Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Agenda: Roubo de Identidade (Teatro Aveirense)

Luís Franco-Bastos apresenta o seu terceiro espectáculo de stand-up comedy, depois de “Papel Químico” (2009) e “Imposto Sobre o Humor Acrescentado” (2012).  

roubo.jpgNeste espetáculo estão reunidas as suas principais personagens, sobre as quais incide o seu humor de observação e desconstrução.

A esta vertente junta-se o lado mais pessoal do passado recente – viagens, histórias e experiências na estrada pelo país com outros humoristas.

Luís Franco-Bastos resume a sua vida nos últimos dois anos, desde as personagens desconhecidas com quem se cruzou, às figuras conhecidas que mais o marcaram pela positiva ou negativa.  
O aparelho vocal permite-lhe não só reproduzir a história, como encarnar todos os protagonistas em palco, durante uma hora de stand-up comedy.

Uma hora de roubos de identidade.

 

Teatro Aveirense - Aveiro

11 abril 2015 | 21.30h

Festivais: NOS Alive!… Bear’s Den

Bear’s Den são a nova confirmação do NOS Alive’15.

bears-den-6109.jpgO trio londrino irá estrear-se em Portugal, dia 10 de julho no Palco Heineken.

A banda apresenta o seu álbum de estreia “Islands”, editado em outubro de 2014.

O primeiro disco do grupo foi produzido por Ian Grimble, conhecido pelos seus trabalhos com bandas como Travis e Manic Street Preachers, e lançado pela editora Communion Records, que criou em conjunto com Kevin Jones (Bear’s Den) e Ben Lovett (Mumford & Sons).

 

O trio composto por Andrew Davie (voz e guitarra), Kevin Jone (bateria e voz) e Joey Haynes (banjo e voz), inspirarou-se na obra de Maurice Sendak, “Where the Wild Things Are”, na escolha do nome da banda.

 

Fotografia: Bear’s Den

Texto: Paulo Homem de Melo / Everythings is New Press Release

Festivais: Super Bock, Super Rock… Rodrigo Amarante

A pouco mais de três meses do Festival, o cartaz da 21ª Edição do Super Bock Super Rock vai ficando quase completo.

Hoje a promotora anuncia mais 2 nomes para o festival, uma das principais referências da MPB da atualidade e também uma das grandes revelações britânicas dos últimos tempos: Rodrigo Amarante e Benjamin Clementine

rodrigo (Cópia).jpgO brasileiro Rodrigo Amarante é o autor do disco “Cavalo”, um dos mais belos registos musicais de 2014. Apesar da estreia em nome próprio ter sido tardia, o seu passado é riquíssimo e influenciador de uma geração recente de artistas como Cícero, Wado, Clarice Falcão, Mallu Magalhães, entre outros.

Com Marcelo Camelo liderou uma das bandas indie mais importante do brasil, os Los Hermanos, tendo depois trabalhado em vários discos de Devendra Banhart e criado os Little Joy com Fabrizio Moretti (baterista dos Strokes) e Binki Shapiro.

Para além destes recomendáveis afazeres musicais passados, e do seu trajeto a solo, mantém o projeto de samba Orquestra Imperial com Seu Jorge e Moreno Veloso. A sua música é cintilante de poesia e emoção, servindo-se de forma respeitosa e muito hábil da MPB e dos sons da bossa nova.

Rodrigo Amarante estará no Palco Super Bock, dia 18 de Julho

 

Benjamin Clementine é um dos artistas ingleses que mais clamor tem causado nos últimos tempos. Antes de completar 20 anos, a vida levou-o até Paris e por lá, sem dinheiro, viveu sem abrigo, tocando nos lugares mais improváveis para sobreviver. Mas o seu génio autodidata cedo foi descoberto e de regresso à terra mãe acabou, quase que por milagre, por apresentar-se no famoso “Later... with Jools Holland”, mesmo sem qualquer contrato com uma editora, tocando o tema título do seu EP de estreia, “Cornerstone”.

A passagem televisiva foi o mote para o retumbante e fulminante trajeto de Benjamin na música. Os concertos avolumaram-se, as editoras apareceram e hoje Benjamin tem já um album editado, “At Least For Now” (2015) e é um dos casos sérios da música britânica. Poeta, canta com as vísceras elegantíssimos temas soul e pop ao piano, lembrando a intensidade performativa de Nina Simone ou o jeito intimista de Antony Hegarty.

Imperdível no Palco EDP, também a 18 de Julho

 

Dia 16

Palco Super Bock - Sting, Noel Gallagher’s High Flying Birds, The Vaccines,

Milky Chance

Palco EDP - SBTRKT, Little Dragon, Perfume Genius, Kate Tempest

Palco Carlsberg - Toro Y Moi

 

Dia 17

Palco Super Bock - Blur, dEUS, The Drums

Palco EDP - Bombay Bicycle Club, Savages, Kindness, Sinkane

Palco Carlsberg - Gramatik

 

Dia 18

Palco Super Bock - Florence + the Machine, FFS (Franz Ferdinand & Sparks), Crystal Fighters, Rodrigo Amarante

Palco EDP - Banda do Mar, Palma Violets, Benjamin Clementine, Modernos

 

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Texto: Sandra Duarte Pinho / Música no Coração Press Release

Festivais: Sumol Summer Fest… Agir e B4

O primeiro festival do verão traz-nos as tardes de sol na praia com os amigos e os grandes concertos noite dentro no Ericeira Camping.

Em 2015, apresenta um cartaz que se abre a novos géneros, com o verão e a praia como pano de fundo.

Os ritmos dançantes de festa e descontracção são obrigatórios, e é assim que Agir e B4 se juntam aos artistas já confirmados para a 7ª edição do Sumol Summer Fest, ambos no dia 3 de julho no Palco Sumol.

agir.jpgAgir tem um novo disco “Leva-me a Sério”, está disponível no mercado a partir de hoje (30 de Março) e apresentá-lo-á no Sumol Summer Fest. Com um talento precoce, Agir é um jovem compositor e cantor, que está prestes a tornar-se um dos maiores produtores portugueses com temas que tocam nas grandes rádios nacionais. Depois da estreia homónima em 2010, está de volta com um novo disco que junta, sem mácula, géneros como Pop, Hip-Hop, soul e R&B.

Para este disco, convidou nomes reconhecidos como Ivan Lins, Amor Electro, Regula, Blaya, Diana Matos e Pité. O single “Tempo é Dinheiro” já roda por aí e confirma Agir como um dos mais interessantes novos valores da música nacional

 

Os B4, dupla constituída por Big Nelo e C4Pedro, estrearam-se em 2013 com o disco “Los Compadres”.

Um disco feito para dançar, cheio de ritmos vibrantes como o Zouk, House e R&B. Dedicados e energéticos, ao vivo são explosivos, tendo esgotado várias salas pelo país e arrebatado o público português.

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Agenda: Jafumega… concerto inédito em Estarreja

O Cine-Teatro de Estarreja acaba de apresentar a sua programação cultural para o período de abril a julho de 2015, destacando-se a apresentação inédita dos Jafumega.

A mítica banda rock portuense junta-se à Orquestra Filarmonia das Beiras num concerto inédito e exclusivo, em junho, no Cine-Teatro de Estarreja. Sérgio Godinho, Ruy de Carvalho, Mário Laginha, Victor Hugo Pontes, António Zambujo e Hamilton de Holanda são apenas alguns nomes do total de 43 eventos que o Cine-Teatro de Estarreja recebe entre abril e julho deste ano.

jafumega-10-1.jpgO calendário de Estarreja volta a equilibrar as várias expressões artísticas, numa permanente atitude de democratização e descentralização culturais.

No próximo quadrimestre Estarreja abre portas à música e às artes performativas tal como à sétima arte, à poesia e literatura, em formatos que beneficiam a proximidade entre públicos, obras e criadores, com conversas após os espetáculos, ensaios abertos, sessões para escolas e famílias.

 

A chegada dos Jafumega é a grande novidade da temporada.

Pela primeira vez em Estarreja e ao lado de uma orquestra, a banda que vincou o panorama rock português nos anos 80 com êxitos elevados a hinos, volta a entrar em cena para celebrar o 10º aniversário da reabertura do Cine-Teatro de Estarreja, num formato especial, exclusivo e inédito, que aventura sonoridades pop/rock na música orquestral.

 

O concerto dos Jafumega com a Orquestra Filarmonia das Beiras será no dia 20 de junho, mas ainda nos meses da primavera o espaço recebe o espetáculo Trovas & Canções (11 de abril), onde Ruy de Carvalho declama poesia com o filho, João de Carvalho, e o neto, Henrique de Carvalho, numa fusão de recital e concerto. No mês da Liberdade, Sérgio Godinho (18 de abril) irá percorrer os temas de marcaram os últimos 40 anos da sua carreira, dentro dos conceitos da Revolução dos Cravos, usando a música como bandeira de causas e consciências.

“Fall” (15 de maio), de Victor Hugo Pontes, é a proposta de dança contemporânea. O coreógrafo vimaranense larga 7 bailarinos no palco, deixando-os “cair” física e moralmente. A partir da obra do barroco espanhol Pedro Calderón de la Barca, “La vida es sonho”, de João Garcia Miguel, estará em cena dia 29 de maio, não antes de dar vez ao fado transatlântico de António Zambujo (23 de maio).

Maria João e Marta Hugon contracenaram com a Big Bad Estarrejazz em 2014. Dada a vez às senhoras, dia 1 de maio é Mário Laginha que se junta à orquestra do Festival de Jazz de Estarreja num concerto comentado e dedicado ao Dia Internacional do Jazz. A direção volta a estar a cargo de Pedro Moreira, num programa especial que celebra o jazz como expressão e manifesto de liberdade, solta os seus improvisos e inunda os ouvidos de verdadeiro prazer musical.

 

Sonoridades brasileiras no Café-Concerto e Auditório

Pelo 7º ano consecutivo a convergência de culturas acontece em Estarreja através do Festim - Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo.

Dia 3 de julho, dois grandes músicos brasileiros: o bandolinista Hamilton de Holanda e o cantor e estrela do samba Diogo Nogueira.

Juntos formam “Bossa Negra” e ao vivo cruzam samba, choro e jazz com ritmo e talento.

Também do Brasil chega Momo, nome artístico de Marcelo Frota.

O cantor e compositor atravessa o atlântico, a sós com um violão, e atraca dia 30 de maio no Café-Concerto, espaço que, na próxima temporada, se divide entre música e poesia com os jovens Contraponto (4 de abril) a anunciar a ressurreição, a voz da italiana Flo (26 de junho) e “Das Línguas” (9 de maio), de Catarina Lacerda e Susana Madeira, do Teatro do Frio, que põem a língua de fora para falar em bom português.

 

Fonte: CTE (Estarreja)

Festivais: NOS Alive!… Cold Specks

Cold Specks, nome de palco da cantora e compositora Ladan Hussein, irá estrear-se em Portugal dia 10 de julho.

A artista canadiana traz o seu mais recente disco de originais, “Neuroplasticity”, editado em agosto de 2014.

Cold Specks sobe ao Palco Heineken no mesmo dia de James Blake, Roísín Murphy, Future Islands, Kodaline, The Ting Tings e Bleachers.

cold_speck.jpgEm 2011, Al Spx, nome pelo qual é apelidada, lançou o seu primeiro single “Holland”. Pouco depois a artista é convidada a apresentar dois dos temas no programa de Jools Holland, na BBC, lançando-se assim no mercado internacional.

 

Em maio de 2012 lançou o álbum de estreia “I Predict a Graceful Expulsion”, o qual foi nomeado para o Polaris Music Prize.

No ano seguinte o seu trabalho foi por fim reconhecido com a vitória do prémio “Female Artist of the Year”, atribuído pela SiriusXM Indies Awards.

 

Fotografia: Altsounds / Cold Specks tour

Texto: Paulo Homem de Melo / Everythings is New Press Release

Festival MED: 5 novos nomes anunciados

Cinco novos nomes confirmados para a 12ª ediçâo do festival MED.

 

Os sul-coreanos Jambinai, a israelita Ester Rada, o congolês Baloji, o projeto multicultural da Holanda/África do Sul Skip&Die e a guineense Karyna Gomes são os artistas que irão atuar na Zona Histórica de Loulé, de 25 a 27 de junho.

 

Os artistas agora anunciados têm em comum o facto de apresentarem uma sonoridade de fusão, com uma mescla inovadora de vários estilos musicais, pelo que se prevê muitos concertos surpreendentes que permitirão ao público ter novas experiências musicais.

jambi.jpgDepois dos japoneses Turtle Island terem incendiado o Palco Matriz no encerramento do 11º Festival MED, a organização do evento volta a apostar nos artistas asiáticos. Desta vez são os sul-coreanos Jambinai que irão representar a Ásia, com um concerto onde a música tradicional se funde com o pós- rock eletrônico, no dia de abertura do festival.

Donos de um som único que resulta da fusão das sonoridades de instrumentos coreanos tradicionais como haegeum , piri e geomungo com o pós- rock eletrônico.

Surgiram na cena indie em 2011 e, dois anos depois, o seu álbum “Differance” foi eleito o melhor de Jazz e Crossover no Corean Music Awards. Destacam-se no panorama musical por refletirem a espiritualidade e as contradições sociais da geração coreana do século XXI, através de uma música ora complexa e alternativa ora calma e espiritual

skip.jpgÉ também no dia 25 de junho que os Skip&Die apresentam aquele que se prevê um concerto verdadeiramente explosivo.

A sonoridade da banda vai buscar os sons da cumbia digital, do dub, do rock psicadélico, batidas brasileiras e muito mais, numa fusão única incrementada pela performance da sua vocalista.

O segundo álbum da banda “Cosmic Serpents” será apresentado no Festival MED. A Riots In The Jungle tour (Tournée anterior) durou dois anos. O novo álbum foi escrito e gravado no Brasil, Egito, Argentina, Colômbia e, também, Portugal, entre outros.

A sonoridade da banda vai buscar os sons da cumbia digital, do dub, do rock psicadélico, batidas brasileiras e muito mais numa fusão explosiva e única. São mundialmente conhecidos pelas suas atuações explosivas e interação com o público

ester rada.jpgNo dia 26 de junho irá pisar o palco do MED aquela que é apontada como uma das grandes revelações na área da World Music para o ano de 2015, a israelita Ester Rada.

Com a sua sonoridade multicultural, Ester Rada, que cresceu numa família judaica altamente religiosa, é o reflexo profundo do património da Etiópia com raízes israelitas. Os críticos descrevem a sua música como "uma combinação graciosa de Ethio-jazz, funk, soul e R&B, com tons mistos de grooves negros".
Alicia Keys definiu Ester Rada como “uma cantora incrível” e convido-a para fazer algumas das primeiras partes da sua tour

baloij.jpgNo dia 27 de junho Baloji, um inovador compositor de origem belga-congolesa e MC, com o seu estilo próprio de música africana futurista, apresenta o seu trabalho no MED.

Baloji, um inovador compositor belga-congolesa e MC, criou o seu próprio estilo de música africana futurista.

O som do pós-hip hop de seu álbum "Kinshasa Succursale" está enraizada em três diferentes continentes: inspirados por cantores e compositores tradicionais francesas, o funk-soul americano e a grande diversidade da música congolesa, que vai do “old school rumba” ao atual som "tradi-moderno". Já fez as primeiras partes de Nick Cave, Damon Albarn e até mesmo Elvis Costell

karyna.jpgDa Guiné-Bissau para Loulé, Karyna Gomes, considerada igualmente pela crítica internacional como uma artista revelação deste ano, apresenta um espetáculo no Festival MED no dia 27 de junho.

O seu disco de estreia, "Mindjer", mistura com leveza e gosto a música urbana da Guiné com influências de outras sonoridades, do soul à música latina. É uma das grandes revelações da World Music deste ano. Karyna nasceu em Bissau, a 13 de fevereiro de 1976, dois anos após a independência.

A sua sonoridade define-se como uma mistura de música guineense com influências de Cuba, Brasil e, também, da América e apontamentos soul, jazz e R&B

 

Recorde-se que os nomes agora confirmados juntam-se aos já anunciados Carminho, Tiago Bettencourt, Raquel Tavares e DJ Marfox (Portugal), Balkan Beat Box (Israel), Nneka (Nigéria), Cumbia All Stars (Perú) e Batida (Portugal/Angola).

Portugal Fashion Reflector: Estelita Mendonça

Portugal Fashion Reflector / Fall Winter 2015-2016

Estelita Mendonça

DSC_0492 (Cópia).jpgDSC_0504 (Cópia).jpgDSC_0499 (Cópia).jpg

Na procura da identidade confrontamo-nos com a necessidade da existência do outro e com a anulação do indivíduo pela uniformidade da sociedade.

DSC_0527 (Cópia).jpgDSC_0511 (Cópia).jpgDSC_0519 (Cópia).jpg

Trabalha-se a ideia de work-wear fora do seu icónico lugar social, como uniforme para o trabalho criativo.

Partindo do princípio que este é o único lugar onde todos voltamos repetidas vezes, o ser humano existe como criador pela necessidade de criar. A paleta cromática é escura e sóbria refletindo a intemporalidade do uniforme e da ânsia de criar.

DSC_0548 (Cópia).jpgDSC_0531 (Cópia).jpgDSC_0539 (Cópia).jpg

Acessórios: Taka-Mau

Sapatos: Nelson Vieira for Manuel Dupont

 

Estelita Mendonça concluiu o curso de Design de Moda em 2008, que frequentou na Academia de Moda do Porto – Artes e Técnicas.

Sempre ligado ao mundo da moda, havia efetuado, ainda em 2006, um Curso de Manequim.

A maquilhagem é também uma das suas áreas de interesse, que vem conciliando com o design de moda. Já efetuou vários trabalhos de make up para a produtora audiovisual Filmes da Mente, para a Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, bem como para a loja Punch Couture. As suas coleções são apresentadas sazonalmente no Espaço Bloom Portugal Fashion, desde outubro de 2010.

DSC_0590 (Cópia).jpgDSC_0607 (Cópia).jpgDSC_0600 (Cópia).jpg

Em julho de 2012, tornou-se responsável pela coleção masculina da marca Fresh Jealous Brand. Depois de ter integrado o Espaço Bloom em cinco edições, Estelita Mendonça conquistou um Fashion Awards Portugal 2012 (Novo Talento).

Em dezembro de 2012, foi um dos criadores que o Portugal Fashion levou a Madrid para apresentar as suas coleções no Matadero – Centro de Creación Contemporánea. Em 2013, Estelita Mendonça fez desfilar as suas criações na Vienna Fashion Week, também com produção do Portugal Fashion.

 

DSC_0631 (Cópia).jpgDSC_0614 (Cópia).jpgDSC_0624 (Cópia).jpg

Desfile Estelita Mendonça

27 março 2015 | Palácio da Bolsa (Porto)

 

Fotografias: Paulo Homem de Melo

Texto: Sandra Duarte Pinho / Portugal Fashion Press Kit

Pág. 1/16