, consideramos ser o melhor daquilo que nos deixou.

Foi em 1965 que os Pink Floyd se formaram, agora que se cumpre o seu 50º aniversário, e depois das nossas muitas conversas, o tempo parece ser o certo. A tarefa é ambiciosa, claro, mas quem conhece e tem acompanhado a evolução dos Capitão Fausto, tem razões para ficar confiante com o que aí vem.

Na primeira parte uma das bandas que mais nos entusiasmou nos últimos tempos. Chamam-se Cave Story e têm em Spider Tracks, um dos registos fundamentais editados no nosso País em 2015”

(Pedro Ramos)

syd.jpgLux – Frágil

10 abril 2015 | 23.00h

The Gift… na Queima das Fitas do Porto

Nos últimos anos as mais variadas “queima das fitas” já são sinónimos de festivais.

Começam agora a surgir os primeiros nomes para as noites do mês de Maio de 2015.

A Queima das fitas do Porto acaba de anunciar para a noite do dia 3 de Maio os The Gift e os D.A.M.A.

The_Gift.jpgOs The Gift surgem em 1994 como um projecto paralelo dos Dead Souls, banda de então de Nuno Gonçalves e Miguel Ribeiro. Partindo de dois elementos os The Gift passam a uma banda de 4 elementos com a entrada de Ricardo Braga e de Janita a Vocalista, que permaneceria no grupo por um curto período de tempo, dando pouco tempo depois lugar a Sónia Tavares.

Em Novembro de 1998 é editado o primeiro álbum da Banda, "Vinyl", depois da saída de Ricardo Braga, que pertencia de forma ambiciosa unir as potencialidades das novas tecnologias (samples, sintetizadores e caixas de ritmos) com os instrumentos clássicos (violinos, violoncelo, trompete e saxofone) numa aposta claramente vencedora.

 

"Vinyl" recebe logo á partida reacções positivas da crítica, tendo sido considerado álbum do ano pelo diário de Noticias

Depois de varias incursões internacionais, nomeadamente pelos Estados Unidos, França e Alemanha a Banda concentra novamente esforços e produz o sucessor de "Vinyl" de seu Nome "Film".

Em 2004, com 10 anos de carreira, e depois de muitos sucessos, regressam ás edições discográficas com um álbum duplo: "AM-FM", Em 2007 sobem ao palco da Queima das fitas do Porto regressando agora em 2015.

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Linda Martini…. On tour…

Os Linda Martini apresentam-se para 3 concertos nos próximos dias 19, 20 e 21 de Março.

Linda_martini1.jpgDia 19 Vila Real recebe a banda, enquanto no dia 20 o concerto está agendado para a Guarda, terminando esta mini tour no dia 21 em Aveiro no Teatro Aveirense.

 

Estes 3 concertos antecedem os 3 concertos especiais a realizar de 26 a 28 de Março no Music Box em Lisboa, onde o grupo vai dedicar cada um dos concertos a cada um dos seus primeiros álbuns, recentemente editados em vinil.

Linda_martini2.jpgOs Linda Martini nasceram em 2003 e são uma das bandas de culto em Portugal. Da sua formação actual fazem parte 4 dos seus 5 membros fundadores; André Henriques, Cláudia Guerreiro, Hélio Morais e Pedro Geraldes.

Desde a edição do primeiro EP, em Janeiro de 2006, que a banda tem sido bastante acarinhada, quer pelo público, quer pela imprensa musical e promotores. Prova disso mesmo, são as várias distinções de “disco do ano” para os leitores da Blitz, a presença e espaço de antena constantes nos principais veículos de comunicação e a presença assídua nos festivais de grande dimensão e queimas das fitas.

 

19 março – Vila Real (Teatro Vila Real)

20 março – Guarda (Teatro Municipal)

21 março – Aveiro (Teatro Aveirense)

26 a 28 março – Lisboa (Music Box)

 

Fotografias: Paulo Homem de Melo

Vodafone Paredes de Coura… The War on Drugs

Os The War On Drugs são a mais recente confirmação no cartaz do Vodafone Paredes de Coura.

TWOD00.jpg

A banda passa pelo festival a 21 de agosto, para a apresentação do seu mais recente álbum, “Lost in The Dream”, editado em março de 2014, disco esse que ocupa os lugares cimeiros nas listas dos melhores do ano das publicações musicais de referência internacionais.

O grupo oriundo da Pensilvânia, Estados Unidos, já tinha passado pelo Alive'14, a 12 de julho.

TWOD01.jpg

O grupo, composto por Adam Granduciel, David Hartley, Robbie Bennett e Patrick Berkery, surgiu em 2005 e lançou três anos depois o seu primeiro trabalho, "Wagonwheels Blues". Em 2012 foi a vez de "Slave Ambient" ver a luz do dia e ser aclamado como um dos melhores discos desse ano

 

No mesmo dia, atuam os já anunciados Charles Bradley, Iceage, Waxahatchee, Allah-Las e Steve Gun.

A 20 de Agosto já estã confirmados Tame Impala, Pond, Father Jonh Misty e Fuzz. No dia 22 de agosto está já garantido, por sua vez, o concerto dos Temples.

 

A 23ª edição do festival Paredes de Coura acontece entre os dias 19 e 22 de agosto, na praia fluvial do Taboão.

 

Fotografias: Paulo Homem de Melo

Festival Forte…. Volta Forte

Depois do sucesso da edição de 2014, o Festival Forte regressa esta ano para mais uma edição no castelo de Montemor-o-Velho

festival_forte.pngDe 27 a 29 de Agosto, o festival já conta com algumas presenças confirmadas.

 

O britânico Platenary Assault Systems, a alemã Ellen Allien e o canadiano Marc Houle são as últimas confirmações e vão atuar no festival de música eletrónica Forte 2015.

Estes novos três nomes juntam-se aos também já confirmados Paul Kalkbrenner (produtor alemão), aos belgas Front 242, aos alemães Marcel Dettmann, Extrawelt e Ben Klock, este último dj residente do Festival Forte, aos norte-americanos Gaiser, Function e Vatican Shadow e por último ao italiano Donato Dozzy.

 

Planetary Assault Systems é um projeto do britânico Luke Slater, que conta com mais de 20 anos de carreira, sendo "uma referência incontornável na produção e redefinição da música 'techno' contemporânea", sublinhou a organização.

Front 242 é uma banda formada na Bélgica em 1981, pioneira no estilo EBM (Electronic Body Music, termo avançado por Ralf Hütter, Kraftwerk, em 1978, para descrever a fisicalidade do álbum “The Man-Machine”). Front 242 é uma das bandas industriais mais consistentes desta década e representa uma das maiores referências europeias na vanguarda da fusão entre sonoridades electrónicas e industriais, tendo sido responsável pela sua inclusão no espírito da música de dança. Trata-se da estreia em Portugal no Festival Forte

 

Mais nomes serão anunciados brevemente.

Dia Mundial do Teatro…. Estamos todos?

Depois do enorme sucesso de “O Último a Rir”, em 2001, José Pedro Gomes volta a mergulhar num monólogo de múltiplas personagens onde se desdobra em 8 personagens.

josé Pedro Gomes.jpgEstamos Todos?

É uma comédia escrita para um ator, que se desdobra em diferentes sujeitos, cada um mais hilariante que o outro. A história tem o que se lhe diga. No dia do seu casamento, o próprio noivo, o gestor da boda, o padre, o futuro cunhado, a ex-mulher e até um inspetor da polícia envolvem-se numa sucessão de peripécias que parecem não ter fim.

 

José Pedro Gomes, um dos mais completos atores portugueses, que já pisou palcos de centenas de cidades espalhadas pelo mundo, entrou na casa de milhões de portugueses e roubou uma infinidade de gargalhadas.

 

Estamos Todos?

 

Texto: Luísa Costa Gomes

Encenação: Adriano Luz

Cenário: António Jorge Gonçalves

Figurinos: António Jorge Gonçalves e Fernanda Ramos

Música: Filipe Melo

Desenho de luz: Paulo Sabino

Produção: UAU

 

Cine Teatro de Estarreja

27 Março 2015 | 21.30h