Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

13ª Festa do Jazz… A Festa do Jazz Português

Todos os anos, a Festa do Jazz português passa pelo S. Luiz Teatro Municipal.

festa do jazz.jpgNo que é já a sua 13ª edição, a Festa reafirma-se como um dos mais importantes acontecimentos jazzísticos em Portugal, apresentando o que de melhor se faz no campo da música improvisada.

De 27 a 29 de Março, em três palcos e um pouco por todos os cantos do teatro, vão poder ouvir-se os grandes instrumentistas, nacionais e internacionais, num vasto programa que inclui também a actuação de mais de uma centena de músicos dos combos das escolas de todo o país que competem pelo mais relevante prémio nacional do género: o reconhecimento dos seus pares.

 

Rainer Temple, Linanyberg Band, André Santos, "Ogre" de Maria João, Gileno Santana e o seu muito aclamado álbum "Metamorphosis", Demian Cabaud Trio ou Desidério Lázaro são apenas alguns exemplos dos nomes que compõem o cartaz deste ano.

 

À parte dos concertos, estão ainda previstas duas masterclasses: por Leo Genovese, dia 28 e por Tony Malaby, dia 29, ambas às 15h.

Dia 26, às 22h no Cinema Ideal, em jeito de pré-festa e com entrada gratuita, actuação do Pedro Branco Trio e exibição do documentário "Let's Get Lost" de Bruce Webber, sobre a vida e carreira de Chet Baker

 

Nos próximos dias vamos destacar aqui todo o programa deste grande evento.

 

“Ano após ano, a Sons da Lusofonia, os músicos e as Escolas preparam um acontecimento que depois desemboca em Lisboa, no Teatro São Luiz - a grande casa do jazz português nestes 13 anos - em 3 dias de Festa e de encontros. Voltamos a ter 3 dias de programação e tal só é possível devido ao investimento feito pela Sons da Lusofonia quando quase todo o país fez um desinvestimento na cultura nos últimos anos.

A Festa está a crescer de novo e sustentadamente.

Só com tempo, e os músicos bem o sabem, se consegue apurar a técnica para que esta passe a ser arte. Só com tempo e um sério investimento temos a confiança da comunidade jazzística e podemos aceitar novos desafios.

É por isso que se torna fundamental continuar com o encontro nacional de Escolas e apostar em novos valores como os que desde há vários anos constituem o cartaz da Festa e que agora são dos melhores músicos de Portugal a exercer cá e no estrangeiro.

A Sons da Lusofonia tem investido em parcerias internacionais para divulgar einternacionalizar a música improvisada portuguesa. Graças a esta abertura teremos este ano, pela primeira vez numa programação internacional, duas mulheres representantes do melhor jazz europeu, quase sem custos.

Porque é necessário começarmos a incorporar esta necessidade, por nós já antes expressa, de que a Festa do Jazz sendo o maior acontecimento de jazz português feito entre nós se abra ao mundo e se torne também numa Festa de referência internacional apresentada em Lisboa.

Venham sentir connosco a nova vida da Festa do Jazz e ouvir as nossas descobertas."

Carlos Martins (Músico, Presidente da Associação Sons da Lusofonia e Director Artístico da Festa do Jazz)